É uma data, se ele paga

Ele é debitado em qualquer nota fiscal emitida para qualquer serviço. Ou seja, não é cobrado na guia do Simples Nacional, mas você ao menos não vai ter que se preocupar com data de vencimento. Se você emitiu nota, automaticamente, já paga ICMS. O sistema do Padmoney é totalmente gratuito, não havendo cobranças de mensalidades, nem tarifas de cadastro. Você só paga pela liquidação do boleto, ou seja, paga somente se o seu cliente pagar. Faça o seu cadastro agora mesmo. Independentemente do tipo ou tamanho do seu negócio, o Padmoney é o seu parceiro ideal. Assim, não se trata de pagamento a vista, pois é apenas uma segurança que o vendedor possui de que receberá na data acordada. No caso de locação de veículos, a locadora garante que o carro será devolvido em perfeitas condições. Nesses casos, esse tipo de cheque é o mais utilizado por ser menos burocrático. Porém, lembre-se de anexar uma cópia da procuração aos demais documentos necessários, caso a entrega seja feita por procurador. Agora que você viu a importância de indicar o condutor e que não fazê-lo pode implicar em multa NIC, é importante saber o que acontece se essa multa não for paga. Na próxima seção, você vai saber. O boleto bancário ainda é uma das formas mais utilizadas para o pagamento de compras no comércio, ficando atrás apenas dos cartões de crédito e débito. Há quem não abra mão deste documento na hora de quitar suas contas, mas há, também, quem não compreenda muito bem essa forma de pagamento. Ao lidar com um membro poderoso dos Illuminati, não tente se reunir com ele, nem confie no testemunho de pessoas que se reuniram com ele. Um ritual de encantamento é facilmente executado e faz o líder extravasar confiança, caráter e sinceridade que ele mais provavelmente não possui. Deus proíbe essa atividade em Deuteronômio 18:10-12. 8. Escolha uma: a. A CPR é emitida pelo produtor rural, com o comprometimento de que ele vai entregar a mercadoria ao comprador, na data acordada, sendo que esse comprador só irá pagar pela mercadoria, na data da entrega da mesma, portanto a CPR é uma garantia ao comprador do bem agrícola que ele receberá a mercadoria acordada, em data ... A nota promissória possui uma data de vencimento (quando deve ser paga). Caso ela esteja em branco, será pagável à vista. Assim como em um cheque, a nota promissória possui um campo para o valor e um campo no qual esse mesmo valor é escrito por extenso. Se vermos ao pé da letra, a data,25 de Dezembro é pagã.Como você disse,a época não condiz com a descrita na bíblia.Mas mesmo não sendo nessa data que ocorreu o nascimento de Cristo,o princípio de comemorar o mesmo é válido,desde de que seja o maior motivo de comemoração.Atualmente a mídia,empresários aproveitam o espírito natalino para incentivar o CONSUMISMO,já que as pessoas ... O pai pagar no fim do mês não quer dizer que o desconto em folha irá seguir com essa data. Nãoi é o que VC quer, mas como a empresa funciona. Se ela paga os salários ATÉ o 5º dia pútil do mês subsequente, assim será, se ela paga desde o fim do mês até o 5º dia útil do mês subsequente, assim será.

U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 1: Mudanças e chegadas]

2020.09.20 14:53 UninformedImmigrant U wot m8? Estórias de um gajo que se mudou para o UK [Capítulo 1: Mudanças e chegadas]

Olá amigos. No post anterior introduzi levemente o espírito desta série, e este é o primeiro capítulo "a sério" da série. Este capítulo versa sobre o processo de preparação para a mudança e o "primeiro embate" da chegada ao novo país; que assuntos tive que tratar imediatamente antes de me mudar, assim como assim que cheguei. Como tenho dito, esta experiência é pessoal, e é importante que entendam que não se aplicará certamente a todos. Riam-se, chorem, e deixem os vossos pensamentos na caixinha em baixo.
Ao longo do texto vão ver uns números entre parênteses rectos ([XXXX]). Isto são referências que estão por extenso perto do fim do post, na secção apropriadamente denominada "Referências".

Take-Aways Principais

Eu gosto de ter uns bullet points com as ideias principais que se devem reter de cada capítulo, uma espécie de "se não leres mais nada, lê isto" do capítulo. Os deste capítulo rezam assim:
Os detalhes estão no texto por aí abaixo.

A odisseia do trabalho científico em Portugal

Já alguma vez tiveram aquele sonho em que querem gritar e não conseguem? Aquela sensação quase infantil de impotência, do pavor da inacção e do pasmo em relação ao que quer que seja que se está a desenrolar à nossa frente? Ou aquele em que querem esmurrar alguém mas não acontece nada? A sensação de impotência é, pessoalmente, das piores que podemos ter; a de querermos fazer alguma coisa, acharmos que sabemos o que fazer e não conseguirmos.
Trabalhar no tecido académico e de micro-empresas português (vulgo technology transfer) é um bocadinho assim. Por mais que um gajo se esforce, é muito difícil escapar à subsidio-dependência, à chico-espertice, à mediocridade, à inexperiência, à falta de processo e, acima de tudo, à falta de recursos. Por bom que seja o sonho, por interessante que seja o projecto, por positivo que seja o ambiente de trabalho, por porreiros que sejam os colegas, há uma sensação latente de "isto não vai dar para construir uma carreira". Isto torna-se particularmente agudo quando se trabalha numa área de tecnologia de ponta, para a qual inevitavelmente o mercado português está pouco desenvolvido. Não havendo mercado, a empresa vira papa-projectos e passa a viver de fundos comunitários, QRENs, COMPETEs, H2020s e coisas que tal. O tempo que se devia gastar em desenvolvimento é gasto a tentar convencer revisores de projectos a darem-nos mais uma esmola, e todos os projectos são uma corrida ao fundo: como é que conseguimos fazer esta omelete bonita com muito poucos ovos? Será que precisamos mesmo de duas pessoas para fazer isto, não dará só uma? Certamente o equipamento X também dá para este projecto.
Um aspecto particularmente doloroso neste ambiente é a altíssima rotatividade dos colegas. Quando se trabalha nestas condições tende-se a depender de recursos precários: bolseiros de investigação, estágios IEFP, estágios profissionais, estágios académicos, e por aí fora. Isto torna imediatamente impossível treinar alguém para fazer alguma coisa de jeito, e dei por mim a ensinar 3 ou 4 pessoas a fazer a mesma coisa em ocasiões diferentes ao longo dos anos. Nunca ninguém fica e toda a gente parte para outra, seja porque a empresa não lhes pode pagar, ou porque são incompetentes demais para nos darmos ao trabalho de lhes tentar arranjar financiamento. As caras e os nomes confundem-se numa espécie de groundhog day tecnológico em que cada ano que passa temos as mesmas conversas. Um tipo que vá ficando, ora porque é bom ou porque é teimoso, vai dando por si a avançar na idade ao mesmo tempo que os colegas não. A certo ponto, todos os meus colegas eram pelo menos uns 4 ou 5 anos mais novos que eu; ora se até eu quase nem tinha barba (hipérbole), então eles estavam mais verdes que as bananas da Costa Rica quando chegam ao Continente.
Quando me perguntam porque é que os portugueses têm tendência a se dar bem lá fora, aponto-os sempre para as condições em que somos habituados a fazer trabalho world-class. As publicações a que submetemos artigos não querem saber das nossas dificuldades; querem papers de qualidade. As agências de financiamento não querem saber de rotatividade, querem saber de know-how, track record e orçamentos. O trabalho que temos que entregar para sobreviver tem que ser de topo, ao mesmo tempo que as condições são de fundo. Pega-se num tipo habituado a isto, senta-lo numa cadeira de 300€, dá-se-lhe 3 monitores e um portátil que dava para comprar um carro, e é natural que o desempenho seja incrível.
Eu não me considero um perfeccionista (e acho que quem se considera perfeccionista pensa demais de si próprio) mas procuro estar numa constante curva ascendente no que toca à qualidade do meu trabalho. Umas vezes a curva é mais inclinada, outras vezes é menos inclinada, mas a cada dia estar um bocadinho melhor que no dia anterior. Aliás, quem me conhece sabe que esse é um traço que aplico em quase tudo: no trabalho, na vida, no desporto, etc. Antes de me mudar sentia que tinha batido no tecto da qualidade do que podia entregar. O meu esforço era máximo e o factor limitador da qualidade da entrega era a forma como o trabalho que eu tinha para fazer era entregue. Não havia tempo suficiente para inovação, era preciso planear de forma irrealista (e entregar de forma irrealista) para se conseguir fazer o malabarismo de todos os projectos. A constante mudança de contexto comia horas todos os dias.
A ética de trabalho portuguesa é, geralmente, horrível. Se eu trabalhei as minhas 8h, entreguei o que tinha para entregar e não tenho horário de trabalho, então vou sair às 16h. Ou chegar às 10h. Geralmente, fazer menos que 9-19 é mal visto, e eu fui sempre muito vocal (se calhar de forma prejudicial para mim próprio) acerca do quão estúpido isso me parece. Cheguei a ouvir algo semelhante a "tu és daqueles gajos que vão de férias desaparecem do mapa". Não é esse o objectivo das férias?

Um dia destes decidi mudar-me para o UK

Então um dia desatei a mandar CVs por esse mundo fora, a ver o que colava. Inevitavelmente, apareceram-me várias ofertas interessantes, a melhor das quais no UK. Contas feitas, a oferta praticamente multiplicou o meu salário bruto por 5 (talvez um bocadinho mais), empurrando-me de um salário mediano em Portugal para um salário bastante acima da média no UK. Esta é daquelas particularidades a que me refiro quando digo que a minha experiência é extremamente pessoal: eu tive a sorte de gostar e ter talento para trabalhar nesta área, e a dupla sorte de ser uma área em que simultaneamente há muita oferta e pouca procura de trabalho. Meio ao calhas cultivei um skillset muito valioso, ou que consegui vender bem. Infelizmente, para manter esta conta dissociada da minha identidade não vos posso especificar qual é; somos poucos, tornava-se muito fácil encontrar-me pelas publicações.
Curiosamente, está agora (à data da escrita) a fazer um ano que me decidi mudar. Nessa altura, a maior preocupação de quem se mudava para o UK era o Brexit, mas houve uma série de factores que me acalmaram:
Acerca deste último: ser estrangeiro no UK ou ser em qualquer outra parte é, para mim, semelhante. Então, se o Brexit por alguma razão resultasse numa perseguição aos estrangeiros, ou numa forte desvalorização da libra, etc, a minha situação ainda assim seria melhor que antes. Teria um CV mais rico, experiência adicional na indústria, e dinheiro no banco, tudo factores que facilitariam a mudança para um país terceiro.
Portanto com os factores políticos resolvidos por ora, e com a família a apoiar, lá me decidi.
Lá vim eu.

Preparação

A preparação para a mudança dividiu-se em:
Para benefício máximo meu e das duas empresas envolvidas, decidi reservar apenas umas 3 semanas sem trabalhar para tratar de tudo. Arrependi-me profundamente: devia ter fodido uma das empresas (a velha, potencialmente) e tido mais tempo para mim e para os meus. Naturalmente, houve muito que pude fazer enquanto trabalhava, como tratar da documentação. A logística foi um pesadelo; tive que esvaziar o apartamento em 2 dias e encontrar forma de arrumar tudo o que tinha na minha casa de família. Uma boa parte ficou por fazer pois queria passar tempo com a família em vez de arrumar merda. Tive que denunciar o contrato de arrendamento, da energia, da água e das telecomunicações. Obviamente, a Vodafone foi a mais merdosa no meio disto tudo, primeiro porque queriam que pagasse a fidelização (tive que demonstrar que vinha para o estrangeiro), e depois porque queriam cobrar o equipamento apesar de o ter entregue a horas e em boas condições. Típica escumalhice de telecom portuguesa, nada de novo.
A preparação legal foi mais cuidada. Para referência, a documentação que preparei foi:
Também nomeei (por procuração) um representante legal em Portugal. Inicialmente pareceu-me overkill, e apenas o recomendaria se tiverem alguém que seja de muita, muita confiança. Mas para mim tem sido muito útil, pois essa pessoa pode-me substituir em qualquer todos os compromissos, requerer a emissão de documentação em meu nome, transaccionar os meus bens (tipo vender o carro velho) e negociar em meu nome com as telecoms quando se armam em parvas (ver Vodafone acima). A pessoa que ficou com esta responsabilidade é da minha absoluta confiança, mas mesmo assim é um compromisso que deve ser mantido debaixo de olho e apenas pelo tempo necessário.
Às tantas perguntei-me "sua besta, já pensaste em quanto dinheiro vais gastar?" Bom, através de uma combinação de salário baixo e escolhas financeiras pouco saudáveis (que reconheço mas não quero detalhar), as minhas poupanças resumiam-se a uns míseros 2000€. Amigos, 2000€ não é dinheiro nenhum. Precisava de mais. Pelas minhas contas, e porque não vinha sozinho, precisaria de cerca de 15000€ para fazer isto com algum descanso, ainda que não conforto.
Lembram-se de quando tivemos uma crise "once in a lifetime" em 2008? Aquela da qual vamos ter saudades agora em 2021? Essa mesmo. Uma consequência engraçada dessa crise foi que as pessoas se habituaram a fazer crédito ao consumo, e os bancos habituaram-se a emprestar dinheiro como quem dá cá aquela palha, já que o Estado depois os resgata e ninguém vai preso. Como sempre trabalhei, paguei os meus impostos e nunca tive dívidas, pude pedir um crédito pessoal para pagar a mudança inicial. 15k no banco, check.
Obviamente não o gastei todo, e a empresa para onde fui trabalhar devolveu-me uma esmagadora parte do que gastei através de um fundo de "relocation expenses". A empresa pagou (mas eu tive que adiantar):
Em cima disso, paguei eu:
Admito que fiz algumas escolhas controversas, e houve muito dinheiro perdido em conversão de moeda. Podia ter ficado fora da cidade enquanto procurava apartamento, podia ter comprado mobília mais barata, podia ter dormido no chão, podia ter comprado malas mais baratas, podia ter andado de comboio em vez de alugar carros quando precisei. Mudei-me de uma forma que considero "medianamente confortável": não o fiz luxuosamente, mas dei-me ao luxo de trazer a Maria, de não ter que partilhar casa e de evitar largamente transportes públicos. Com o dinheiro que a empresa me devolveu constituí um fundo de emergência. Não liquidei logo a dívida porque entendo que é mais importante ter um fundo de emergência do que estar debt-free (mais sobre isso daqui a um post ou dois).
São escolhas. Emigrar é caro, amigos. Conheço quem o tenha feito com 200€ no bolso, mas não é confortável e não quero isso para mim.
Praticamente foi tudo pago através do Revolut. Criei uma conta pouco antes de vir, comprei o premium para não ter limites de conversões, e usei. Inclusivamente recebi lá o primeiro salário enquanto não criei a conta no banco.
A preparação emocional foi a menos complicada. O meu núcleo duro é relativamente pequeno, e toda a gente estava preparada há muito tempo para que eu "fugisse"; era conhecido praticamente desde que tinha começado o PhD que a minha área não era viável em Portugal, e que estava revoltado com a ética de trabalho merdosa. Naturalmente a minha mãe não gostou da ideia, mas são coisas da vida. Ainda assim, um conselho: não se armem em fortes e não descuidem a preparação psicológica/emocional que é necessária para este tipo de viagem. Eu sei que pessoas diferentes têm níveis de resiliência diferentes, mas o português tem muito a mania de achar que é o maior; cuidado com isso. Além disso, não deixem que estas preparações vos tomem todo o tempo que têm; guardem tempo para estar com a família, para lazer, e para descansar. Eu deixei-me consumir um pouco e não foi bom.

Como não ser sem-abrigo

Aterrei em meados de Setembro num dia nublado com duas malas de 30kg, uma mochila para mim e outra para a Maria, e a convicta certeza de que me estava a foder. Tinha cerca de 2.5 semanas até começar a trabalhar, e até lá a missão era só uma: encontrar um apartamento. Há muito para dizer acerca da habitação no UK, vou escrever um post só para isso e por isso aqui vou focar apenas na experiência do recém-chegado.
Eu decidi que não estava disposto a arrendar pelo privado; iria sempre através de uma agência imobiliária. Como não tinha tanta familiaridade com o mercado nem com a legislação, achei que seria mais seguro ir por essa via mais cara e minimizar a possibilidade de ser ludibriado. Recomendo vivamente. Então comecei a encetar contactos por telefone para marcar visitas a apartamentos.
E aí bateu-me.
Eu não conseguia perceber nada do que estes caralhos diziam ao telefone. NADA. "Ahka hrask apfiasdafsd duja sudn" diziam eles, e eu "sorry, I have a really bad connection, could you repeat that?" e eles lá repetiam mais calmamente "G'mornin, how can I help you today?". Muita vez disse eu que tinha pouca rede, a ver se eles abrandavam um bocadinho. E funciona! Top tip: se estiverem a tentar perceber o que eles dizem por telefone, queixem-se da ligação; o serviço móvel no UK é tão mau que eles vão na conversa.
Agora, eu sei falar inglês, ok? Naveguei perfeitamente bem as entrevistas, tenho dúzias de publicações em inglês "impecável", e trabalho em inglês há anos e anos. O problema é o seguinte: falar inglês enquanto se trabalha e escrever coisas em inglês são ambos experiências muito diferentes da de tentar falar com um nativo com sotaque, que assume maneirismos e expressões que não conhecemos, sobre locais que não conhecemos e dentro de um sistema (de arrendamento) que não conhecemos, tudo isto por telefone e sem poder ler nos lábios nem ler expressões corporais.
Com algum desenrascanço tipicamente português fui enchendo os dias de visitas a apartamentos na zona. Num dos dias aluguei um carro para ir ver apartamentos numa cidade vizinha (onde até acabei por ficar), algo que recomendo vivamente. Durante essas semanas vimos facilmente uns 25 apartamentos, talvez mais. As primeiras impressões foram:
(Um aparte acerca da alcatifa: se tiverem uma casa toda alcatifada comprem um robot aspirador de qualidade e aspirem todos os dias, até mais do que uma vez. A vossa qualidade de vida vai aumentar 1000 vezes.)
Escolhido o apartamento, fizemos uma oferta/candidatura. Oferecemos o valor que o senhorio pedia e, já tendo falado com muitos agentes, ofereci-me para pagar o contrato inteiro de 6 meses no dia da entrada. O que se seguiu foi um processo que, para mim, era completamente estrangeiro: o de "referencing" do potencial arrendatário. Pediram-me as moradas anteriores até 3 anos e os contactos dos senhorios, assim como a minha morada de família permanente e (muitos) dados pessoais. Essa informação foi usada para verificar que eu não era um impostor, e para verificar que tinha o hábito de pagar a renda. Ligaram para a minha antiga senhoria portuguesa, uma senhora de 82 anos, a perguntar se eu pagava a renda. Por mero acaso ela fala inglês (foi investigadora) e soube-lhes dar resposta, mas achei a atitude absolutamente desnecessária. Lembro-me de me sentir ofendido; "mas estes filhos da puta acham que pagar 6 meses à cabeça não chega?"
Seguiu-se um contrato de arrendamento para uma Assured Shorthold Tenancy [1], que é a modalidade "normal" de arrendamento para habitação por aqui. O agente imobiliário tratou de toda a papelada, mas eu tirei um dia para ler todo o contrato e verificar se batia certo com o que conhecia da lei daqui, o que recomendo vivamente. Atenção que a partir de meados de 2019 as taxas cobradas pelos agentes imobiliários passaram a ser limitadas por lei [2], por isso se vos pedirem alguma taxa administrativa mandem-nos sugar no pénis mais próximo. Na altura disseram-me que o normal, antes dessa mudança, seria o arrendatário pagar uma taxa de 700 libras à imobiliária pelo serviço. Era matá-los.
Assinado o contrato, ficou fixada uma data para entrada no apartamento. O valor a pagar é esperado nesta altura, no momento imediatamente precedente à entrega das chaves, o que significa que é preciso ter esse dinheiro disponível num cartão aceite pela imobiliária. Obviamente que é possível pagar por transferência, mas isso pode atrasar a data de entrada, e eu estava a pagar hotel por isso tinha interesse em me despachar.
Este processo foi, para mim, extremamente stressante. Até ao momento em que temos a chave na mão, o nível de incerteza é altíssimo: vou precisar de estender a estadia no hotel? Vou ter dinheiro que chegue caso o senhorio recuse o arrendamento? Será que vou ter que procurar noutra zona? Será que vou conseguir fazer isso enquanto trabalho? Para mim, encontrar a primeira casa foi facilmente a parte enervante da mudança. Agora já tenho uma posição muito mais sólida: conheço a zona, conheço o mercado, tenho um pé de meia e transporte próprio. O início custa muito mais.

Burocracias adicionais a tratar no início

Além da casa, que era a minha primeira preocupação, há um outro conjunto de coisas que têm que ser tratadas quanto antes:

Referências

[1] https://england.shelter.org.uk/housing_advice/private_renting/assured_shorthold_tenancies_with_private_landlords [2] https://www.gov.uk/government/collections/tenant-fees-act [3] https://www.gov.uk/council-tax [4] https://www.gov.uk/tax-codes [5] https://www.gov.uk/income-tax/how-you-pay-income-tax

Capítulos Anteriores

O próximo capítulo deve ser mais sobre habitação ou sobre compramanter carro e conduzir. Depende de qual o capítulo que acabar por ficar pronto mais cedo. Às tantas calha ser outro qualquer ¯\_(ツ)_/¯
Se este post gerar uma resposta tão forte como os outros, é possível que eu não consiga responder a todos os comments. Se for esse o caso, peço desculpa; vou dar o meu melhor.
No outro post alguém (um mod?) colocou o flair "Conteúdo Original". Não encontrei esse por isso pus "discussão".
Abraços, e obrigado por virem à minha TED talk.
submitted by UninformedImmigrant to portugal [link] [comments]


2020.09.19 22:57 bernaferrari Minha lista de motivos contra o Banco Inter

Disclaimer: esse são os motivos que me levaram a odiar o Inter, colocar o cartão na gaveta e espero nunca mais usa-los. Vai ter gente falando "eu sou feliz" ou "nunca aconteceu comigo", tudo bem.. Tem gente que paga TED ainda e é feliz, cada um é cada um. Dito isso, aqui vão os MEUS MOTIVOS:
  1. Atendimento não existe. NON EXCISTE. DOES NOT EXIST.
  2. Histórico de transações é atrelado ao cartão; trocou de cartão, perdeu o histórico (e também coisas como antecipar fatura, que só podem ser feitas a partir do 2o mês).
  3. Não tem rendimento automático e a parte de investimentos é ruim e confusa (por exemplo, o fundo deles selic é D+0 até 13:30, depois disso é D+1. Do Neon você consegue o dinheiro na hora).
  4. Interface do cartão é suuuper confusa. Você não sabe quanto você já gastou nem quanto ainda pode gastar.. e se for final da fatura/começo de outra, fica ainda mais confuso. E vi gente reclamando no Facebook, se você tem compra parcelada fica ultra confuso.
  5. Até janeiro, cada vez que você reiniciava o Android, o app do Inter se abria sozinho. Parece SPAM. Não conseguiram ter o "guardião" pro PC igual os outros bancos, mas tentaram competir em chatice.
  6. Meu pai fez seguro com eles e não foi ativado porque perderam o papel e não falaram nada. Umas duas semanas depois, meu pai viu que não aparecia no app, entrou em contato, pediram uns dias, passou uma semana, encontraram o papel e o seguro foi efetivado. Muito profissionais.
  7. App não sabe diferença entre dólar pra outras moedas. Fiz compra em 1200kc que seria equivalente a ~300 reais, recebi notificação que tinha gasto 1200 dólares. Notificação essa, aliás, que parece que foi feita nas coxas. Horrível.
  8. Não conseguem cumprir com determinação do banco central. Na data limite pros bancos enviarem o informe de IR, entrei em contato, disseram "até tal data estará disponível". Mas o limite é hoje!!! "sim, mas até tal data estará disponível". What!?!?! --- E aí quando finalmente conseguiram fazer, tinha que acessar pelo site que é UM COMPLETO LIXO. Inclusive, estava dando erro pro meu pai, teve que entrar em contato e resolveram. No Neon é só entrar no app e apertar um botão. Nubank/Easynvest/Warren/etc mandam pra todo mundo sem pedir.
  9. Eles juram que não cobram spread em remessas internacionais, porém o dólar deles é 2% menor que o dos outros. Coincidência, né?
  10. Eles ficam se idolatrando nas redes sociais como se fosse o melhor banco do mundo. Neon não é ótimo mas pelo menos se conhecem e não te ilude ou engana. Já tive alguns problemas bizarros no Neon, mas sempre resolveram.
  11. Já aconteceu de eu ter que ficar DUAS SEMANAAAAASSSS SEM PODER ACESSAR MINHA CONTA por causa de erro deles. Você conseguiria ficar duas semanas sem acessar sua conta? Se sim, fique a vontade pra ser cliente deles.
  12. Tá cheio de gente com outros problemas, como banco caindo, esses dias até a operadora de celular deles caiu (só pesquisar). E agora tem gente reclamando que prometeram algumas promoções na operadora e não estão cumprindo.
  13. Nome do banco é inter (sim, eu sei que veio de intermedium) mas cartão não funciona fora do Brasil, dá default pra débito (e a maioria das maquinas não têm opção de mudar pra crédito, é automático, especialmente quando é contactless). Ou seja, NINGUÉM NUNCA TESTOU O BANCO INTER FORA DO BRASIL. Entrei em contato, maior lixo, não resolveu nada. Usei Nubank o resto da viagem pagando mais mas por um serviço que funciona.
  14. Quando estava em Barcelona, fui fazer uma compra online e entrou em um site especial do MasterCard para confirmar a compra. Banco Inter mandou SMS pra confirmar a compra (depois entrei em contato e sim, não há outra forma). Como eu estava fora do Brasil, eu não estava com meu chip pra receber SMS. Tentei o Nubank, foi só "toque ok no app", e funcionou.
A única coisa boa no Inter, que me levou a criar conta com eles, foi o 1% que cobram de spread em compras internacionais (contra 4% do Nubank). Só que a porcaria do cartão não funciona. E o banco é uma porcaria. Quando retornei de viagem, abri conta no Woop do Sicredi que também cobra 1%.
Meu conselho:
Se você é PJ, vá de Cora ou Conta Simples. Os dois possuem atendimento excepecional.
Se você é PF, Nubank > Woop (compra internacional) / Neon (nacional).
submitted by bernaferrari to investimentos [link] [comments]


2020.09.11 16:17 ssantorini Basicão de investimentos para dummies

O que é o mercado? Mercado são todos os agentes que participam da produção e troca de bens ou serviços. São as pessoas físicas (trabalhadores, consumidores, rentistas, empresários) ou jurídicas (empresas de produção, de comércio, de serviços ou financeiras).
O que é o mercado financeiro? É a parte do mercado restrita à circulação de dinheiro. É o "comércio de dinheiro" (empréstimos e investimentos).
O que é investimento? É quando um portador de dinheiro coloca seu dinheiro em alguma atividade, esperando tê-lo de volta em maior quantidade.
O que são investimentos financeiros? São investimentos nos quais o portador do dinheiro não participa diretamente da atividade econômica feita com o mesmo, limitando-se a colocá-lo na guarda de outros (emprestando ou investindo).
Qual a diferença entre empréstimo e investimento direto? No empréstimo, o tomador é obrigado a devolver a quantia em data futura, acrescida dos juros combinados, independente de qualquer coisa. No investimento direto, o credor assume solidariamente com o tomador os riscos da atividade na qual o dinheiro foi empregado, podendo ter lucros ou prejuízos.
TIPOS DE INVESTIMENTOS
Ações: são "pedaços" de uma empresa. Quem compra uma ação se torna proprietário de uma parte da empresa.
Ação ordinária: ação que garante ao portador participação e voto no conselho administrativo da empresa, mas caso a empresa seja liquidada, ele receberá sua parte por último, do que sobrar (se sobrar);
Ação preferencial: ação que não dá ao portador participação e voto no conselho administrativo da empresa, mas lhe dá prioridade na hora de receber sua parte, caso a empresa seja liquidada
Pra que serve investir em ações? Pra obter dividendos (parte do lucro da empresa), caso a ação seja de grande monta, ou para especular (vendê-la por um preço maior depois), Embora quem especule com ações compra "opções", não as ações em si. Opções são derivativos atrelados à cotação de ações (vide a definição de "derivativos" adiante).
Debêntures: investir em debêntures é o mesmo que "emprestar dinheiro a uma empresa". Debênture não é ação, a empresa é obrigada a pagá-lo na data acertada independente de qualquer coisa;
CDB (certificado de depósito bancário): investir em CDB é o mesmo que "emprestar dinheiro a um banco". Bancos maiores costumam pagar juros menores, bancos menores costumam pagar juros maiores.
LTN (letras do tesouro nacional): investir em LTN é o mesmo que "emprestar dinheiro ao governo".
LCI (letras de crédito imobiliário): investir em LCI é o mesmo que "emprestar dinheiro a compradores de imóveis". É intermediado por algum banco.
LCA (letras de crédito agrário): investir em LCA é o mesmo que "emprestar dinheiro a agropecuaristas". É intermediado por um banco também.
LCI, LCA e LTN são livres de impostos e possuem um seguro chamado FGC (fundo garantidor de crédito), que garante restituir 250 mil reais por CPF caso a instituição intermediadora entre em falência e não consiga pagá-las ao investidor.
CDB paga imposto regressivo (quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menos imposto paga).
Fundos de Investimento: são contratos nos quais o investidor deixa seu dinheiro em mãos de corretores profissionais, que o movimentam e investem como acharem melhor, com o objetivo de fazê-lo aumentar. Existem muitos tipos de fundos de investimento, desde os mais seguros (os corretores só investem em coisas de baixo risco, porém baixo retorno, como CDB e letras) até os mais arriscados (os corretores investem em coisas de alto risco, porém alto retorno, como ações e derivativos*), passando pelos de risco moderado (Multimercados**). Esses fundos cobram uma comissão para os corretores, uma taxa de administração e impostos. Por exigirem trabalho contínuo dos corretores (que colocam e retiram o dinheiro a depender das conjunturas do mercado), cobram essas taxas.
*Derivativos: são contratos atrelados a algum índice qualquer, como dólar, ouro, inflação, selic. É como se fosse um jogo: um cara que quer dinheiro lhe oferece pagar a quantia que o dólaouro/IPCA/selic variar, aí você aceita, podendo se dar bem ou mal.
*Multimercados**: são fundos de investimento que mexem com vários tipos de aplicação ao mesmo tempo (ações, CDB, derivativos, etc) com o intuito de equilibrar os riscos e retornos.
SELIC: de forma simples seria a taxa de juros que o banco central cobra aos demais bancos pelo dinheiro que estes últimos pegam emprestado. É a menor taxa de juros praticada em todo o mercado. Todas as demais são derivadas dela. Complicando um pouco mais, SELIC é uma meta que o BC determina para os juros interbancários (cobrados pelos bancos entre si). O BC manipula a oferta de títulos públicos (que os bancos usam como garantia de empréstimos entre si) e o depósito compulsório (fração do dinheiro depositado nos bancos que eles devem obrigatoriamente depositar no BC) para a essa meta seja atingida.
CDI (certificado de depósito interbancário): é a taxa que os bancos cobram uns aos outros quando fazem empréstimos entre si. Ela é a SELIC mais alguma coisa que no momento não lembro, mas são bem próximas em valores.
Por que a CDI é importante? A maioria dos retornos prometidos pelos bancos e financeiras são expressos em "% da CDI". O Banco Bradesco oferece LCA com 80% da CDI, já a XP Investimentos oferece LCA com até 115% do CDI de retorno.
USANDO O QUE VOCÊ APRENDEU
Aumento da SELIC é bom ou ruim? É bom para um governo endividado porque atrai mais investidor querendo emprestar dinheiro a ele. É bom pra combater a inflação, porque torna os financiamentos mais caros e portanto reduz a demanda global por bens e serviços, fazendo os preços caírem. É ruim para o PIB e o emprego, pois torna os financiamentos e empréstimos mais caros, aí as empresas terão menos capital de giro, empregarão menos, venderão menos também porque os juros estão altos, o PIB cai e o desemprego sobe.
Aumento do dólar é bom ou ruim? É bom para os exportadores, pois deixa seus produtos mais competitivos (baratos) no mercado externo, aí conseguem aumentar suas vendas, empregando mais pessoas. É ruim para empresas que dependem de insumos importados (máquinas, petróleo), pois encarece a produção. É ruim também para a inflação, pois deixa os importados mais caros.
Quando se deve investir em moeda estrangeira ou ouro? Quando se perde a confiança na moeda nacional. Isso ocorre quando o governante é inflacionista, emissor ou possivelmente caloteiro (Ex: Ciro Gomes) ou quando as exportações despencam (menos dólar entrando) ou as importações aumentam demais (mais dólar saindo).
Quando se deve investir em ações? Quando se espera que as empresas cresçam e aumentem seus lucros (mais dividendos para o investidor, mais retorno na hora de revendê-las). Isso só é possível se a economia e o emprego crescerem, o que é mais provável de ocorrer em governos que sigam melhor a ciência econômica mainstream (Ex: Meirelles, Amoedo, Alckmin, Paulo Guedes). Obviamente isso depende da empresa. Você deve correr de ações de estatais e investir em ações de empreiteiras se um governo cleptocrata assumir (Ex: PT). Você deve investir em ações de bancos privados se o governo for inflacionista (bancos lucram mais com inflação, porque tornam a especulação mais fácil, além disso a inflação força o governo a aumentar os juros pra atrair mais empréstimos, e isso é bom para os bancos). Você deve investir em ações de empresas produtivas se o governo for um seguidor da ortodoxia econômica e a economia de países compradores estiver aquecida....e por aí vai.
Quando se deve investir em LTN? Você deve procurar o país que seja o mais confiável possível (risco baixo de calote) e ofereça os maiores juros possíveis. Países emergentes são os mais arriscados, principalmente os governados por esquerdistas populistas (gostam de pedir empréstimo e depois se recusarem a pagar), países com contas públicas ruins (déficits altos) ou países que JÁ deram calote no passado (já perderam a moral, não custa nada fazer de novo). A Argentina é tão queimada que oferece LTN com juros de 45% e ainda tem dificuldade em se financiar, recorrendo ao FMI. Os EUA são tão confiáveis que quando Trump aumentou os juros para 2%, ocorreu uma fuga de capitais dos países emergentes para lá.
submitted by ssantorini to investimentoslivre [link] [comments]


2020.08.26 20:21 ElaborBR Impactos trabalhistas no enfrentamento do COVID-19

Desde o domingo, dia 22 de março de 2020, em que o Governo Federal assinou a Medida Provisória 927/20, inúmeras dúvidas inundaram a segunda-feira dos escritórios de advocacia, empresas de contabilidade, departamento de Recursos Humanos, Departamento Pessoal, firmas de auditoria e em especial, a dos trabalhadores.

Algumas dúvidas versavam sobre questões legais, mas seguramente a maior parte dos questionamentos era no sentido de: como implantar as medidas trazidas pela MP de maneira mais segura tanto para a empresa como para os colaboradores?

Como meu sistema está ou não preparado? Como eu poderia rodar em grande escala as férias dos colaboradores sem o pagamento do terço constitucional, já que posso pagar até o dia 20/12/20? E lá adiante, o sistema de folha de pagamento conseguirá vincular o pagamento do terço às férias corretamente? E se tiver aumento de salário? Pago o terço constitucional com o salário novo ou com o salário da época da concessão das férias?

Um cliente me ligou hoje pela manhã e perguntou: será que o Protheus já está preparado para calcular as férias de acordo com a MP? Respondi: fique tranquilo… de domingo à noite até hoje, quarta-feira pela manhã … Nem Protheus, nem qualquer outro sistema. Nós dois rimos… de nervoso… rs.

Depois de dois dias de leituras, pesquisas e resposta às consultas de nossos clientes, resolvemos trazer algumas das questões debatidas.

Não temos a pretensão de dirimir todos os aspectos, impactos e desafios que as empresas e trabalhadores enfrentarão pela frente. Mas é um apoio, um suporte a quem terá que ser um instrumento da gestão de mudança sem perder de vista o atendimento ao compliance e empatia com a posição e as vidas dos colaboradores dentro e fora da Empresa.

ENTENDENDO OS IMPACTOS TRABALHISTAS NO ENFRENTAMENTO DO CORONAVIRUS – COVID19 MEDIDA PROVISÓRIA 927/2020

1) Quais são as principais medidas trabalhistas trazidas pela Medida Provisória 927/2020 no enfrentamento do coronavírus (COVID-19) ?

O artigo 3º. da MP estabelece que poderão ser adotadas pelos empregadores, dentre outras, as seguintes medidas:

I – o teletrabalho;

II – a antecipação de férias individuais;

III – a concessão de férias coletivas;

IV – o aproveitamento e a antecipação de feriados;

V – o banco de horas;

VI – a suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho;

VII – o direcionamento do trabalhador para qualificação profissional (REVOGADO PELA MEDIDA PROVISÓRIA 928/20); e

VIII – o diferimento do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS.

Importante destacar o artigo 2º. da MP 927/20:

“Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregado e o empregador poderão celebrar acordo individual escrito, a fim de garantir a permanência do vínculo empregatício, que terá preponderância sobre os demais instrumentos normativos, legais e negociais, respeitados os limites estabelecidos na Constituição”

2) Neste sentido, existe a possibilidade de uma discussão jurídica nos tribunais sobre a tal preponderância do acordo individual sobre as leis, decretos, instruções normativas, portarias, etc.?

Em um primeiro momento, entendemos que dependerá muito da forma, do conteúdo e da essência dos acordos que serão firmados com o trabalhador, ainda que o objetivo principal seja nobre, que é o da preservação do emprego. Portanto nossa resposta é que SIM, poderá haver a chamada judicialização de alguma das medidas trazidas pela MP.

Uma forma de minimizar a exposição é obter o maior número de elementos e subsídios que auxiliem na tomada de decisão. O envolvimento do consultor trabalhista e principalmente do vosso assessor jurídico são fundamentais neste processo.

TELETRABALHO (HOME OFFICE OU TRABALHO REMOTO)

3) Como devemos gerir o regime de home office?

O assunto teletrabalho é bem amplo, mas vamos focar nas questões da MP:

O regime de trabalho presencial poderá ser alterado para o de teletrabalho independentemente de acordos individuais ou coletivos, e deverá ser será notificado ao empregado com antecedência de, no mínimo, 48 horas, por escrito ou por meio eletrônico.
As disposições relativas à responsabilidade pela aquisição, pela manutenção ou pelo fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do teletrabalho e ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado serão previstas em contrato escrito, firmado previamente ou no prazo de trinta dias, contado da data da mudança do regime de trabalho.
Os estagiários e aprendizes não ficaram de fora e também estão contemplados neste regime.
4) Podemos suspender a concessão do Vale Transporte e do Vale Refeição aos empregados que estão em home office?

O vale transporte poderá ser suprimido, tendo em vista que a finalidade do transporte (residência x trabalho x residência) não ser aplicável ao trabalhador que está no regime do teletrabalho.
O vale refeição deve ser mantido, pois o trabalhador está trabalhando e mesmo que remotamente, ele precisa se alimentar. Deverá ainda ser observado os intervalos para descanso e alimentação. Ao indagar se devemos continuar fornecendo o vale refeição, muitos empregadores demonstram ter uma ideia distorcida do próprio home office.
5) As empresas que forneciam aos empregados a alimentação na modalidade de restaurante próprio ou convênio, precisam fornecer o benefício ao trabalhador colocado no regime de teletrabalho?

Nada muda, o empregado continua tendo que se alimentar, por isso é necessário que a empresa conceda a alimentação, devendo avaliar internamente a modalidade e procedimento que será adotado.

6) E em relação a parte de Saúde e Segurança do Trabalho?

Como o momento é extremamente delicado, as empresas provavelmente não tiveram o tempo necessário para tomar todas as medidas necessárias, em especial ao mobiliário: mesa, cadeira, fones (se necessários), por exemplo.

Sabemos que existem empregados trabalhando sentados na cama, onde toda a questão ergonômica fica prejudicada. A longo prazo esta posição incorreta poderá se tornar uma doença profissional. Por isso é importante que o empregador olhe com cuidado para estes aspectos.

7) As empresas são responsáveis pelo fornecimento da infraestrutura e equipamentos necessários ao desempenho das tarefas em home office?

Sim. Inclusive deverá constar no contrato escrito como se dará o fornecimento destes equipamentos e materiais, em especial ao reembolso das despesas com a utilização da internet, por exemplo.

Para fins de benchmarking, alguns dos nossos clientes adotaram o modelo de reembolso mensal das despesas, cujo valor tem flutuado entre R$ 50,00 a R$70,00.

8) O reembolso de despesas deverá constar em folha de pagamento?

Sim, conforme prevê o artigo 225 do Decreto 3.048/99, a empresa é também obrigada a:

I – preparar folha de pagamento da remuneração paga, devida ou creditada a todos os segurados a seu serviço, devendo manter, em cada estabelecimento, uma via da respectiva folha e recibos de pagamentos;

9º A folha de pagamento de que trata o inciso I do caput, elaborada mensalmente, de forma coletiva por estabelecimento da empresa, por obra de construção civil e por tomador de serviços, com a correspondente totalização, deverá:

IV – destacar as parcelas integrantes e não integrantes da remuneração e os descontos legais

Embora algumas empresas utilizem o modelo de relatório de reembolso de despesas (RD), conservadoramente nossa posição é a de que todo pagamento realizado ao colaborador deve transitar em folha de pagamento, o que não significa dizer que deverá ter todas as incidências (INSS, FGTS e IRRF). Importante as empresas se atentarem às previsões existentes no Decreto 3.048/99 e no Decreto 9.580/18.

9) Devo controlar o horário de trabalho ou adotar o cartão de ponto aos empregados colocados em regime de teletrabalho?

De acordo com a Lei 13.467/17, conhecida como lei da reforma trabalhista e que alterou a CLT em diversos pontos, os empregados em regime de teletrabalho não estão abrangidos pelo instituto do controle de jornada nem de horário. Então a resposta é não, não há a necessidade de controle de horário, embora algumas empresas estejam aplicando sim o controle, seja pela marcação via mobile ou via time sheet.

Neste momento, o maior desafio dos gestores é medir a produtividade de cada colaborador. Sabemos que nem todos têm o perfil para trabalhar em casa, mas não podemos esquecer que as crianças também estão fazendo “home office”!

Por isso é extremamente relevante que as empresas comuniquem aos seus trabalhadores como se dará o trabalho em home-office, as condutas, posturas, comunicação com clientes, pares e gestores, etc.

Sem dúvida quando tudo isso passar as empresas olharão o trabalho em home office de uma forma muito diferente. Uma nova forma de trabalho está nascendo.

FÉRIAS

As férias poderão ser concedidas por vontade do empregador, devendo o trabalhador ser comunicado com antecedência mínima de 48 horas, por escrito ou meio eletrônico.
Não poderão ser inferior a 5 dias.
Poderá ser antecipado períodos aquisitivos futuros, mediante acordo individual escrito.
Os colaboradores pertencentes ao grupo de risco devem ser priorizados na concessão ou antecipação das férias,
A concessão do abono pecuniário (venda de 1/3 das férias) ficará sujeita a concordância do empregador.
O empregador poderá pagar o 1/3 constitucional até a data de pagamento da gratificação natalina, também conhecido como 13º. Salário, ou seja, até 20/12/20.
O pagamento da remuneração das férias poderá ser realizado até o 5º. dia útil do mês subsequente ao início do gozo das férias.
Em caso de férias coletivas, não será necessário realizar a comunicação prévia ao Ministério da Economia e aos Sindicatos representativos.
Porém há a necessidade de comunicar aos empregados contemplados pelas férias coletivas com antecedência de, no mínimo, 48 horas.
Os RH´s devem se antecipar e verificar junto aos seus respectivos fornecedores de folha de pagamento as questões relacionadas ao cálculo e geração das férias nos moldes trazidos pela MP.

FERIADOS

As empresas poderão antecipar o gozo de feriados não religiosos federais, estaduais, distritais e municipais e deverão notificar, por escrito ou por meio eletrônico com antecedência de, no mínimo, 48 horas mediante indicação expressa dos feriados aproveitados.
Os feriados também poderão ser utilizados para compensação do saldo em banco de horas.
No caso dos feriados religiosos, este deverá ter concordância dos colaboradores mediante acordo individual e por escrito.
Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

BANCO DE HORAS

Ficam autorizadas a interrupção das atividades pelo empregador e a constituição de regime especial de compensação de jornada, por meio de banco de horas, em favor do empregador ou do empregado, estabelecido por meio de acordo coletivo ou individual formal, para a compensação no prazo de até 18 meses, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.
A compensação de tempo para recuperação do período interrompido poderá ser feita mediante prorrogação de jornada em até duas horas, que não poderá exceder 10 horas diárias.

SUSPENSÃO DE EXIGÊNCIAS ADMINISTRATIVAS EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

Suspensão da obrigatoriedade da realização dos exames médicos ocupacionais, clínicos e complementares, exceção feita aos exames demissionais.
O exame demissional poderá ser dispensado caso o exame médico ocupacional mais recente tenha sido realizado há menos de cento e oitenta dias.
Os demais exames (admissionais, mudança de função, retorno de afastamento e periódicos) deverão ser realizados no prazo de 60 dias após o contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.
Na hipótese de o médico coordenador do PCMSO considerar que a prorrogação representa risco para a saúde do empregado, o médico indicará ao empregador a necessidade de sua realização.
Ficam suspensos também os treinamentos previstos nas Normas Regulamentadoras (como o treinamento da CIPA por exemplo) e deverão ser realizados no prazo de 90 dias após o contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.
Os treinamentos poderão ser realizados na modalidade de ensino a distância e caberá ao empregador observar os conteúdos práticos, de modo a garantir que as atividades sejam executadas com segurança.
Entendemos que alguns treinamentos nos parece de difícil aplicação pois como seria possível observar os conteúdos práticos de um treinamento para trabalho em altura ou espaço confinado ?

Os processos eleitorais da CIPA ficam suspensos até o encerramento do estado de calamidade pública, assim como os processos eleitorais em curso.

POSTERGAÇÃO DO DEPÓSITO DO FGTS

Fica suspensa a exigibilidade do recolhimento do FGTS pelos empregadores, referente às competências de março, abril e maio de 2020.
O recolhimento das competências de março, abril e maio de 2020 poderá ser realizado de forma parcelada, sem a incidência da atualização, da multa e dos encargos.
O pagamento das obrigações referentes às competências mencionadas será quitado em até seis parcelas mensais, com vencimento no sétimo dia de cada mês, a partir de julho de 2020.
Em caso de rescisão do contrato de trabalho, as Empresas deverão depositar os valores correspondentes ao empregado desligado e a eventual multa de 40% do FGTS, sem incidência da multa e dos encargos devidos.
Os prazos dos certificados de regularidade emitidos anteriormente à data de entrada em vigor desta Medida Provisória serão prorrogados por noventa dias.

OUTRAS DISPOSIÇÕES

Fica permitido aos estabelecimentos de saúde, mediante acordo individual escrito, mesmo para as atividades insalubres e para a jornada de doze horas de trabalho por trinta e seis horas de descanso:
prorrogar a jornada de trabalho;
adotar escalas de horas suplementares entre a décima terceira e a vigésima quarta hora do intervalo interjornada, sem que haja penalidade administrativa, garantido o repouso semanal remunerado.
As horas suplementares computadas em decorrência da adoção das medidas previstas acima poderão ser compensadas, no prazo de dezoito meses.
Os casos de contaminação pelo coronavírus (COVID-19) não serão considerados ocupacionais, exceto mediante comprovação do nexo causal.
Os acordos e as convenções coletivos vencidos ou vincendos, no prazo de cento e oitenta dias, contado da data de entrada em vigor da MP, poderão ser prorrogados, a critério do empregador, pelo prazo de noventa dias, após o termo final deste prazo.
Durante o período de cento e oitenta dias, contado da data de entrada em vigor da Medida Provisória, os Auditores Fiscais do Trabalho do Ministério da Economia atuarão de maneira orientadora, exceto quanto às seguintes irregularidades:
I – falta de registro de empregado, a partir de denúncias;

II – situações de grave e iminente risco, somente para as irregularidades imediatamente relacionadas à configuração da situação;

III – ocorrência de acidente de trabalho fatal apurado por meio de procedimento fiscal de análise de acidente, somente para as irregularidades imediatamente relacionadas às causas do acidente; e

IV – trabalho em condições análogas às de escravo ou trabalho infantil.

https://elaborbr.com/impactos-trabalhistas-no-enfrentamento-do-covid-19/
submitted by ElaborBR to u/ElaborBR [link] [comments]


2020.08.18 03:28 isaaaklotz Meu Nice Pai pt.2

Oii Luba, editores e turma que está a ler. Primeiramente peço mil desculpas por ter demorado tanto para postar o restante da história.
Bom, continuando os acontecimentos do que contei anteriormente. No começo da "separação" (meus pais ainda não estavam separados pela justiça) eles até que se davam bem, jantamos uma vez juntos no porão da avó demoníaca e assistimos um filme. Tudo certo até então. Porém de repente meu pai mudou muito, começou a ser rude com a minha mãe, fazer drama por nada, inventar histórias etc. Ok, estranho mas pode ser por causa da separação ou assim né? Mas o fim da picada foi quando ele me perguntou se eu andava ligando pra Liar e ameaçando ela e suas filhas, coisa que eu neguei prontamente pois nem o número dela eu tinha. E ele não acreditou em mim! Perguntava se eu tinha certeza, duvidando de mim, a própria filha dele! Minha mãe me defendeu, mas eu duvido que ele acreditou em nós.
Depois disso começamos a brigar bastante, pois tínhamos medo dele pirar e nos acusar injustamente de novo, por isso toda vez que ele tentava sair comigo e com a minha irmã dávamos uma desculpa esfarrapada pra não ir. Quando ele ligava para nós jogávamos os fatos na cara dele, como ele acreditava na amante dele, como ele preferia comprar coisas pra ela em vez de pagar pensão para termos o que comer etc.
Após um tempo as coisas sossegaram, paramos de brigar tanto e saíamos de vez em quando para almoçar com ele. Algo que eu achava estranho é que ele vivia falando mal da minha mãe pelas costas. Como isso que ele fazia era alienação parental (para quem não sabe, "a alienação parental é o processo e o resultado da manipulação psicológica de uma criança em mostrar medo, desrespeito ou hostilidade injustificados em relação ao pai ou mãe e/ou a outros membros da família.") e é um crime, eu comecei a gravar nossas conversas como prova se caso ele quisesse botar a culpa de alienação parental na minha mãe. E ele não fazia isso apenas quando saíamos para comer, também quando me levava no treino de vôlei, futsal e judô. Teve um dia em específico que eu acho que ele deve ter percebido que eu estava gravando nossa conversa. Na real eu não me lembro certo se foi a caminho do meu treino ou quando estávamos saindo do restaurante, mas ele me disse que "... não tinha problema, se eu não estiver gravando a nossa conversa". Enfim, era toda hora ele fazendo pressão psicológica para contarmos coisas sobre a nossa mãe, algo que com certeza não faríamos, afinal ela era e é a única entre os dois que realmente se importa se eu e minha irmã temos o que comer, e sinceramente, ela nunca fez algo de errado para poder incriminá-la de alguma coisa.
Chegamos ao dia 23 de outubro. Nesse dia teve os jogos de interclasses na minha antiga escola. Como naquele dia a minha mãe tinha outra audiência eu e minha irmã ficamos na casa de uma amiga minha da época durante a tarde toda (estudávamos de manhã). Até que chegou a noite, minha mãe me ligou avisando que estava saindo da audiência que acontecia na cidade vizinha, e me deu a notícia que o juiz estava nos OBRIGANDO a encontrar com nosso pai. Eu fiquei p da vida, meu dia estava indo tão bem e do nada vem essa bomba de bosta pra cagar com tudo. Fomos esperar o ser humano num café do outro lado da rua da praça, minha mãe na praça pra ficar de olho caso algo acontecesse. Quando vimos ele chegar, comecei a gravar a conversa. Ele sequer se sentou, apenas disse para pegarmos nossas coisas e entrarmos no carro pois iríamos na casa da mãe dele (ps: o ponto de encontro marcado ERA no CAFÉ, e não fora dele). Eu fiquei nervosa e comecei a tremer e gaguejar, e quase chorando liguei pra minha mãe e contei baixinho o que estava acontecendo. Ela desceu a praça mais rápido que o Flash e começou um barraco na rua dizendo que ele não podia tirar a gente do café porque o ponto de encontro era lá e tal. Ele ficou puto, e entramos num acordo de fazer o encontro num tipo de "concha musical" (que é uma contrução ao lado da prefeitura para bandas tocaram em datas festivas na cidade). Ficamos lá e depois do encontro eu, minha mãe e irmã fomos a pé para casa. (Eu ainda fico pensando o que poderia ter acontecido se tivéssemos ido junto com ele, eu não duvido nada dele). Esse foi o último dia que vimos ele pessoalmente.
Hoje em dia moramos na cidade natal da minha mãe, longe dele e perto da família que nos quer bem. Ele entrou raras vezes em contato conosco, coisa que eu não ligo muito por não querer mais vê-lo. Ele deve mais de 17 meses de pensão alimentícia, além do pró-labore/ salário que ele ainda não pagou pra minha mãe pendente do rolo no parque aquático. E um fato que eu acho engraçado é que não paga a pensão porque "NãO tEm DiNhEiRo SuFiCiEnTe" mas pagar o próprio casamento (sim gente, eles se casaram) e dar mimos pra amante e as filhas dela, pra isso ele tem dinheiro.
Acho que isso foi tudo, se acontecerem mais coisas eu vou contando para vocês.
Vou tentar escrever a história da avó demoníaca ainda hoje.
Bjs
submitted by isaaaklotz to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.07 17:55 inv3stbr [OPÇÕES] O guia definitivo (de como perder dinheiro)

[OPÇÕES] O guia definitivo (de como perder dinheiro)
Salve cambada. Diretasso vejo gente pedindo ajuda para entender opções aqui no sub, e na versão mais retardada e corna do sub (investimentos). Então decidi explicar tudo o que você precisa saber sobre opções. Esse post é pra você preguiçoso do kct. Então bora, segue o índice:

  1. O que são opções;
  2. Calls e Puts;
  3. Como são precificadas;
  4. As Gregas.
  5. Como perder dinheiro; [PRÓXIMO POST]
  6. Como perder dinheiro pra krl; [PRÓXIMO POST]
  7. Como ganhar (???) [PRÓXIMO POST]

O que são opções

Opções são contratos. O vendedor, também chamado de lançador, tem o dever de cumprir o contrato, desde que o comprador das opções opte por exercer seu direito até determinada data. E é dai que vem o nome dessas girombas arrombadoras de pf.
Ta mais e ai? Continuando: a B3 oferece dois tipos de opções, as americanas e as europeias. Se você pensou que a diferença fosse a quantidade de pelos e a qualidade da cerveja, errrrrrouuuuu. As opções americanas permitem que o comprador exerça seu direito em qualquer momento (a partir do próximo dia útil a compra das opções) até a data de vencimento. Já as europeias, apenas na data de vencimento.
Todos os meses, na terceira segunda-feira, existe o vencimento de opções - ou no próximo dia útill caso haja feriado. Detalhe: as opções não são negociadas na data de vencimento, mas como dito, os compradores podem exercê-las. Ainda não ficou claro? Segue o fio.

Calls e Puts

A B3 disponibiliza dois tipos de opções, de compra e de venda. As opções de compra (carinhosamente chamadas de calls) nada mais são do que um contrato que da direito ao comprador de comprar o ativo subjacente a determinado preço (strike) até determinada data (vencimento) do lançador das opções. Exemplo:
Comprei 100 opções de compra VVARH250 por 0.06 reais cada (n ta fácil pra ngm kkk). O strike dessa opção é de 25 reais e o vencimento em 17/08. Portanto, até o dia 17/08 eu tenho o direito de exercer a opção de compra de VVAR3 por 25 reais. Se VVAR3 ir pra 27 reais, eu ganho 27 - 25 - 0.06 = 1.94 por ação. O cara que me vendeu tomou no cu.
As opções de venda, conhecidas como puts, dão o direito ao comprador de vender o ativo subjacente a determinado preço até certa data. Exemplo:
https://preview.redd.it/305fuoz6rlf51.png?width=639&format=png&auto=webp&s=a99a1311da6f3da20c0149f47c198f9496976d69
Comprei VVART190 por 0.59 reais. O strike da opção é 19. Ao comprar a put eu tenho o direito de vender VVAR3 por 19 reais até a data de vencimento 17/08. Se VVAR3 vai pra 17 reais, eu tenho o direito de vender por 19, ganhando (19 - 17 - 0.59) por ação.
https://preview.redd.it/xzg6kez1rlf51.png?width=631&format=png&auto=webp&s=97934355c93464fa1aebe18177b830286aad6024

Como são precificadas

São vários os métodos de precificação. Além do tarô, dardos e chutômetro, uma forma conveniente de precificação é Black-Scholes. Que porra é essa? Se você pensou que fosse uma marca de vape: vntc. É um modelo de precificação de opções. Ele assume uma série de premissas (algumas não tão válidas) na precificação das opções, mas servem como base e é amplamente utilizado pelo mercado.
O valor de uma opção depende de basicamente 5 fatores: i) tempo restante até o vencimento; ii) o preço do ativo hoje; iii) o strike; iv) risk free; v) volatilidade.
E ai doente, como eu uso isso? Você pode colocar as fórmulas no excel ou usar alguma calculadora online para calcular pra você o preço justo de uma opção, por exemplo.
Nem sempre (ou quase nunca) o preço de uma opção vai ser igual ao valor que você vê no seu HB. Por quê? Porque seu preço depende de outros fatores. Você quase nunca quer compravender um ativo pelo seu valor justo. Se você está comprando, quer mais barato, vendendo, quer mais caro. Simples.
Quando a realidade não se encaixa no modelo você altera o que? A realidade, obviamente. O único parâmetro não consensual é a porra da volatilidade do ativo. Quanto maior a volatilidade, maior será o preço da opção. E é ai que entra a volatilidade implícita, conhecida como IV (não é um quatro, seu animal). Para um dado preço de opção, podemos encontrar qual a volatilidade que estão usando para precificar, por isso implícita.
Você "paga caro" uma opção, se a IV dela estiver muito acima da volatilidade que você espera. As duas opções usadas como exemplo estão com IV próximo de 70% anualizado. Zoadasso.

As Gregas

Infelizmente não estou falando das loirinhas. As Gregas, como são conhecidas, são medidas de sensibilidade do preço da opção em relação a alguns fatores. Assumindo que a opção é precificada utilizando BS, elas podem ser calculadas facilmente.
Delta: a amante, as vezes ajuda e as vezes te fode. Nada mais é do que a sensibilidade do preço da opção em relação ao preço do ativo subjacente. Exemplo. Se a ação subiu 10 centavos e a opção de compra subiu 5, seu delta é 0.5. Ao comprar um ativo ou uma opção de compra, você está delta positivo. Ao comprar uma put ou shortear um ativo, você está delta negativo.
Gamma: a Sogra. É a segunda derivada em relação ao preço do ativo subjacente. Como assim, nem sei o que é derivada porra? Basicamente diz o quão estável é o delta dessa opção.
Vega: a namorada. A segunda grega mais importante, na minha opinião. Ela mede o quanto varia o preço da opção com uma varição em sua IV. Ou seja, se todos os fatores permanecerem constantes, mas houver um aumento da IV, o preço da opção sobe.
Theta: a esposa. A greguinha mas comedora de cus. Ela mede o quanto varia o preço de uma opção com o passar do tempo. Inimiga dos comprados e é bem fdp... pergunta pra quem encheu o cu de call de cogna semana passada kkk #Caféco #M #Ferri #CVM
Rho: o Haddad, um poste indiferente. Uns dizem que tem efeitos, outros dizem que não. De qualquer forma, mede a sensibilidade em relação a taxas de juros.
submitted by inv3stbr to farialimabets [link] [comments]


2020.07.23 10:24 diplohora Bruno Rezende : meus estudos para o CACD Parte III – A PREPARAÇÃO INTRODUÇÃO pt 6 Quantas horas devo estudar por dia?

Quantas horas devo estudar por dia? Quantos meses/anos são necessários para a aprovação? Acho que todo mundo já deveria saber isso, mas sempre vejo essa pergunta em fóruns na internet. É óbvio que não existe “receita de bolo”. Se alguém falar “estudei duas horas por dia” ou “estudei quinze horas por dia”, isso n~o quer dizer nada. Se você estudar o que n~o deve, pode ficar um ano inteiro com quinze horas ininterruptas diárias de estudos que não adiantará muita coisa. Eu, mesmo, nunca cronometrei e nunca parei para pensar direito sobre quantas horas eu estudava por dia. O que importava, de fato, era ter conseguido render bastante, e isso não se mede em horas de estudo, em páginas lidas, em exercícios feitos ou em livros resumidos. Para quem tem problemas de concentração ou mora com a família, por exemplo, pode ser aconselhável estudar em uma biblioteca ou em uma sala de estudos (de cursinhos preparatórios, por exemplo). Como morava sozinho em Brasília e consigo me concentrar facilmente, estudei em casa mesmo (apesar da maldita reforma do revestimento externo do bloco exatamente em frente à minha sacada, que começou semanas antes da primeira fase e durou até depois do fim do concurso, com barulho de furadeira, com rádio ligado no volume máximo e com pedreiro gritando o dia todo).
Não vou fazer propaganda contra ou a favor de nenhum cursinho. Em vários sites e blogs e nos grupos do Facebook e do Orkut informados acima, há bastante informação sobre dinâmica de cursinho, professores recomendados etc. Falando da utilidade dos cursinhos de maneira geral, é, obviamente, tudo muito relativo. Depende de sua familiaridade com a matéria e de sua facilidade de aprendizado. Muitas vezes, se você estudar sozinho, aprenderá mais e ganhará mais tempo que fazendo cursinho, especialmente para a primeira fase (além de economizar dinheiro, já que os preços dos cursinhos não são, em geral, muito camaradas). Nada como sentar na cadeira e estudar, observando, sempre, alguns pontos mais importantes, como: temas de maior recorrência nos últimos concursos, temas contemplados no Guia de Estudos etc. Cuidado apenas com a segunda fase (para Redação, sugiro que todos façam, sim, curso preparatório).
A gente tende a achar que há algumas coisas que só aprenderemos no cursinho (macetes de prova, orientação teórica que a banca prefere), mas, por incrível que pareça, há alguns professores que, por mais que (às vezes) saibam a matéria, não conhecem bem as provas do concurso. Tive, por exemplo, um professor (bem recomendado por alguns) que falou tanta coisa errada, mas tanta coisa errada, que, quando fui revisar as anotações, acho que perdi mais tempo conferindo tudo e corrigindo todos os erros do que se houvesse apenas estudado sozinho. No fim das contas, desisti das anotações e ignorei-as por completo. Outro professor (também muito bem recomendado por algumas pessoas) dava a matéria muito superficialmente e mostrava desconhecer completamente o concurso, a banca e a própria matéria. No fim das contas, acabei abandonando a matéria no meio. É frustrante, principalmente, porque os cursinhos são, em geral, bastante caros.
Não adianta um professor saber bem a matéria (a propósito, nem todos sabem), é necessário conhecer as provas a fundo. Isso significa não apenas saber todas as questões da primeira e da terceira fases dos últimos concursos ou todos os Guias de Estudos de cor, mas também, especialmente para a segunda e para a terceira fases, experiência tanto com relação às preferências acadêmicas da banca quanto com relaç~o { “jurisprudência” das correções. Esta última habilidade só se adquire vendo muitos espelhos de prova e recursos (deferidos e indeferidos). Como os espelhos de prova não têm vindo com marcações (você recebe apenas a nota nas questões, sem nenhuma marcação ou comentário), acho que, pelo menos, o estudo detido dos Guias de Estudos anteriores já é um passo importante.
Há, sim, alguns professores muito bons que valem cada um dos muitos centavos que você paga pela aula, mas meu alerta é: não se deixe levar por preço (já vi gente fazendo matérias em alguns cursinhos, sem sequer saber se os professores eram bons ou não, apenas porque era mais barato), por aulas experimentais (em um dos casos que eu citei acima, eu achava as primeiras aulas excelentes; só depois fui perceber o tanto de “abobrinha” que ele falava e o tanto de datas, de informações e de argumentos errados que ele passou) ou por fama do cursinho. Procure, sempre, onde quer que seja, informações sobre o professor (e, de preferência, com mais de uma indicação). Não vou falar de quais gostei e de quais não gostei porque acho que este não é o meio adequado para isso, mas, caso você não conheça alguém que já tenha feito algum cursinho, procure em fóruns na internet e nos grupos do Facebook e do Orkut indicados acima, sempre há alguma coisa útil (encontrei várias informações que estava procurando de professores em diversos cursinhos).
Para quem pensa em mudar-se para Brasília, por exemplo, para fazer um curso preparatório, as maiores dúvidas são, frequentemente, relativas ao custo de vida e à relação custo-benefício de morar na capital. O aluguel de imóveis em Brasília não é dos mais baratos (consulte, por exemplo, http://www.wimoveis.com.bdf), o que, somado aos preços um pouco “salgados” de alguns cursos preparatórios, pode implicar altos gastos. Como eu já morava na cidade antes de iniciar a preparação para o CACD, não sei se há alternativas de moradia mais próxima a algum dos cursinhos (são quase todos bem distantes um do outro). Sei que o curso O Diplomata oferece aluguel de apartamentos, mas não sei como funciona direito [informações: (61)3349-0311]. Acho que boa parte das pessoas que optam por mudar-se para Brasília tem diversos objetivos: concentrar-se mais nos estudos (o que pode ser difícil em uma casa com os familiares, por exemplo), ter acesso aos cursos preparatórios, conhecer outras pessoas que estão estudando para o CACD etc. Não foi meu caso, pois já morava em Brasília anteriormente, portanto não posso dizer se acho que, realmente, vale a pena por esses motivos. De todo modo, na comunidade “Coisas da Diplomacia”, no Orkut, j vi diversos comentários a respeito. H, também, o grupo do Facebook “Moradia – IRBr”, voltado para a discussão desses assuntos: http://www.facebook.com/groups/168135273239644/.
Principalmente para aqueles que não conhecem muita gente que também está se preparando para o concurso, o ambiente de cursinho pode ser interessante, para conhecer outras pessoas que estão na mesma situação que você e que podem contribuir com algumas dicas e sugestões úteis para a preparação. De todo modo, se você for daqueles que preferem estudar sozinhos a gastar tempo e dinheiro indo para o cursinho, ótimo! Para a primeira fase, eu diria que o cursinho pode ser, se você tiver boas orientações, disciplina de estudos e/ou boa bagagem de conhecimentos, dispensável.
Quanto à segunda fase, considero quase indispensáveis os cursos de Redação Português. Acho muito difícil alguém conseguir passar na segunda fase, se não houver feito cursinho preparatório. Há, obviamente, alguns casos de que já ouvi falar, mas são a minoria. Não vou falar sobre o já batido tema das idiossincrasias da banca da segunda fase, mas, mesmo quanto a coisas que não são “frescuras” da banca, achei muito bom o tanto de coisas (sobre Português de uma maneira geral) que aprendi no cursinho preparatório para a segunda fase. Desde os anos de colégio, sempre fui cético quanto à eficácia das aulas de Redação, mas devo admitir que valeu a pena: é inegável que a escrita melhora muito (nos padrões requeridos pela banca) com o cursinho. Se é necessário fazer um curso regular, que dura vários meses, ou se basta só o intensivo, às vésperas da segunda fase, depende de cada um. Acho desnecessário dizer que fazer cursinho também não é garantia de nada. Fiz tanto o curso regular quanto o curso intensivo e não me arrependi.
Com relação à terceira fase, também acho o cursinho muito importante. Em primeiro lugar, porque alguns professores realmente levam o trabalho a sério e ficam alucinados, procurando tudo o que os membros da banca têm estudado, escrito etc., e isso rende bons frutos, como alguns professores que acertam algumas questões que serão cobradas nas provas da terceira fase. Em segundo lugar, ainda que alguns professores não acertem muitas questões (o que não é uma tarefa muito fácil), a oportunidade de treinar a resolução de questões é fundamental por dois motivos: aprender a escrever na forma requerida pela banca e conseguir controlar o tempo de resolução das questões. Muitas pessoas têm problemas com o tempo para algumas provas da terceira fase (especialmente, para as provas de História do Brasil, de Geografia e de Política Internacional, que são as mais extensas). Não tive grandes problemas com isso e consegui escrever e revisar todas as questões de todas as provas, mas sei que muitos mal têm tempo de terminar de escrever.
Dito isso, já adianto: para essas três provas, é impossível fazer rascunho. Se você fizer, é muito provável que não conseguirá passar a limpo no tempo estabelecido. Para as provas de Direito e de Economia, não diria que é impossível (o número de linhas é menor, logo há tempo de sobra, pelo menos foi assim comigo), mas também considero desnecessário. No CACD, fiz rascunho apenas das provas de Português, de Inglês, de Francês e de Espanhol (em todas, sobrou algum tempo, mas não muito, após as revisões), pois são provas que eu alterava muito depois da redação inicial, trocava frases, palavras etc. Eu já sabia disso por causa de minha experiência com a resolução de questões no cursinho preparatório para a terceira fase, razão pela qual estive, sempre, atento ao relógio, para não perder tempo. Para todas as demais provas, o que se recomenda é, no máximo, um esquema inicial dos principais tópicos a ser discutidos nas questões, como um “brainstorming”. N~o fiz esse esquema em quase nenhuma questão, porque funciono melhor escrevendo direto, mas reconheço que nem todo mundo consegue fazer isso. Alguns podem preferir, ao menos, um momento de reflexão inicial, para fazer um esquema mental dos tópicos que serão desenvolvidos na questão, mas também não consigo fazer isso. A vida inteira, escrevi sem pensar, e deu certo. Não tive grandes problemas com isso no CACD, mas já alerto que não aconselho isso a todos. Muitos não conseguem manter o raciocínio, se não houver um planejamento a ser seguido, e acabam perdendo- se no meio da questão. Cuidado!
Conhecer os concursos anteriores é fundamental por várias razões. Não apenas para saber o que já foi objeto de cobrança, o que mais se repete, o que está ausente há algum tempo (e pode ser, eventualmente, trazido de volta), mas também para entender a lógica de formulação das questões em função dos contextos internacionais recentes, por exemplo. Isso é mais útil para a prova de Política Internacional, as demais não são tão influenciadas por acontecimentos recentes dessa maneira (Geografia e Economia também podem levantar alguns tópicos mais ou menos em voga, em face do que aconteceu em suas respectivas áreas nos meses anteriores ao concurso, mas não é uma regra tão forte quanto em Política Internacional).
Com relação aos conteúdos a ser estudados, atenção especial aos aniversários (10, 20, 30, 40... anos) dos principais tratados, organizações internacionais, acontecimentos marcantes etc., que costumam ser objetos de questões de Direito e de Política Internacional na primeira fase (na terceira fase, também podem ser cobrados, mas com menos frequência; em 2011, os cinquenta anos da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas foram lembrados em uma das questões). Visitas presidenciais a países mais importantes e visitas de chefes de Estado de outros países ao Brasil (destaque para EUA, China, Índia, Argentina...) no ano da prova, por exemplo, podem ser indícios de que poderá haver alguma questão nesse sentido. Obviamente, tudo isso não é regra (a pedra mais cantada de 2011, que foram os 20 anos do MERCOSUL, não apareceu em nenhuma questão da terceira fase; de todo modo, as relações com a Argentina, destino da primeira viagem presidencial de Dilma Rousseff, foram tema de questão da prova de Política Internacional).
Para a quarta fase, não há muito mistério. A cobrança de Francês e de Espanhol é bem básica, e conhecimentos de nível intermediário nos dois idiomas podem garantir uma nota razoável. De todo modo, vale observar que, nos últimos concursos, a quarta fase tem tido um peso enorme para a colocação final (especialmente, para as últimas vagas). Dessa maneira, confiar nos aprendizados de última hora de Francês e no Portunhol pode custar-lhe caro. Não recomendo deixar para estudar as duas línguas apenas após a segunda fase (como já vi que muita gente faz). Se você nunca estudou Francês e/ou Espanhol, recomendo começar um pouco antes (professores particulares podem ser mais úteis nesse caso, uma vez que você não precisará de atenção excessiva à conversação e à compreensão auditiva, como ocorre em muitos cursos em grupo). É difícil dizer quantas aulas ou meses são necessários, pois isso, obviamente, depende do rendimento e da facilidade de cada um.
De qualquer maneira, as provas não têm nada de complicado: não é necessário dominar os dois idiomas perfeitamente, as provas são instrumentais (leitura e compreensão de textos). Na prova de Espanhol, tive certo problema com algumas questões pontuais sobre o texto que poderiam ser respondidas em menos de uma linha (há previsão de mínimo de três linhas, máximo de cinco, sem copiar do texto), ou que não estavam, diretamente, no texto. Optei pelo tradicional método da “enrolaç~o”. Adicionei informações que não estavam sendo pedidas, só para conseguir escrever todas as cinco linhas. Em Francês, não tive grandes problemas com isso, a prova estava mais tranquila nesse aspecto. As duas correções foram pesadas, e notas acima de 40/50 foram raridade.
submitted by diplohora to brasilCACD [link] [comments]


2020.07.16 16:29 fobygrassman ESPOSAS INSATISFEITAS SÃO MELHORES QUE GAROTAS DE PROGRAMA

ESPOSAS INSATISFEITAS SÃO MELHORES QUE GAROTAS DE PROGRAMA
Esposas infiéis são mais duradouras, limpas e autênticas do que garotas de programa
Esqueça garotas de programa transando nunca foi tão fácil! De uma dona de casa traidora real.
As mulheres casadas NÃO estão procurando relacionamentos, elas já estão nelas, estão procurando parceiros discretos e divertidos para reacender e explorar sua sexualidade.
As garotas de programa estão sempre procurando extrair mais dinheiro de você. Você nunca sabe com quem eles acabaram de fazer sexo e isso torna impossível também fazer sexo apaixonado com eles.
Quantas vezes você ficou com tesão e decidiu pedir uma garota de programa? Então, depois de ter um encontro decepcionante, lamento totalmente gastar tanto em ganhar pouco!
Sempre que você liga para uma garota de programa, está jogando. Jogando com sua saúde e com sua experiência.
Ela será parecida com as fotos dela?
A mesma garota das fotos vai aparecer?
Ela será anti-higiênica?
Ela será hostil?
Ela vai tratá-lo com um mau atendimento ao cliente?
Eu sei o que você está pensando,Eu sei o que você está pensando,
MAS AS MENINAS DE CHAMADA SÃO MUITO MAIS SIMPLES!
Não é verdade!
Sim, uma garota de programa fica a apenas uma ligação, mas toda vez que você a vê, paga. Você paga com dinheiro suado. Pense em quanto tempo você precisa trabalhar para pagar por uma garota de programa.
10 horas?
20 horas?
Portanto, nenhuma garota de programa não está a um telefonema de distância, elas têm +10 horas de trabalho E uma ligação de distância.
Além disso, as garotas de programa não se importam com você ou precisam de você.
Depois de conhecer uma esposa realmente insatisfeita e dar a ela a atenção que lhe falta, você experimentará a diferença entre uma garota de programa e uma mulher de verdade.
Esposas insatisfeitas são gratas por encontrar um homem que possa agradá-las!
As esposas infiéis têm todos os benefícios e nenhum dos problemas das garotas de programa:
Conhecer as preferências sexuais do seu parceiro = melhores experiências sexuais
O envio de mensagens maliciosas acelera sua semana de trabalho;)
Verdadeira paixão e emoção de ambos os parceiros!
Limpo, Seguro e Legal.
Não constantemente tentando manipular você.
A verdade é que as mulheres ficam excitadas quando estão se escondendo e tendo encontros secretos. Esposas insatisfeitas querem ser suas garotas de programa pessoais, mas elas precisam de um pouco de incentivo e você precisa incentivá-las de uma maneira elegante e elegante.
Você não pode tratar mal as esposas infiéis da maneira que pode com uma garota de programa, mas elas também não o tratam mal como uma garota de programa. Eles não vão contar o relógio quando estão com você.
Se você acha que encontrar uma mulher casada sozinha é ainda mais difícil, pense novamente.
Você não pode ser um idiota e acha que atrairá uma mulher casada para ser sua garota de programa pessoal.
De fato, existem dicas e truques para encontrar um o mais facilmente possível aqui >>
Siga estas etapas simples e você encontrará uma esposa insatisfeita e fará dela sua garota de programa pessoal em menos de uma semana.
VOCÊ PRECISA SE INSCREVER NO ASHLEY MADISON SE QUER ENCONTRAR MULHERES INFELIDAS
E lembre-se de que você pode repetir essas etapas e encontrar uma nova esposa traidora sempre que quiser!
  1. Tire uma boa foto de si mesmo. Não precisa incluir seu rosto, pode ser discreto. Muitos perfis em ashley madison não têm fotos de rosto públicas (geralmente em sua galeria de fotos particular). Esta imagem pode ser do seu corpo ou você de fato bem ajustado (sem o rosto).
  2. Escolha um nome de usuário atraente! Esta é a primeira coisa que as mulheres veem depois da sua foto. Escolha algo descritivo ou divertido.
  3. Destaque sua necessidade de discrição. Isso aliviará as preocupações das mulheres sobre sua própria discrição.
  4. Crie uma mensagem de introdução bem pensada que você possa enviar para muitas mulheres.
  5. Torne sua galeria privada irresistível. É aqui que você inclui suas melhores fotos.
  6. Configure uma data discreta!
Traindo esposas vs garotas de programa Todos nós procuramos garotas de programa no google. Mas existe uma enorme lacuna entre ponderar e pesquisar na web a sua garota de programa mais próxima. Existem vários, mas eles são extremamente estigmatizados - por razões óbvias. Garotas de programa não são para todos, mas o sexo certamente é. Por isso, seria melhor encontrar uma alternativa para garotas de programa. Criamos um substituto para as garotas de programa, para aquelas que estão interessadas em saber como a alternativa funciona. Espero que minha experiência e discernimento possam lhe dar uma ou duas coisas para questionar, e talvez até abrir você para garotas dispostas a dormir com você gratuitamente! Por que você deve procurar alternativas para escoltar serviços? Se você ouvir alguém se gabar de uma escolta, precisará sentar esse homem e ter um momento de clareza. Mas deixe esse argumento de lado, posso escrever um romance inteiro para você. Deixe-me começar com algumas dicas. As acompanhantes são desassociadas Não é incomum pagar por sexo, mas é ilegal na maioria dos países e ajuda uma indústria bastante cruel a tirar vantagem de membros da sociedade desprovidos de frustração. Acompanhantes NÃO GOSTAM DE VOCÊ Este é o meu argumento número um por não dormir com acompanhantes. Eles não teriam dormido com você se você não pagasse. Eles não gostam necessariamente do sexo ou querem vê-lo ligado. Geralmente é por isso que gosto de sexo - porque me excita vê-la gostosa e gostosa quando ela olha para mim. Acompanhantes não são higiênicos Os acompanhantes dormiram com toneladas de homens. Pense em quantos homens a garota de programa que você está vendo dormiu naquele DIA! Se você vir uma garota de programa ou uma acompanhante às 20h, provavelmente já dormiu com pelo menos dois homens antes daquele dia. Imagens falsas As acompanhantes raramente aparecem em suas fotos. Você tem sorte se a mesma mulher aparecer. Você pode dizer que isso também pode acontecer em um site de namoro ou em uma sala de bate-papo para adultos, mas eu diria que a probabilidade de ser "pescada" por uma mulher em um site de namoro é menor do que por uma garota de programa. A maioria das acompanhantes encontra-se com suas imagens. Com segurança Eles afirmam ser seguros e testados todos os dias, mas você nunca pode ter certeza. Isso significa que qualquer homem que não seja estúpido usará camisinha 100% das vezes que dorme com uma garota de programa ... e todos sabemos que preservativos não são divertidos.
submitted by fobygrassman to garotas_de_programa [link] [comments]


2020.06.15 06:08 JonasLogico Privacidade e Serviço

Ola meus queridos amigos juristas e redditors! Tenho uma dúvida um pouco técnica de direito e pensei em pedir ajuda aqui. Meu empregador paga VR Sodexo para mim e ele tem um contrato em que a Sodexo se compromete a disponibilizar meu saldo para mim. Porém, para isso, eu tenho que baixar e criar uma conta no SodexoClub. O problema são os termos de privacidade, separei algumas coisas que eu acho muito problemáticas:
1) não se responsabilizam por vazamentos
A SODEXO não se responsabiliza:
Por qualquer dano direto ou indireto ocasionado por eventos de terceiros, a exemplo, mas não se limitando a ataque de hackers, falhas no sistema, no servidor ou na conexão à internet, inclusive por ações de softwares que possam, de algum modo, danificar ativos físicos ou lógicos ou a conexão dos USUÁRIOS em decorrência do acesso, utilização ou navegação em nossas PLATAFORMAS, bem como a transferência de dados, arquivos, imagens, textos, áudios ou vídeos contidos neste;
Os dados que as PLATAFORMAS poderão coletar incluem, mas não se limitam a:
Sendo pessoa física: CPF, RG, data de nascimento, gênero, e-mail, números de telefones celular, endereço e senha;
2 - podem mudar a qualquer momento sem notificação
"O USUÁRIO está ciente e autoriza expressamente que a SODEXO realize, quando necessário, o enriquecimento da sua base de dados, adicionando informações oriundas de outras fontes legítimas, o qual manifesta consentimento expresso ao concordar com o presente Termo. "
3 - coletam até a sua GEOLOCALIZAÇÃO
"Dados sobre o dispositivo utilizado pelo USUÁRIO, em especial: versão de sistema operacional, geolocalização e outros aplicativos instalados, se necessário; "
Pergunta: eles podem fazer um contrato absurdo desses? Eu não tenho direito nenhum a proteção dos meus dados se quero ver o saldo no site? Eles podem modificar sem me avisar? Eles podem não se responsabilizar por danos?
submitted by JonasLogico to ConselhosLegais [link] [comments]


2020.06.12 19:08 BOT_Loki Vender mota a particular

Edit: Problema resolvio (ver final do post). Obrigado a todos que responderam.
Boas,
Eu quero vender uma mota e é a primeira vez que vendo um veículo.
Já tenho comprador interessado e tudo acordado entre nós contudo tinham-me explicado que o ato de venda consistia em eu e o interessado irmos ao registo e eles tratavam-me da papelada e saia da porta com a mota já no nome dele.
Contudo o interessado diz-me que so tem disponibilidade aos fim de semanas por isso a única coisa que pode fazer é assinar uma declaração de venda (primeira vez que ouço falar neste documento), ele paga-me e fica com a mota e quando eu puder vou ao registo sozinho.
Eu tenho receio que isto seja uma jogada e de alguma forma e que me vá lixar dado que vou deixar a mota em nome de outra pessoa enquanto não for ao registo com o documento. Não é muito dinheiro em jogo e prefiro não ter um desconhecido ter um acidente com a mota enquanto em meu nome.
Alguém que tenha passado por este processo de vender um veículo pode-me dar algum descanso e explicar se é seguro ir para a frente com isto?
Obrigado! E qualquer sugestão é bem vinda.
Edit para esclarecer: Eu é que ficaria com a declaração de venda e já assinada por ele. Ele diz-me que este documento tem duas semanas de validade e que serve como prova do ato.
Edit depois de problema resolvido:
TL;DR: A não ser que seja em último recurso e tenham bastante confiança na outra pessoa, NÃO vendam veículos (seja carro ou mota) desta forma. Este tipo de negócio vai ser tão seguro quanto emprestar a mota a um desconhecido. Eu não volto a repetir.
A data do meu voo para fora do pais estava próxima e queria tratar disto tudo antes disso. Essa era a única razão para sequer considerar fazer isto desta forma em vez de esperar por outro comprador que tivesse disponibilidade durante a semana.
Depois de ter feito este post, falado mais vezes com o comprador, ter parado em alguns stands de venda de automóveis aleatórios para perguntar a mesmo pergunta que fiz neste post, falado com um solicitador e ligado para a PSP da minha zona... ninguém me soube responder com confiança. Quase todos me deram respostas diferentes.
Ainda assim aceitei tratar das coisas desta forma com este comprador dada a confiança que ganhei na pessoa (ainda assim corria um risco - quem vê caras não vê corações), mas não houve problemas e o comprador não passou numa zona escolar a atropelar todos os menores em vista e também não fez nenhum drive by numa esquadra da polícia (o meu medo lol) por isso não tive problemas.
Algumas coisas que espero poder esclarecer a alguém que encontre este post no futuro: - O seguro do veículo tem de estar no mesmo nome do proprietário. Por isso, caso façam a troca de dinheiro/mota ao fim de semana, e ate uma pessoa ir ao registo, a pessoa em que o veículo/seguro esta e que vai ser responsável por acidentes/multas/crimes que o comprador cometa nesse tempo. - Não deixam-te cancelar o seguro so por dizer que vendeste a mota. Tens de enviar o comprovativo que iras receber no registo. - Transferências bancarias podem ser canceladas de várias formas por isso não confies apenas num comprovativo de uma transferência como pagamento. - Fica SEMPRE com pelo menos uma cópia de todos os documentos envolvidos (isto não se aplica a este caso apenas claro).
submitted by BOT_Loki to portugal [link] [comments]


2020.06.03 05:22 gialmeidas sou babaca por não ter feito o namorado da minha “melhor amiga” dar uma aliança pra ela?

Oiiii Luba menor que 3, editores e turma que está a ver! Eu tenho uma amiga, vamos chamá-la de Laurs, que conheço praticamente desde que nasci, então sempre fomos muito amigas e por volta de 2015 eu e minha amiga Laurs estávamos numa super conexão, oh my god, tanto que pra mim era Maria no céu e Laurs na terra. E Laurs tinha um namorado, o Carls, que por ventura ficou muito meu amigo também. Eles começaram a namorar ela tinha 12 anos e todos os anos eu sempre ajudava os dois com ideias de surpresas e presentes, na maior boa vontade. Inclusive em um aniversário de namoro Carls me pediu ajuda pra ver o que Laurs queria ganhar e bolamos (eu) de fazer uma caixinha com doces, fotos e uma cartinha em forma de pergaminho. Beleza, Carls super adorou e disse “nossa eu to tão ocupado, se você puder ir comprar a caixa, os doces e revelar as fotos pra mim seria ótimo! Eu faço o texto” Num primeiro momento eu fiquei tipo “nossa, simmm super vou sem problemas” (pq eu era idiota) Mas hoje penso “????? Gente tudo bom? A namorada é sua você q tem q ir comprar” Enfim, comprei. No outro dia ele foi lá em casa entregar a carta, daí eu fui dar a caixa pra ele.. Carls disse “então.. não tem como você deixar amanhã na casa dela? É q estou muito corrido” E então no outro dia eu deixei lá, a caixa montada por mim e paga por mim também, pois ele não me pagou até hoje (56 reais). Enfim, a partir daí que entramos na real história.
Seguindo ali por 2015, acho que era aniversário de 5 anos de namoro e Laurs já havia comentado que achava uma data super importante e marcante que deveria dar um passo a mais na relação.. decidiu então que queria ganhar uma aliança e para isso eu teria que falar isso para Carls.
“Então amiga eu quero uma aliança, já tá na hora sabe e como você sempre ajuda o Carls também então nada mais justo do que você fazer ele me dar uma” E eu fiquei tipo “ahh tudo bem..” e fui falar com ele. “Oi Carls, tudo bem? Então o que tá pensando em dar de 5 anos de namoro hein? Data importante né rsrs” Carls disse “ah eu nem tive tempo pra pensar, algo simples mesmo” Daí eu falei que a Laurs tava querendo uma aliança e que ele poderia pensar nessa possibilidade, então ele falou beleza e ficou por isso mesmo. Alguns dias se passaram e Laurs veio me cobrar “e aí? O Carls vai me dar uma aliança né? Pq se ele não me der uma aliança eu vou terminar esse namoro. 5 anos já é tempo suficiente pra me dar uma aliança, você pode falar pra ele me dar uma aliança você tá entendendo né???” E eu fiquei tipo, tá né espero que ele dê isso. Fui falar com ele pela segunda vez. “Oi Carls, pensou no que eu te falei? Sobre o presente..” e então Carls disse “é pensei, acho que aliança não, muito caro e nem to com tempo pra comprar” Quando ele falou eu só pensei, então é isso gente um bom dia pra vocês pq eu tomei no **. Daí eu disse “sério Carls?? Assim, como sua amiga e como amiga dela eu queria te pedir pra pensar mais um pouco nisso e tal, acho um momento importante.. mas vai me falando no que tá pensando” ele disse beleza e de novo ficou nisso. Mais alguns dias se passaram e ela me cobrou mais uma vez “EU ACHO BOM ELE ME DAR UMA ALIANÇA, pq ele tá achando q eu sou alguma vagabunda??? Eu to falando sério, se ele não me dar eu vou terminar!” Gente o que era pra eu fazer? Comprar a aliança pra assegurar que ela ia ter uma? Pq pelo namorado parece que ela não ia ter né, tudo bom. (Desculpa minha mania de falar tudo bom e bom dia, é costume kkkkkkk) Enfim. Mais uma vez fui falar com o Carls “Oi!! E aí, alguma novidade? Pensou melhor?” Ele respondeu “oi!! Pensei sim, não vou dar a aliança mesmo não, vamos ver outra coisa” Ai eu desesperei, falei “Carls tem certeza? Eu não sei nem como te falar isso.. pelo amor de Deus nem fala pra Laurs, mas ela quer muito essa aliança e até me disse que.. eu não podia nem te falar isso, mas eu não sei mais o que fazer.. ela até me disse que terminaria se não ganhasse uma aliança. Eu gosto e torço muito por vocês, será mesmo que não tem como dar a aliança?” Foi aí que eu recebi apenas um “visualizado” e não respondido. Fiquei sem entender, mas continuei a viver o meu dia.
Horas depois Laurs me liga “COMO ASSIM VC foi falar com o Carls que eu queria uma aliança??? Você não podia ter feito isso!! O que você foi falar pra ele?? Agora ele tá te xingando toda! Falando que você acha que sabe o que é melhor para o nosso relacionamento!! Como você pode?!” Eu fiquei sem reação, sem entender. Pq ela desde o começo que pediu pra eu falar com ele e me cobrou quase todo dia que ela ganhasse essa aliança. Eu ainda escrevi um super texto pra ele pedindo desculpas por me intrometer no relacionamento deles e tudo mais, mas ele nunca me respondeu e desde então não fala ou olha na minha cara. No aniversário dela quando ele me viu lá fez questão de ir embora e causou o maior climão, foi péssimo. Desde então me afastei bastante da Laurs e foi a melhor coisa que eu fiz, pois percebi o quanto essa amizade era tóxica.
Ainda assim, fui babaca? Afinal ela não conseguiu a aliança..
submitted by gialmeidas to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.15 20:11 mechanical_fan Vamos discutir o caso da Suécia /r/brasil.

Então, faz um tempo que eu vejo posts aparecendo no reddit em geral discutindo sobre o que acontece na Suécia e qual o objetivo do governo (sem praticamente nenhum tipo de base), então decidi fazer um post pra tentar esclarecer algumas coisas. Vou colocar fontes em sueco (e uma em norueguês), mas o translator faz um trabalho quase perfeito de tradução sueco-inglês (e provavelmente português) se alguém quiser ler.
Primeiramente, o governo sueco basicamente não decidiu nada diretamente. Ele simplesmente conversou entre os partidos no parlamento e eles decidiram que vão seguir o que o ‘epidemiologista chefe’ Anders Tegnell (que tem o cargo desde 2013 e trabalha na parte pública com doenças comunicáveis desde 2005) e a “Agência de Saúde Pública” (Folkhälsomyndigheten) falarem. A decisão é o mais técnico que pode ser, sem interferência nenhuma de politicagem ou economia. É literalmente proibido na constituição o governo interferir nas decisões dessas agências técnicas:
The Swedish constitution prohibits ministerial rule and mandates that the relevant government body, in this case an expert agency – the Public Health Agency – must initiate all actions to prevent the virus in accordance with Swedish law, rendering state epidemiologist Anders Tegnell a central figure in the crisis. The government usually follows agency advice – politicians overruling the advice from its agencies is extremely unusual in Sweden –
Agora vamos discutir algumas peculiaridades nórdicas que (provavelmente) influenciaram as decisões (e modelos epidemiológicos) do Anders Tegnell:
Número de pessoas por residência: A Suécia tem, literalmente, o menor número de pessoas dividindo uma moradia no mundo. É também país onde as pessoas saem mais cedo da casas dos pais no mundo . Em anedota: eu não conheço ninguém com mais de 19 que more com os pais. Conheço uma moça que divide um apartamento com o irmão, e as pessoas já acham isso esquisito.
Sweden has the smallest average household size in the OECD. With fewer than 2 people (1.99) per household, it is well below the OECD average of 2.63.
(https://www.oecd.org/els/family/47710686.pdf)
Densidade populacional e tamanho de regiões metropolitanas: A Suécia é em grande parte vazia. A densidade populacional é praticamente a mesma do Brasil, mas com uma grande diferença: A população é bem mais distribuída em cidades de tamanho pequeno e médio que super concentrada em metrópoles. As maiores regiões metropolitanas têm 2.2m, 1m e 700k habitantes (Estocolmo, Gotemburgo e Malmö). Depois disso nenhuma passa de 500k (a maior é Motala-Linköping-Norrköping, com 450k) (https://sv.wikipedia.org/wiki/Sveriges_l%C3%A4n). As cidades em si também são pouco densas, prédios com mais de 6 andares são (muito) raros.
Pra ver um mapa de densidade populacional da Europa: https://i.redd.it/l83xfr216wv41.png
Hábitos da população e confiança no governo: Esse é um caso mais complicado de achar fontes já que é cultural, mas é uma população que já naturalmente não gosta de proximidade física a outras pessoas Essa é uma cena comum, mesmo sob forte chuva ou nevasca. Além disso a população tem alta confiança no governo e em seguir simplesmente recomendações desse sem necessidade de leis específicas para isso.
Sistema de registros e número de identidade: Isso é uma peculiaridade da Suécia. Mas eles tem o sistema de registros (registers) que é provavelmente o mais completo do mundo. Na verdade, é bem comum o governo sueco ser acusado e não dar privacidade nenhuma a população devido à quantidade de informação que eles constantemente coletam, tudo ligado ao seu número de identidade. Em anedota: Eu fiquei doente uns meses atras e fui no médico que me recomendou antibióticos, mas não me deu receita (em papel físico). Eu fui na farmácia, dei o meu cartão de identidade e o farmacêutico já sabia o que tinha acontecido comigo ao consultar no computador. A conta da consulta chegou por correio. O governo sueco coletou: quando eu fiquei doente, com o que, quem me atendeu e qual antibiótico (até a marca) eu comprei. O endereço ele já sabia. Na verdade, é bem comum em compra online você colocar seu número de identidade e o site auto completar seu nome, data de nascimento, endereço, telefone e email.
Número de mortos: A contagem é diferente de todos os países no mundo, mas é provavelmente a mais precisa e realista. Eles simplesmente cruzam as informações na base de registros deles e contam como morte por covid qualquer um que morreu até 14 dias depois de qualquer diagnóstico de covid. É bem comum nos outros países dependerem de hospitais/médicos reportarem diariamente e individualmente mortes por covid, alguns nem estão/estavam contando mortes em casas de retiro (UK, Italia, Espanha e Holanda). Na Noruega mesmo ainda é feito por telefone e eles mesmo comentam que os números seriam diferentes se fizessem contagem como a Suécia. Isso evita algumas dúvidas, por exemplo: se alguém tem alguma comorbidade como câncer e covid, a morte foi causada por qual? Alguns médicos podem colocar câncer, mas pro governo sueco é contado como covid, sempre. Se você morrer em um acidente de carro atropelando um alce 12 dias depois, também é morte por covid (é um problema real, a Volvo inclusive testa para isso).
Objetivo: Vamos acabar com algumas lendas urbanas aqui. Não é objetivo do governo sueco alcançar imunidade de rebanho. Também não é objetivo “preservar a economia”. O principal objetivo da “Agência de Saúde Pública” é simplesmente evitar que o sistema de saúde não seja sobrecarregado e ter uma política sustentável a longo prazo. Na verdade o Tegnell é bem pessimista sobre essas coisas:
Anders Tegnell, Sweden’s state epidemiologist who devised the no-lockdown approach, estimated that 40 per cent of people in the capital, Stockholm, would be immune to Covid-19 by the end of May, giving the country an advantage against a virus that “we’re going to have to live with for a very long time”.
“In the autumn there will be a second wave. Sweden will have a high level of immunity and the number of cases will probably be quite low,” Mr Tegnell told the Financial Times. “But Finland will have a very low level of immunity. Will Finland have to go into a complete lockdown again?”
“I don’t think we or any country in the world will reach herd immunity in the sense that the disease goes away because I don’t think this is a disease that goes away,” he added.
“It’s a big mistake to sit down and say ‘we should just wait for a vaccine’. It will take much longer than we think. And in the end, we don’t know how good a vaccine it will be. It’s another reason to have a sustainable policy in place.”
https://www.ft.com/content/a2b4c18c-a5e8-4edc-8047-ade4a82a548d
Ações do governo: Basicamente, fechou escolas de ensino médio, universidade, proibiu visitas em casas de retiro, agregações acima de 50 pessoas e o mais importante: Colocou uma série de recomendações de comportamento e informou toda a população (isso pode ser visto em (https://www.folkhalsomyndigheten.se/smittskydd-beredskap/utbrott/aktuella-utbrott/covid-19/). Decidiram não fechar escolas para não sobrecarregar quem trabalha no sistema de saúde e não arriscar que as pessoas peçam ajuda a familiares mais velhos:
According to the Health Agency, the main reasons for not closing schools was that as a preventive measure it lacked support by research or scientific literature, and because of its negative effects on society. They argued that many parents, including healthcare professionals, would have no choice but to stay home from work to care for their children if schools were closed. There was also concern for a situation where elderly people babysit their grandchildren, as they are of bigger risk of severe symptoms in case of infection. According to agency's estimations, closures of elementary schools and preschool could result in an absence of up to 43,000 healthcare professionals, including doctors, nurses and nurse's assistants, equalling 10 percent of the total workforce in the sector. In May, Tegnell said that the decision was right, as the healthcare system would not have managed the situation the past months if Swedish authorities had chosen to close elementary schools.
https://en.wikipedia.org/wiki/COVID-19_pandemic_in_Sweden#Strategy
Redução em horas. O governo sueco está cobrindo até 50% da redução em horas, ou seja, a empresa paga metade, e o governo cobre o resto e as pessoas só trabalham 50% também. Empregadores pequenos recebem algumas outras vantagens também.
O governo começou a cobrir pagamento de todos os dias de afastamento por doença e mudaram as regras sobre receber salário em caso de doença:
The 'karensdag' or initial day without paid sick-leave has been removed by the government and the length of time one can stay home with pay without a doctor's note has been raised from 7 to 21 days.
https://en.wikipedia.org/wiki/COVID-19_pandemic_in_Sweden#Finance_and_the_economy
Resultados: As pessoas seguem recomendação do governo? Sim. Por exemplo, na semana da pascoa, um dos maiores feriados na Suecia, as visitas para Gotland (um dos pontos de férias mais populares) caíram em mais de 90%. Åre (estação de ski) e o resto do país tiveram números similares.
As pessoas estão trabalhando de casa. Não consigo achar um valor recente para o país inteiro, mas essa fonte para Estocolmo está entre 70-80% dependendo do bairro (conforme classe social, como esperado). Eu pessoalmente só tenho um amigo que está indo pro trabalho fisicamente, mas ele é engenheiro em uma fábrica e está indo 2 vezes por semana. A Suécia é um país altamente digitalizado, tanto em acesso a internet e uso diario quanto ao tipo de industria. Isso facilita bastante. (de cabeça: Spotify, Ericsson, King, Paradox, Mojang, Klarna)
Houve também expansão da capacidade de UTI, no pico, por volta de 80% do sistema estava sendo usado. Mas o pico passou. Os melhores sites para ver o estado atual e histórico, na minha opinião são:
https://adamaltmejd.se/covid/
https://c19.se/en (clique na legenda para escolher o que quer ver e mudar escala - número de pessoas no hospital e em UTI/IVA tem caído faz duas semanas)
Teve problemas? Sim, teve muito problema nas casas de retiro:
He made the point that care homes in Sweden — like in the rest of the Nordic region — were for “the very old and the very sick”, as most elderly people live at home, and that there were known “quality problems” with care providers, often private companies.
“Unfortunately those quality problems have proven to make the elderly very vulnerable to infection,” Mr Tegnell said, adding that an investigation had begun.
https://www.ft.com/content/a2b4c18c-a5e8-4edc-8047-ade4a82a548d
Economia: Como eu comentei, isso simplesmente não é o ponto do governo sueco. Nunca foi. Na verdade, qualquer discussão agora é muito cedo, por razões óbvias. Vai ter artigo científico sendo escrito sobre cada país pelos próximos 10 anos. Mas a economia sueca é mais dependente de exportações de manufaturados que os vizinhos, por isso até mesmo esses pequenos pontos é dificil de comparar (de cabeça: Eletrolux, Volvo, Scania, IKEA, H&M). É simplesmente cedo demais. E quem está tomando a decisões não se importa com isso também. Ninguém espera salvar a economia nem coloca como objetivo.
“It is too early to say that we would do better than others. In the end, we think Sweden will end up more or less the same,” said Christina Nyman, a former deputy head of monetary policy at the Riksbank who is now chief economist at lender Handelsbanken.
One big reason is that Sweden is a small, open economy with a large manufacturing industry. Truckmaker Volvo Group and carmaker Volvo Cars were both forced to stop production for several weeks, not because of conditions in Sweden but due to lack of parts and difficulties in their supply chains elsewhere in Europe. Ms Nyman noted that despite being relatively little hit directly by the 2008 financial crisis Sweden’s economy still suffered more than many.
Ms Nyman said she believed that without the no-lockdown policy, Sweden would have been harder hit, as in 2008. “If we didn’t have these better circumstances, we would have done worse. Usually, we are more severely hit by a global recession,” she added. Economists at Swedish bank SEB estimate Sweden’s GDP will drop 6.5 per cent this year, about the same as the US and Germany, but a little better than Norway and ahead of 9-10 per cent falls in Finland and Denmark, all of which have had lockdowns.
But Mr Oxley stressed that Sweden was still dependent on demand and supply chains in other countries. “There’s only a limited amount of upside to being contrary when the rest of the world is doing the opposite,” he added.
https://www.ft.com/content/93105160-dcb4-4721-9e58-a7b262cd4b6e
TLDR: A estratégia da Suécia é diferente mas as intenções são bem diferentes do que as pessoas tem falado nesse sub. É sobre a economia (ou políticos)? NÃO. É a melhor estratégia? É cedo pra dizer. Eu recomendaria para o Brasil? NÃO. O Brasil: não tem capacidade nos hospitais, as cidades são imensamente mais densas, as pessoas moram com a família, gostam de contato físico e não gostam de seguir recomendação governamental.
submitted by mechanical_fan to brasil [link] [comments]


2020.04.17 21:11 rioomer Coronavírus, o sucesso dos tigres asiáticos, China, OMS e o Ocidente.

O SUCESSO DOS TIGRES ASIÁTICOS E DA MONGÓLIA NO COMBATE AO COVID-19
Em 31 de dezembro de 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi alertada sobre vários casos de pneumonia na cidade de Wuhan, província de Hubei, na República Popular da China. Desde então a organização veem fazendo esforços para um alinhamento global em resposta a pandemia.
Mas antes mesmo da OMS reconhecer o erro em declarar o cluster como de risco moderado, em 27 de janeiro, ou seja, 3 dias antes da organização declarar a situação como Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII), a Mongólia adotou o encerramento do deslocamento terra e ar com a China como medida de prevenção. Nesse mesmo dia Taiwan já estava a cruzar informações de duas bases de dados: o banco nacional de seguro de saúde que agrupa todas as interações dos pacientes com seu sistema de saúde e os dados de imigração, ação que permitiu o acompanhamento da evolução dos casos em tempo real 1 dia após essa decisão. A província separada da China também criou um formulário online para averiguar as ameaças e quem havia viajado nos últimos 14 dias para fora da área de risco, recebia um atestado de saúde para facilitar a volta ao país.
Outro caso de êxito é o da Singapura que foi um dos primeiros países a serem afetados pelo vírus e entre 5 de fevereiro de 2020 a 18 de fevereiro de 2020 foi o local com mais casos de Covid-19 fora da China e mesmo assim conseguiu se sobressair na crise do Coronavírus por conta das suas estratégias de identificar o maior número possível de casos usando métodos de detecção complementares, ampliar a capacidade de produção de testes em laboratórios e realizar a triagem de viajantes recebidos de Wuhan, que foi feita entre o dia 03 e 29 de janeiro de 2020.
Em Hong Kong, que tem divisa com a China as medidas também começaram a ser tomadas no dia 03 de janeiro de 2020. Seis das 14 entradas da China para Hong Kong foram fechadas, logo em seguida mais 5 também sofreram restrições e no início de fevereiro qualquer pessoa vinda da China tinha de ficar 14 dias em observação.
A Coréia do Sul também possui um número de casos e mortes relativamente baixo em comparação com as principais potências do mundo. Para o diplomata Chan Woo Kim, o sucesso se deve aos cidadãos que aderiram as medidas de higiene e distanciamento social. O que demonstra um nível cultural elevado em comparação a outros países.
EXPERIÊNCIA COM SARS
Não é fruto do acaso que os tigres asiáticos tenham sabido lidar com a pandemia do Covid-19. Em 2004, após a crise de Síndrome Aguda Respiratória Severa (SARS), o governo de Taiwan criou o National Health Command Center (NHCC), que é uma central de gerenciamento de crises formada por uma central de epidemias (CECC) forma por secretarias relacionadas a desastres biológicos e ações médicas em tempos de crise e atualmente tem tido um papel extremamente importante no gerenciamento da crise do Coronavírus. Um exemplo disso é uma lista de 124 ações produzida e implementada pelo CECC entre 20 de janeiro e 24 de fevereiro de 2020 contendo medidas como controle de fronteiras do ar e do mar, identificação de novos dados e tecnologia (Big Data), busca proativa de casos, localização de recursos e luta contra desinformação além de assistência a empresas.
Outra vítima bastante afetada pela crise do SARS em 2003, a Singapura também estabeleceu uma prontidão para incluindo planos baseados na avaliação de riscos, calibração das medidas de resposta e o Centro Nacional para Doenças Infecciosas (NCID), uma instalação de gerenciamento de doenças infecciosas construída para 330 funções clínicas, laboratoriais e epidemiológicas integradas.
No caso de Hong Kong para Nicholas Thomas, professor associado da Universidade da Cidade de Hong Kong, a experiência com SARS impactou a psicologia da cidade pois muitas pessoas já utilizavam máscaras e evitavam reuniões desde o início do surto.
E por fim a Coréia do Sul, que também enfrentou o SARS, também possui protocolos de prevenção e testagem bem definidos. O que dá uma vantagem no combate ao vírus e tem se mostrado efetivo nos casos dos países citados anteriormente.
USO DA TECNOLOGIA NO GERENCIAMENTO DA CRISE
O uso da tecnologia da informação no combate ao Coronavírus foi de extremo valor para a província de Taiwan que integrou sobre o seu sistema de saúde e imigração para análises gerando alertas em tempo real durante uma visita clínica com base no histórico de viagens e sintomas para ajudar na identificação do caso. Incluiu também a leitura do QR Code e relatórios on-line acerca do histórico de viagens e sintomas de saúde para classificar os riscos infecciosos dos viajantes com base na origem do voo e histórico de viagens nos últimos 14 dias.
CONCLUSÕES
O pioneirismo dos tigres asiáticos e da Mongólia está na sua antecipação a respeito da situação e deveria ter sido tomado de exemplo pelo ocidente desde o princípio da situação, afinal, são países próximos da China e com certeza possuem mais noção acerca da situação do que qualquer país ocidental, como é o caso da Mongólia que está geograficamente localizada acima do território Chinês, Hong Kong que é um território autônomo da China, Taiwan que está localizada a 180km ao leste dos chineses. Além de todos eles terem passado por surtos de SARS.
O fato é que enquanto os tigres asiáticos se antecipavam da situação, o Ocidente subestimava e não acreditava que o vírus chinês chegaria ao seu território. No Brasil o ministério da saúde informou por exemplo de que o carnaval não deveria ter sido cancelado por não haver comprovação de que o vírus circulava dentro do território, como se naquela época não existisse evidências suficientes para uma tomada de decisão preventiva. Trump também foi outro a subestimar a chegada do vírus no seu território. No dia 31/01 a porta voz da OMS disse numa entrevista em Genebra que a Organização Mundial da Saúde não recomenda restrições de viagens e comércio pois seria improdutivo e que incentivaria as viagens ilegais. A Itália em 25/02 insistiu em manter as fronteiras abertas e hoje paga o preço por isso.
Fato interessante é que tinha veículo da mídia dizendo que Taiwan sofria com proibição de voos e desinformação acerca do vírus chinês por estar fora da OMS. O tempo mostrou justamente o contrário: não se pode depender de órgãos internacionais formadores de consenso. Se realmente a OMS e o Ocidente estivessem preocupados com as vidas, recomendariam desde o princípio, lá em Janeiro, que medidas de prevenção fossem tomadas, o que evitaria não só o colapso no sistema de saúde mas também a recessão econômica que está por vir.
Fontes:
Saiba como Taiwan conseguiu parar o coronavírus usando a tecnologia: https://canaltech.com.bsaude/saiba-como-taiwan-conseguiu-parar-o-coronavirus-usando-tecnologia-161834/
Itália e países vizinhos manterão fronteiras abertas: https://agenciabrasil.ebc.com.binternacional/noticia/2020-02/coronavirus-italia-e-paises-vizinhos-manterao-fronteiras-abertas
Coronavirus na Mongólia: https://www.amicusmongolia.com/coronavirus-mongolia-update.html?fbclid=IwAR069gfixc2yEtZLaNo-2pKSZfHS77nLgFAuV9pt8qomnA_kQWU_Ui3gzsg
Fora da OMS, Taiwan enfrenta proibição de voos e desatualização sobre vírus: https://noticias.uol.com.bultimas-noticias/reuters/2020/02/03/fora-da-oms-taiwan-enfrenta-proibicao-de-voos-e-desatualizacao-sobre-virus.htm
OMS considera improdutivo fechar fronteiras contra o coronavírus: https://noticias.uol.com.bultimas-noticias/afp/2020/01/31/oms-considera-improdutivo-fechar-fronteiras-pelo-coronavirus.htm
Estratégia da Mongólia para combater o coronavírus: https://thediplomat.com/2020/03/mongolias-small-country-strategy-for-containing-covid-19/?fbclid=IwAR1XBaMbwPmAHm0xWozA-5x5TA-L7ZRpOLfFlDuh7OefcdDXIeC0CdY9uQ8
Response to COVID-19 in Taiwan. Big Data Analytics, New Technology, and Proactive Testing: https://booksc.xyz/book/81200281/0e3083
Interrupting transmission of COVID-19: lessons from containment efforts in Singapore: https://academic.oup.com/jtm/article/doi/10.1093/jtm/taaa039/5804843

submitted by rioomer to brasilivre [link] [comments]


2020.04.12 20:24 luis_gfm Freelancing e recebimento de dinheiro do exterior

Bom dia, doutores. Preciso sanar algumas dúvidas relacionadas ao recebimento de dinheiro do exterior principalmente com relação aos impostos e custos em geral. Sem mais delongas, vamos lá.
tl;dr preciso sempre declarar todos os meus ganhos fora do Brasil mesmo na minha situação (vide abaixo)? Como amenizar isso?
Ou então prossiga para a seção "O problema" para ver a pergunta em detalhes.

A situação

Sendo bem direto, tenho 18 anos e recém sai do Ensino Médio, não trabalho, nunca trabalhei, não tenho cartão de crédito, só uma conta NuBank e não tenho qualquer renda. Minha família está passando por uns apertos e para amenizar pensei em ganhar uma grana sendo freelancer para aproveitar a alta do dólar e minha semi-fluência em inglês. O plano inicial era tirar uns 500 USD por mês, tem projeto que paga isso numa semana, mas estou atirando baixo em trabalhos de data entry e tradução que pagam bem menos. Com esse dinheiro já cambiado e depois de uns 3 meses juntando, eu manteria ele na minha conta NuBank e começaria a investir com renda fixa e variável, day trade, buy & hold, o que for necessário e seguindo as informações daqui e de outros fóruns. Sei que não faria muita grana agora mas a ideia era de começar cedo e ganhar experiência.

Freelancing

Estou usando o site freelancer.com (sim, eu sei da Workana e do 99freelas). Entrei num concurso e tenho grandes chances de ganhar 15 dólares canadenses que, no câmbio de hoje, dá uns 54 reais. Teria trabalhado bem mais e criado conta na Workana e em outros site se não fosse o meu problema a seguir.

Explicando

Pelo que entendi, toda transação do tipo envolve duas etapas:
  1. Receber e converter o dinheiro para o Real (seja por banco ou terceiros);
  2. Declarar os ganhos no imposto de renda.
1 - Nesse primeiro ponto é necessário saber de antemão que segundo decreto de lei recente, brasileiros NÃO podem manter dólar ou qualquer moeda estrangeira na sua conta bancária sem antes converter para real. Aliás, é por isso que o Paypal converte direto agora, sem nem perguntar, usando taxas absurdas.Essa conversão se dá pelo desconto de impostos. Você sempre sai perdendo. Portanto, a questão aqui é minimizar as perdas.
Pelas minhas pesquisas, bancos comuns cobram 20 USD fixos + taxas de IOF + Spread + qualquer outro imposto que der no cu deles, seja pra 10 dólares ou 1 milhão. Por isso, bancos não valem a pena nesse processo. A alternativa é usar outras empresas que fazem o serviço usando taxas menores. Pesquisando, encontrei uns dez sites que fazem isso, como o Remessa Online, PayPal, TransferWise, Banco Inter, Western Union, Husky, Payoneer, Skrill... A lista é longa e não é da intenção desse post desenvolver nos detalhes intrínsecos de cada um. A verdade é que o Remessa Online é o melhor de todos até agora pois para receber dinheiro de fora não há tarifas fixas como na maioria e o IOF é de apenas 0,38%, além de um custo de 1,3% do valor recebido, uma das menores que achei. Pra simplificar: no final de tudo seria descontado 1,68% do teu câmbio final (que tu receberia sem as tarifas), o que é bem conveniente para pequenas transações. Ainda é gratuito, fácil de criar conta, recebe de PJ para PF, tem suporte para várias moedas, é bem seguro e possui ótimo suporte. Remessa Online é o que eu decidi por ora.
OBS: a partir daqui eu já não tenho muita certeza de nada, esta é a síntese do amalgamado de informações que encontrei e está da maneira que eu interpretei. Corrijam-me se houver erros, por favor.
2 - Nesse segundo ponto é que está a merda. Pelo que entendi, nem tudo é maravilha porque o governo além de meter tarifas de conversão da moeda até no teu furico, exige que todo mês seja declarado nos teus impostos os ganhos no exterior pelo famigerado carnê-leão. E é aqui que começou de fato o meu problema.

O problema

Na real mesmo? Eu nunca tive contato na vida com impostos, não tenho emprego (tá difícil aqui onde moro) e nem renda. Não quero dar um de coitadinho da escola pública mas a verdade é que esse tipo de coisa nunca foi nem citado durante meus mais de 10 anos de escola. A questão: Como eu devo proceder?
Pelo que eu entendi, há regras para quem deve declarar o imposto: ser maior de 18, ter renda, ter ganhado x ou investido y ano passado, etc. O Google explica. Entretanto, nos fóruns da vida, é dito que toda renda no exterior deve ser declarada, e fico num impasse. Eu farei, no máximo, e estou sendo generoso, uns 500 USD por mês. Máximo mesmo. Não quero tratar de ilegalidades aqui, tanto que estou perguntando para não sujar meu nome, mas sendo bem franco: as pessoas pagam isso mesmo? Caras, se tu for pessoa física são 27% de impostos que tu tem que pagar pro Governo. Como eu ainda vou estar ganhando acima do câmbio 1:1, ainda estarei lucrando, mesmo que perdendo esse tanto de dinheiro, mas mesmo assim, pra mim é um absurdo ter que dar mais de 1/4 dos meus ganhos pro Governo pra minha rua não ter nem saneamento e usar internet via rádio, lmao. É uma piada, sei que não é bem assim que funciona. Me perdoem a ingenuidade mas foi um choque de realidade.
Para finalizar, já me passaram alternativas, sendo elas:
No final tudo se resume a: preciso realmente pagar esse impostos? Se sim, temos opções legais para burlar (como a dos bancos internacionais) ou só pagar menos?
Bom, era isso. Não postei na megathread de impostos pois percebi que é uma pergunta bem específica e que pode ser aproveitada por outras pessoas também. Desculpem-me o textão, não costumo postar muito nessa minha conta "séria" mas muito obrigado a quem leu, o Reddit é meu salva vidas pra muitas coisas e a internet é o único meio de contato que tenho para esse tipo de informação. Valeu!
submitted by luis_gfm to investimentos [link] [comments]


2020.03.23 00:13 Balghur O que fazer pelas próximas semanas sem gastar dinheiro?

Boa noite pessoal, tentei reunir algumas atividades aqui pra quem for se isolar pelas próximas semanas, focando em tudo que consegui achar que esteja gratuito pra gente!
Tentarei adicionar mais coisas conforme for achando, fiquem a vontade para contribuir também!
(Obs.: estarei colocando links de coisas totalmente gratuitas, sem pirataria etc. Fiquem à vontade para conferir).

**Quer Jogar?**
Dois ótimos jogos disponíveis até dia 24 na steam, basta adicionar na biblioteca pra manter:
Tomb Raider: https://store.steampowered.com/app/203160/Tomb_Raide
Lara Croft: https://store.steampowered.com/app/289690/LARA_CROFT_AND_THE_TEMPLE_OF_OSIRIS/
Se quiserem procurar pela biblioteca da Steam mais jogos gratuitos, segue o link: https://store.steampowered.com/search/?&genre=Free%20to%20Play

A Epic Store continua dando jogos gratuitos, toda quinta feira a lista atualiza. Segue o link: https://www.epicgames.com/store/pt-Bfree-games

GOG também está dando alguns títulos no momento: https://www.gog.com/partnestay_at_home
Minha recomendação:
Dwarf Fortress, com esse pack: http://dffd.bay12games.com/file.php?id=14793. Procurem tutoriais no youtube, tem de monte. Uma vez que você entra no ritmo o jogo é sensacional.

**Quer ler?**
Em português: http://www.dominiopublico.gov.bpesquisa/ResultadoPesquisaObraForm.do?first=3000&skip=0&ds_titulo&co_autor&no_autor&co_categoria=2&pagina=1&select_action=Submit&co_midia=2&co_obra&co_idioma=1&colunaOrdenar=NU_PAGE_HITS&ordem=desc

Em outras línguas: https://www.gutenberg.org/

Audiolivros grátis (maioria em inglês): https://librivox.org/

**Quer estudar programação?**
Recebi um dump no zapzap, vou tentar organizar aqui os links que aindam funcionam (não abri todos):
Python: https://www.udemy.com/course/intro_python/
Python: https://www.udemy.com/course/python-para-iniciantes/
Python: https://www.udemy.com/course/python-3-na-web-com-django-basico-intermediario/
Data Science: Visualização de Dados com Python: https://www.udemy.com/course/visualizacao-de-dados-com-python/
Ionic 3: https://www.udemy.com/course/ionic-3-para-iniciantes/
Android: https://www.udemy.com/course/desenvolvedor-android-iniciante/
C++: https://www.udemy.com/course/cplusplus-intermediario/
C++: https://www.udemy.com/course/orientacao-a-objetos-c/
C e C++: https://www.udemy.com/course/c-e-c-fundamentos-para-logica-de-programacao/
Unity 5: https://www.udemy.com/course/como-criar-um-jogo-de-plataforma-3d-aprenda-unity-5/
Unity3D: https://www.udemy.com/course/aprenda-rapido-unity3d/
Unreal Engine 4: https://www.udemy.com/course/unreal-engine-introducao/
Web com Github pages: https://www.udemy.com/course/github-pages/
Git: https://www.udemy.com/course/git-e-github/
Wordpress: https://www.udemy.com/course/wordpress-para-iniciantes/
Wordpress: https://www.udemy.com/course/construa-seu-site-em-wordpress-de-forma-simples-e-rapida/
React.js: https://www.udemy.com/course/reactjs-ninja-modulo-react-webpack/
HTML: https://www.udemy.com/course/introducao-a-linguagem-html/
Algoritmos e lógica: https://www.udemy.com/course/algoritmos-logica-programacao/
Introdução à programação de computadores: https://www.udemy.com/course/introducao-a-programacao-de-computadores/
Terminal Linux: https://www.udemy.com/course/terminal-de-comandos-linux/
Introdução ao Sistema Operacional Linux: https://www.udemy.com/course/linux-ubuntu/
Introdução a banco de dados com MySQL & PHPMyAdmin: https://www.udemy.com/course/mysql_phpmyadmin/
Introdução ao jQuery: https://www.udemy.com/course/introducao-ao-jquery/
Introdução à linguagem CSS: https://www.udemy.com/course/introducao-a-linguagem-css/
Introdução ao PHP orientado a objetos: https://www.udemy.com/course/php-orientado-a-objetos/

**Quer assistir?**
Esse site tem de tudo, desde curtas baseados em filmes de Hollywood até produções locais. Basta fuçar que acha bastante coisa legal: http://www.openculture.com/freemoviesonline

**Bônus**
Nesse site você acha estudos sobre diversos assuntos, um cara passa meses escrevendo os artigos e posta aqui de forma totalmente grátis: https://waitbutwhy.com/
Caso alguém não conheça, VSauce produz vídeos sobre diversos assuntos também, de forma didática e interessante: https://www.youtube.com/useVsauce (recentemente ele disponibilizou a série paga para todos assistirem. Recomendo também dar uma olhada nos vídeos mais antigos, tem muita coisa boa nesse canal) e https://www.youtube.com/channel/UClq42foiSgl7sSpLupnugGA

Bom, é isso. Peço desculpas pela falta de organização no post, mas o importante é o conteúdo, hehe :)

Mantenham-se ocupados e lavem as mãos, cambada!
submitted by Balghur to brasil [link] [comments]


2020.02.27 23:48 marcinhocardoso Basic Attention Token

Basic Attention Token


  • Link para o Airdrop: Download Brave
  • Valor total: $ 10 + até 5 $ por referência
  • Plataforma: ETH
O Basic Attention Token é o novo token para o setor de publicidade digital criado pelo fundador do Javascript. Ele paga aos editores pelo conteúdo e pelos usuários pela atenção, enquanto fornece aos anunciantes mais em troca dos anúncios.
O Token de atenção básica compartilha 70% de suas receitas de anúncios com seus usuários. Basta baixar o navegador Brave , ativar “Brave Ads” no navegador e ser notificado sobre os anúncios para ganhar BAT grátis enquanto navega na web. Você também pode ganhar BAT reivindicando doações aleatórias de tokens no valor de 25 a 40 BAT . Novas concessões de token geralmente ficam disponíveis mensalmente. Os usuários podem reivindicar concessões de token uma vez a cada 30 dias, primeiro a chegar, primeiro a ser servido. Você pode fazer isso baixando o Brave e permitindo que “Brave Rewards” sejam elegíveis para possíveis concessões de token. Uma notificação aparecerá no ícone do Rewards quando uma concessão estiver disponível. Além disso, ganhe até US $ 5 em BAT por cada indicação. O Token de Atenção Básica já está listado no Coinmarketcap .

Passo a Passo:

Ganhe BAT grátis enquanto navega na Web (apenas dispositivos de desktop macOS, Windows e Linux ):
  1. Baixe e instale o navegador Brave no seu dispositivo desktop. Brave Ads será integrado nos aplicativos Android e iOS nos próximos meses.
  2. Inicie o navegador Brave e clique no logotipo do triângulo BAT ao lado da barra de endereço.
  3. Um pop-up ocorrerá onde você ativará as recompensas clicando em “Join Rewards”.
  4. Agora, navegue até as configurações de recompensa no pop-up ou digite “brave: // rewards /” e verifique se a opção “Brave Ads” está ativada.
  5. A partir de agora, você receberá ofertas em forma de notificações em um momento que o navegador considerar apropriado e não perturbador.
  6. Simplesmente envolva-se com essas notificações, visualize os anúncios e você obterá 70% da receita do anúncio visualizado, enquanto o Brave recebe apenas os 30% restantes.
  7. No final do ciclo mensal do Brave Rewards, você pode reivindicar seus tokens acumulados. O BAT pode ser doado automaticamente mensalmente aos sites mais visitados ou usado para dar dicas aos criadores de conteúdo ou amigos favoritos. Em breve, você também poderá usar o BAT para obter conteúdo premium, além de trocá-lo por recompensas do mundo real, como estadias em hotéis, cupons de restaurante e cartões-presente. A Brave também está trabalhando em uma opção para permitir que os usuários retirem o BAT de suas carteiras para uso pessoal, convertendo seu BAT em uma moeda fiduciária local por meio de parceiros de câmbio.
  8. Observe que os Brave Ads são restritos geograficamente aos seguintes países: EUA, Reino Unido, Canadá, Alemanha e França. Mais geografias estarão disponíveis em breve.
  9. Você encontrará mais informações sobre os Brave Ads no anúncio oficial .
Concessões de token mensais para usuários de desktop:
  1. Faça o download do navegador Brave aqui .
  2. Execute o navegador e ative “Brave Rewards”. Clique no ícone BAT na interface do navegador Brave. Se houver concessões de tokens disponíveis, você verá uma mensagem apropriada e poderá começar a reivindicar seus tokens BAT clicando em “OK”.
  3. Depois disso, clique em “Configurações de recompensas” e finalize sua reivindicação clicando no botão “Reivindicar” e concluindo um simples quebra-cabeça captcha.
  4. Novas concessões de token geralmente ficam disponíveis mensalmente. Os usuários podem reivindicar concessões de token uma vez a cada 30 dias, primeiro a chegar, primeiro a ser servido. Uma notificação aparecerá no ícone do Rewards quando uma concessão de token gratuito estiver disponível.
  5. Se você tiver problemas para reivindicar seus tokens gratuitos, consulte este tutorial em vídeo oficial para solicitar subsídios de tok BAT gratuitos .
  6. Os tokens não podem ser retirados diretamente, mas o BAT recebido pode ser usado para dar gorjeta a alguém (qualquer amigo ou credor de conteúdo que você queira apoiar). Uma vez derrubados, os tokens podem ser retirados pela pessoa / credor derrubado.
Concessões de token mensais para usuários de aplicativos Android / iOS (25 a 40 BAT):
  1. Faça o download do navegador Brave no seu dispositivo Android ou iOS.
  2. Vá para a barra de pesquisa no aplicativo Brave para navegador e digite chrome: // flags .
  3. Procure por “Recompensas” e clique no botão “Padrão” e selecione “Ativado”.
  4. Clique em “Reiniciar agora” e, uma vez concluído, um ícone BAT aparecerá na interface do navegador Brave.
  5. Agora você pode concluir as mesmas etapas mencionadas nas etapas da área de trabalho para se qualificar a partir de concessões de token no valor de 25 a 40 tokens BAT.
  6. Para mais informações, assista a este vídeo .
Programa de indicação corajoso (até US $ 5 em BAT por cada instalação):
  1. Para obter seu próprio link de indicação, basta seguir este link e clicar em “Tornar-se um criador” no menu de navegação “Recursos -> Criadores” para se registrar como editor.
  2. Você ganhará até US $ 5 em BAT por cada indicação usando seu próprio link de indicação de download.
  3. As recompensas de referência podem ser retiradas diretamente da sua carteira pessoal Uphold .

Valor estimado

$ 10 + até 5 $ por referência

Tokens por reivindicação

40 MTD

Máx. Participantes

Ilimitado

Visão geral

submitted by marcinhocardoso to u/marcinhocardoso [link] [comments]


2020.02.09 15:57 tamy-oliveira licença maternidade acabou e agora rotina de trabalho

Acabou a licença-maternidade e agora rotina de trabalho
produtos direto da fabrica Electrolux com desconto.
www.quemindicaamigoe.net
Ser mãe é uma explosão de sentimentos. Nove meses de gestação, o nascimento e a dedicação em tempo integral ao recém-nascido fazem parte deste momento da vida.
No caso das mulheres que trabalham, esta atenção exclusiva tem dia para acabar. Passados quatro ou seis meses chega a hora de voltar ao trabalho.
Mas, como cortar este “cordão umbilical” sem traumatizar nenhum dos dois lados? “O processo de ser mãe não é nada fácil” No começo, a sensação é de encantamento, mas com o passar do tempo e a proximidade do término da licença-maternidade, a situação parece desesperadora.
Isso porque a maioria das mulheres tem dificuldade de delegar e dividir tarefas.
Não saber com quem o filho ficará e achar que ninguém é tão capacitado quanto ela para cuidar da criança deixa a mãe ainda mais sensível, por isso algumas mulheres acabam vendo como única saída abandonar o emprego.
“O mais difícil era encontrar alguém para cuidar dele Mas largar o emprego nem sempre é a solução mais adequada.
Uma mulher profissionalmente realizada pode ser uma mãe muito melhor. Evitar a dor da separação é possível se o processo começar meses antes.
Coração preparado A mãe precisa procurar quem vai cuidar do pequeno cerca de dois meses antes de voltar, para que sejam estabelecidos laços de confiança.
O afastamento não deve ocorrer do dia para a noite. Converse muito com a pessoa que vai cuidar do bebê. Se preferir uma escolinha, acompanhe alguns meses antes, fique junto com o bebê e acompanhe toda sua adaptação.
De início deixe-o por duas horas, depois três, até completar o período normal. “Esse processo prepara o coração da mãe e ensina o bebê que ela vai trabalhar, mas volta”. O filho ficou com o pai, na própria casa, e ela adequou o trabalho para meio período.
“O fato de estar com alguém que meu pequeno já conhece é mais seguro. Separar para desenvolver O desmame é um dos pontos que as mães levam em conta antes de voltar ao trabalho. Segundo especialistas, não há uma data específica para que isso aconteça. Há mulheres que negociam horários flexíveis com a empresa para amamentar, e outras que tiram o leite materno e deixam em casa.
“Acho que a amamentação tem a ver com o vínculo, a relação entre a mãe e o bebê”. O desmame deve ser feito de uma forma carinhosa. “A amamentação é a busca do aconchego. A criança precisa saber que independentemente de mamar ou não, o carinho sempre vai existir”, finaliza. E como o tempo passa rápido, largar o emprego não é o caminho para as mulheres apaixonadas pela profissão, isso porque logo vem a escola.
“Faz parte do desenvolvimento humano essa separação. Mães realizadas criam filhos felizes e seguros”, completa. Valorizar o tempo ao lado do pequeno e dedicar-se integralmente a ele quando voltar para casa pode ser bem mais produtivo para ambos os lados.

tag.
licença maternidade acabou e agora rotina de trabalho,licença maternidade acabou e agora,licença maternidade,licença maternidade 2019,licença maternidade inss,licença maternidade 2018,licença maternidade quem paga,licença maternidade lei,rotina trabalho,licença maternidade legislação,rotina de trabalho de uma empresarotina no trabalho,rotina de trabalho,rotina do trabalho,gerenciamento de rotina de trabalho, gerenciamento da rotina do trabalho,acabou a licença maternidade texto,volta da licença maternidade direitos,frases de volta ao trabalho depois da licença maternidade,nao quero voltar a trabalhar depois da licença maternidade,voltar ou não ao trabalho após licença-maternidade,mudança de horario após licença maternidade,volta ao trabalho depois da licença maternidade amamentação,multa por demissão após licença maternidade, licença maternidade,maternidade,fim da licença maternidade,volta ao trabalho,maternidade real,trabalho,acabou a licença maternidade,acabou a licenca maternidade e agora,volta da licença maternidade e novo trabalho,de volta ao trabalho,mãe que trabalha fora,licença maternidade acabou,licença maternidade acabou! o que fazer?,mãe de primeira viagem,maternidade coisas e tal,retorno ao trabalho
submitted by tamy-oliveira to u/tamy-oliveira [link] [comments]


2020.01.28 15:31 Charles_Bronsonaro Finlandês responde: Qual é a diferença entre o socialismo nos países nórdicos e na Venezuela?

Eu sou um finlandês, eu posso responder essa questão de cabo a rabo. Do nosso ponto de vista essa pergunta é um insulto, mas eu acredito que você não queria nos insultar, então eu vou lhe perdoar.
Na história dos países nórdicos (Suécia, Finlândia, Noruega, Dinamarca e Islândia), houve duas tentativas de implantação do socialismo: em 1918 e 1939–1944. Vamos dar uma passada por esses eventos pra melhor entender como nós nos sentimos com relação ao socialismo, e depois eu vou escrever sobre alguns fatores que permitiram um fortalecimento das economias nórdicas, até o que elas são hoje em dia.
Assim que a Finlândia declarou a sua independência em dezembro de 1917, eclodiu a guerra civil finlandesa entre os brancos e os vermelhos, em janeiro de 1918. Os brancos eram liderados pelo Senado finlandês, já os vermelhos eram alguns esquerdistas finlandeses sustentados e abastecidos de armas pela União Soviética. Os vermelhos queriam trazer o socialismo para a Finlândia, mas os brancos - isto é, o exército finlandês de fato - venceram e o país continuou como uma democracia ocidental.
Na segunda tentativa, a União Soviética atacou a Finlândia em novembro de 1939, no que ficou conhecido como a guerra de inverno. A Sociedade das Nações, precursora das Nações Unidas, considerou o ataque ilegal e expulsou a União Soviética da organização.
O plano do exército vermelho era tomar a Finlândia em algumas poucas semanas, começando com uma declaração de guerra e um ataque massivo. Os finlandeses se defenderam com todas as suas forças e o país jamais foi ocupado. A Finlândia, entretanto, perdeu partes da Carélia, Salla, Kuusamo e Petsamo para a União Soviética. Essas áreas, que foram anexadas à URSS, converteram-se ao socialismo e foram transformadas de lugares ricos para a pobreza.
Os arquivos da União Soviética depois revelaram os planos da União Soviética para o conjunto de operações do noroeste em 1939–1944. Os políticos decidiram que deveriam tomar as terras dos outros países. Isso é socialismo, e é contrário a qualquer código moral.
Eu acredito que você não quis perguntar a respeito dessas pequenas interferências do socialismo na nossa história, em vez disso, você quis saber o modelo nórdico de estado de bem estar social. A diferença deve ser cristalina:
No socialismo, os meios de produção, como as terras e as fábricas devem ser de propriedade coletiva, normalmente do Estado. Socialismo quer dizer confiscar as propriedades das pessoas. Aqui, entre os nórdicos, nós chamamos isso de roubo e é ilegal.
Entre os países nórdicos, nós escolhemos um caminho bem diferente, promover os direitos humanos individuais e o bem estar social. No nosso modelo, nós investimos em duas áreas: educação e assistência à saúde. Nenhuma delas tem nada que ver com socialismo.
Então eu vou mudar a questão para: por que é que o modelo nórdico é tão exitoso?
A resposta é: porque o retorno sobre o investimento em educação e saúde é alto. Os nórdicos criaram um ciclo virtuoso: crianças saudáveis + boa educação -> empresas inovadoras e lucrativas -> contratar novas pessoas -> pagar melhores salários -> arrecadar mais imposto de renda -> arrecadação para manter um bom nível de educação e de assistência à saúde.
Eu vejo a Finlândia e outros países nórdicos investirem continuamente no futuro; educar as novas gerações; cuidar da saúde; empoderar novos negócios.
Você usou a expressão "incrivelmente exitoso". Eu diria o mesmo, mas de uma maneira mais precisa. Nós finlandeses somos uma gente modesta, então eu vou apenas listar alguns rankings mundialmente aceitos.
A Finlândia tem uma das maiores rendas per capita do mundo. Além disso, o país está entre os primeiros em várias métricas de desempenho comparativo entre países, desde educação, competitividade e liberdades civis, como:
Esses feitos não vieram de graça. Você não pode ter um PIB alto e um bem estar social sem empresas lucrativas pra pagar os impostos. Qual é a fonte de renda dos países nórdicos? Bom, cada país nórdico tem a sua história a respeito.
Conforme um dos requisitos do acordo de paz, a Finlândia teve que pagar reparações de guerra no valor de cinco bilhões de dólares em valores atuais para a União Soviética. Então, para entregar dezenas de milhares de máquinas, locomotivas e navios no período entre 1944 e 1952, a Finlândia agrária precisou se industrializar rápido. Desde aquela época, o país se escorou em inovações tecnológicas. Você pode dar uma olhada no índice global de inovação, dois países nórdicos estão entre os cinco primeiros países: a Suécia e a Finlândia. Essas inovação catalizaram novos ramos de negócio, por exemplo: a indústria naval entre as décadas de cinquenta e sessenta, a de telefones celulares entre as décadas de oitenta e noventa e a de jogos para telefones móveis entre as décadas de 2000 e 2010.
Vamos pensar em escala agora de uma maneira mais concreta: a Finlândia é um país pequenininho, de apenas cinco milhões de habitantes. Entretanto, nada mais nada menos que 60% dos navios quebra-gelo foram construídos no país. Em 2016 a participação da Finlândia no total de receitas de 35 bilhões do negócio de jogos para celular foi de 7%. Entre alguns jogos bem famosos desenvolvidos na Finlândia estão: Angry Birds, Boom Beach e Best Fiends.
Na Suécia, eles também são muito bons na criação de novos modelos de negócio globais, como os da Ikea e do Spotify.
O modelo nórdico não quer dizer um apetite por empresas estatais. Ao redor do mundo, muitos países têm os serviços ferroviário e de correios nas mãos do estado. Os países nórdicos, por um outro lado, os privatizaram. Sim, isso diminuiu a qualidade do serviço e causou aumentos nos preços, mas mesmo assim não iremos voltar atrás. Na competição global valem as regras da economia de mercado. Quanto mais nós jogarmos por essas mesmas regras, mais chance teremos de vencermos.
Uma vez que somos países pequenos, nós aprendemos a perseguir sempre a cooperação, para que possamos inclusive sobreviver. Vamos dar uma olhada em um case de negócios.
No final da década de setenta, as operadores de telefonia dos países nórdicos se reuniram e especificaram a primeira rede de telefonia móvel totalmente automática, para substituir as antigas redes ARP (Auto Rádio Fone). O novo padrão se chamou NMT, cuja tradução é Telefonia Móvel Nórdica, que começou a funcionar em 1981. As especificações do NMT eram livres e abertas, o que permitiu a muitas empresas produzir equipamentos segundo o padrão, reduzindo, por consequência, os preços. Redes NMT foram construídas em cerca de vinte países.
Entre os fabricantes de equipamentos NMT estavam: a Nokia da Finlândia (fundada em 1865); a Ericsson sueca (de 1876); a Storno dinamarquesa e depois adquirida pela General Eletric e por fim pela Motorola; a AP, outra dinamarquesa adquirida pela Philips; e a Simonsen Telecom norueguesa (fundada em 1970).
Dez anos depois, outras companhias de telefonias se juntaram ao barco e criaram o próximo padrão de telefonia móvel: o GSM, também conhecido por 2G. A primeira ligação GSM foi realizada na Finlândia em dezembro de 1991.
Os padrões abertos permitiram uma competição acirrada entre os fabricantes, mas mais acirrada ainda era aquela entre as operadoras de telefonia. Enquanto que ao redor do mundo predominava o monopólio de uma única empresa a nível nacional, na Finlândia, havia bastante competição: além da operadora nacional de telefonia estatal, existiam muitas operadoras privadas regionais. No final dos anos 1980, cinquenta operadoras de telefonia operavam na Finlândia, isso era mais do que o número total de operadoras atuando em todos os demais países europeus.
A competição feroz pelos clientes domésticos, disputados entre a operadora de telefonia estatal e seus competidores privados, impulsionou o desenvolvimento de produtos na unidade de maior crescimento da Nokia: a Telenokia, entre os anos oitenta e noventa. Isso preparou a empresa para competir nos mercados globais. Agora, três décadas depois sobraram apenas três grandes marcas de equipamentos de redes de telefonia: a Nokia da Finlândia, a Ericsson sueca e a Huawei da China.
E sim, voltemos ao estado de bem estar social. Sem uma ambiente de negócios bem lucrativo, não há estado de bem estar social. O papel dos políticos é propiciar investimentos a longo prazo na infraestrutura que irá fomentar os negócios. Os investimentos em educação e saúde já provaram ter um alto retorno.
É claro que nem todos os países podem copiar essa mesma trajetória de negócios para sustentar o bem estar social, e nem todos precisam.
As empresas suecas, por um outro lado, provavelmente não fizeram tantas inovações tecnológicas mas criaram modelos de negócio mais revolucionários, como exemplo: a Ikea e o Spotify. As empresas norueguesas sempre puderam contar com a pesca. Em 1969, eles ainda encontraram petróleo sob o mar. Esse tesouro foi transformado em um fundo. Citando os noruegueses: "o objetivo do fundo é garantir uma gestão responsável das receitas da Noruega com gás e petróleo no Mar do Norte de modo que essa riqueza possa beneficiar as gerações atuais e futuras. O nome oficial do fundo é Fundo Global de Pensões Governamentais." Os islandeses também são bons em pesca. As necessidades energéticas deles foram supridas por fontes naturais geotermais e hidrelétricas (do mar). 99,9% da eletricidade na Islândia é gerada a partir de fontes renováveis. Na Dinamarca, a agricultura é bem desenvolvida, e o turismo cresceu a ponto de se tornar o segundo maior negócio.
Você já deve ter lido vários artigos sobre os finlandeses podendo aproveitar da educação grátis e do sistema de saúde grátis. Gostaria apenas de lembrá-lo que nós temos também a opção de escolas privadas e da saúde privada. O desafio do setor público é manter a qualidade tão alta, de modo que as pessoas o prefiram.
Já falei muito sobre números, vamos concluir com algumas histórias:
Sobre educação: na minha juventude eu estudei por muitos anos numa escola pública, então mudei para uma escola privada (que são igualmente pagas, assim como nos EUA), porque eu queria me especializar em algumas matérias, aí eu mudei de novo para outra escola pública, que era considerada a melhor do país. O que eu percebi foi que todas eram igualmente boas. O investimento a longo prazo em educação (e na formação dos professores) criou uma competição tão acirrada que no final das contas as diferenças entre as escolas é pequena. Se você não confia em mim, já que eu sou finlandês, você pode confiar no relatório das Nações Unidas sobre o melhor sistema educacional do mundo.
Já sobre a saúde: minha mãe era filha de fazendeiros, nascida em 1931. Quando ela tinha catorze anos, conseguiu um trabalho de estagiária em um hospital local. Alguns anos depois se formou enfermeira especializada em cirurgias. Ela trabalhou em hospitais privados e públicos. Ao longo da vida dela, ele teve alguns problemas de saúde, como muitas outras pessoas, desde infartos até um derrame que deixou metade do seu corpo paralisado. Em outras palavras, ela conhece bem o sistema de saúde da Finlândia, mas em uma coisa ela é bem teimosa. Sempre que eu sugiro a ela que vá a um médico particular ou a um hospital particular, se recusa. Ela quer ir para o sistema público de saúde, mas não é porque ela acha que o sistema de saúde particular é ruim, com 88 anos, ele prefere realmente o sistema público, que sempre cuidou bem dela. É como uma lealdade a uma marca.
Ah sim, e quanto à Venezuela? Acredito que eles não se esforçaram muito em prover uma boa educação ou um sistema de saúde de alta qualidade. Em vez disso, eles tentaram o socialismo.
O modelo nórdico se preocupa em investir no futuro, enquanto o socialismo se preocupa em roubar do presente. O fundamento do modelo nórdico é permitir às pessoas escolherem o que elas querem, e garantir ao menos bons serviços públicos para suprir as suas necessidades.
Então, respondendo a pergunta:
O socialismo e o modelo nórdico são abordagem opostas, então é mais do que natural que uma dessas abordagens pareça ter alcançado sucesso enquanto a outra é um desastre completo.

FONTE: https://pt.quora.com/Qual-%C3%A9-a-diferen%C3%A7a-entre-o-socialismo-nos-pa%C3%ADses-n%C3%B3rdicos-e-na-Venezuela
submitted by Charles_Bronsonaro to brasilivre [link] [comments]


2020.01.23 20:26 ebookrevenda Como montar um negócio com pouco investimento e retorno rápido?

Como montar um negócio com pouco investimento e retorno rápido?

https://preview.redd.it/2qhz7ldbxkc41.jpg?width=900&format=pjpg&auto=webp&s=733f183a7f28bc572bcea154cd756790f3e90907
Você pode montar muitos negócios na internet, geralmente esses negócios tem baixo investimento e um excelente rendimento após algum tempo de trabalho, hoje temos pessoas que desenvolvem manuais, e-books, livros digitais, e vendem na internet, você não precisa desenvolver os caso não tenha paciência para tal, existem também sites especializados em revenda de materiais como esse, data se cadastrar em um desses sites escolher qual produto quer revender, e iniciar o seu trabalho de divulgação na internet com baixíssimo custo e excelentes resultados.
Me referir a livros digitais pois esse é um material muito encontrado na internet, mas existem outras diversidade de produtos como softwares, e até mesmo produtos físicos como relógios, Biju e outros….
Basta procurar um desses produtos que ofereça a possibilidade de revenda geralmente você ganha comissões por cada venda realizada, o que vai variar muito nesse caso é a revenda que cada site está disposto a pagar para você existem sites que pagam até 50% de comissão, são poucos mas você pode encontrá-los e assim vai ganhar muito bem.

É FÁCIL TRABALHAR NA INTERNET?


https://preview.redd.it/09jyn2scxkc41.png?width=800&format=png&auto=webp&s=e436dd9fdf3c31f9520f688790f56cc262f9b293
Não posso afirmar que seja fácil trabalhar na internet, porém posso afirmar com toda certeza que é algo muito vantajoso, você pode definir seus horários, pode escolher quantas horas por dia vai trabalhar, e várias outras vantagens Além de estar no conforto de sua casa. Porém tenha sempre em mente que um trabalho online algo que exige dedicação, e sem isso você não vai a lugar nenhum trabalhando na internet, o principal exigido é o foco e sua dedicação diárias mesmo que seja uma ou duas horas por dia.
Eu particularmente trabalho com a revenda de softwares, se você pesquisar no Google por “P.C.G. Afiliado Revendedor” Você vai encontrar um software com sistema de revenda, Eles pagam 50% de comissão por cada venda que você realizar, na verdade R$40,00 por cada venda realizada, se trata de um software de Publicidade online que serve para que as pessoas divulgarem seus produtos ou serviços na internet, por esse motivo é algo muito procurado por qualquer pessoa que tenha um site ou que deseja divulgar alguma coisa online, é algo bem simples de se vender Basta fazer algumas divulgações E você já consegue algumas comissões de pessoas interessadas em usar o software.
Se você encontrar sistemas como esse que paga uma comissão tão boa com certeza total você vai obter bons lucros, que geralmente o investimento é mínimo ou quase zero, levando em conta que por exemplo se você investe R$ 50 e faz uma venda você já tirou o seu investimento de volta, são de fato excelente sistemas onde se você ganha os desenvolvedores também ganham, então o único intuito deles é que você faça cada vez mais vendas assim eles também ganham cada vez mais.

https://preview.redd.it/1204ameixkc41.png?width=543&format=png&auto=webp&s=fe1683659c59bba383b2b7908df8f8d5b3b1edde
Certamente fazendo investimento em uma empresa física ou algo do tipo, por menos que você tenha que investir você vai gastar um bom dinheiro, hoje temos milhares e milhares de pessoas migrando para o trabalho online talvez justamente por esse motivo, existem milhares de empresas à procura de pessoas para fazerem uma simples divulgação e que pagam muito bem por isso então porque você teria tanto trabalho para abrir uma empresa sendo que você pode ganhar muito mais trabalhando do conforto de sua casa?
Muito provavelmente você também já conhece alguém que trabalha pela internet e que tenha bons resultados, não fique apenas esperando, se ver uma oportunidade agarre-a com as duas mãos e inicie seus trabalhos, em pouco tempo vai ver os resultados que muitos certamente vão surpreender.
Agradeço se puder dar um voto positivo essa resposta, seguir curtir ou compartilhar, fico muito grato mesmo…

Palavras-chave relacionadas
montar um negócios sociais, como montar um negócios, quero montar um negócios, montar negócios com pouco dinheiro, montar negócios lucrativos, montar um plano de negócios, montar um plano de negócios sebrae, como montar um mini negócios, primeiro passo para montar um negócios, como montar um bom negócios, montar um negócio de alimentação, montar um negócio de açai, montar um negócio de almofadas, aprenda a montar um plano de negócios sebrae, a montar um negócio, a montar um negócio próprio, montar um negócio barato, montar um negócio bar, montar um bom negócio, como montar um negócio barato e lucrativo, quero montar um negócio barato, montar um negócio de banho e tosa, montar um negócio em balneário camboriú, montar um negócio de bijuterias, montar um negócio com pouco dinheiro, montar um negócio com 5 mil reais, montar um negócio com 1000 reais, montar um negócio com 20 mil reais, montar um negócio.com, montar um negócio com 100 reais, montar um negócio com 2 mil reais, montar um negócio de espetinho, montar um negócio de comida, montar um negócio de churrasquinho, montar um negócio de cachorro-quente, montar um negócio de costura, montar um negócio de embalagens, montar um negócio de marmitex, montar um negócio em cidade pequena, montar um negócio em 2019, montar um negócio em fortaleza, montar um negócio em 2020, montar um negócio nos estados unidos, como montar um negócio e ganhar dinheiro, montar um negócio farmácia, montar um negócio na frança, como montar um negócio fitness, como montar um negócio fácil, montar um negócio de fraldas, como montar um negócio freelancer, montar um negócio em família, montar um negócio de flor, montar um negócio gastando pouco, montar um negócio gourmet, montar um negócio gastronomia, montar um negócio para ganhar dinheiro, montar um negócio na garagem, montar um negócio de gás, montar um negócio de games, montar negócio gesso, ideias para montar um negócio gastando pouco, como montar um plano de negócios gratis, montar um negócio de hortaliças, quero montar um negócio inovador, montar um negócio na italia, montar um negócio com impressora 3d, montar um negócio na internet, montar um negócio no interior, como montar um negócio inovador, montar um negócio karaokê, montar um negócio lucrativo, montar um negócio lucrativo com pouco dinheiro, quero montar um negócio lucrativo, como montar um negócio lucrativo em cidade pequena, quero montar um negócio lucrativo com pouco dinheiro, como montar um negócio lucrativo na internet, como montar um negócio lucrativo online, montar um negócio de limpeza, montar um negócio de lanches, quero montar um negócio mas não sei o que, quero montar um negócio mas não tenho dinheiro, como montar um negócio milionário, quero montar um negócio mas tenho pouco dinheiro, montar negócio movel, montar um negócio no uruguai, montar um novo negócio, como montar um negócio no instagram, como montar um negócio na praia, montar um negócio online, montar um negócio online do zero, como montar um negócio online de sucesso, montar um negócio próprio, montar um negócio próprio com pouco dinheiro, montar um negócio pequeno, montar um negócio pouco dinheiro, montar um negócio pela internet, montar um negócio pizzaria, montar um negócio para, montar um negócio peixes, montar um negócio plano, para montar um negócio, para montar um negócio próprio, ideias para montar um negócio, ideias para montar um negócio com pouco dinheiro, dicas para montar um negócio, empréstimo para montar um negócio, idéias para montar um negócio próprio, dicas para montar um negócio próprio, maquinas para montar um negócio, quero montar um negócio que dá dinheiro, como montar um negócio que de dinheiro, montar negócio quentinhas, dicas para montar um negócio que vende, quero montar um negócio para ganhar dinheiro, que montar um negócio, montar um negócio rentável, como montar um negócio rentável com pouco dinheiro, quero montar um negócio rentável, montar um negócio sebrae, montar um negócio sorveteria, montar um negócio social, como montar um negócio simples e prático, quero montar um negócio sebrae, quero montar um negócio simples, como montar um negócio simples, montar um negócio de sucos, montar um negócio com tapioca, montar um negócio com temperos, montar um negócio de tatuagens, montar um negócio tradução ingles, preciso montar um negócio urgente, montar um negócio de unhas, como montar um negócio virtual, como montar um negócio vendendo pastéis, montar um negócio de velas, como montar um negócio vendendo tapioca, como montar um negócio vendendo cachorro quente, montar um negócio de viagens, como montar um negócio vendendo lanches, montar um negócio de variedades, montar negócio vendas, montar um negócio na web, como montar um negócio online do zero, como criar um negócio online do zero, como começar um negócio online do zero, montar negócio 100 mil, como montar um negócio com 1000 reais, abrir negócio com 1000 reais, abrir um negócio com 1000 reais, como começar um negócio com 1000 reais, montar um negócio 2019, montar um negócio 2020, montar um negócio 2017, montar um negócio com 25 mil, montar negócio 2018, montar negócio 2010, ideias para montar um negócio 2018, montar negócio com 3 mil reais, como montar um negócio com 3 mil reais, abrir um negócio com 3 mil reais, como montar um negócio com 5 mil reais, quero abrir um negócio com 5 mil reais, abrir seu próprio negócio com 5 mil reais, abrir negócio com 5 mil reais, montar um negócio com 8 mil reais,
submitted by ebookrevenda to MarketingDigitalBR [link] [comments]


2020.01.11 19:42 ORoxo Como investir Keep it simple, Stupid!

Olá,
Se chegaste até aqui é porque estás preocupado com as tuas finanças, por isso, parabéns!
De facto, é uma preocupação fundamentada, uma vez que, de acordo com Relatório sobre a Sustentabilidade Financeira da Segurança Social publicado em Outubro de 2018 como anexo do Orçamento de Estado de 2019, a Segurança Social como a conhecemos hoje esgotar-se-á no final da segunda metade da década de 2040.
O FEFSS (Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social), a ser utilizado perante saldos negativos do sistema previdencial a partir do final da segunda metade da década de 2020, teria com a atual projeção, um esgotamento no final da segunda metade da década de 2040, representando uma melhoria face à projeção do relatório de sustentabilidade anexo ao Relatório do OE de 2017, em cinco anos.
Assim, se, tal como eu, estás a iniciar a tua vida adulta, provavelmente serás responsável pelo teu próprio sustento durante a idade da reforma. Como tal, temos de arranjar uma forma de garantir que o nosso dinheiro rende, para garantir esse conforto futuro.
A melhor forma que conheço para o fazer é através de investimentos, algo que começa agora a ser falado no nosso país, mas sobre o qual a generalidade das pessoas ainda sabe muito pouco.
Ao contrário de subs de outros países relacionadas com finanças pessoais onde existem vários tópicos Guide, em Portugal, tal não acontece.
Para colmatar essa lacuna, decidi escrever este post que espero ajudar aqueles que buscam conselhos financeiros e que se deparam com esta comunidade pela primeira vez.
Infelizmente (ou felizmente) não venho de famílias abastadas. Como tal, há cerca de 2/3 anos quando comecei a ganhar alguma autonomia financeira coincidente com a minha entrada no mercado de trabalho, comecei a pensar como viria a fazer face às minhas despesas - casa, carro, alimentação, etc.
Desta reflexão resultaram muitas horas de leitura e lições que agora partilho aqui convosco:
Lição 1: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês.
Começo por partilhar convosco que uma das coisas que mais me irrita na indústria financeira - e no qual tenho a minha quota-parte de culpa, dado que é a minha área de formação - é da necessidade de complicar. Alguém que esteja de fora, ficará intimidado pela complexidade de palavras que usamos como asset alocation, derivatives, bonds, stocks, optimal portfolio allocation, options, warrants e futuros. Como se isso não bastasse, não educamos os jovens em finanças - em muitos casos temos dificuldade em poupar e noutros tantos em perceber como investir.
Claro que toda esta iliteracia financeira é um paraíso para portfolio managers e outros agentes dispostos a investir o vosso dinheiro por vocês. Porquê, perguntam vocês?
Existem três formas através das quais um porfolio manager consegue fazer dinheiro para a empresa:
  1. Comissões sobre produtos;
  2. Assets Under Management;
  3. Aconselhamento 1-on-1.
Em primeiro lugar, parte do salário de um portfolio manager, é variável. Por outras palavras, está dependente do lucro que trouxer para a empresa. Como tal, não é de admirar que vos sugerirão aqueles produtos que lhes dêem maior retorno, independentemente do retorno que vos trouxerem para vocês. Como tal, aqueles produtos que vos tentarão enfiar pela garganta abaixo são precisamente aqueles que vão de acordo com os objectivos deles (maximizar lucro) e não necessariamente os vossos (maximizar o retorno).
Para além disso, existe também o modelo AUM (Assets Under Management) que na práctica é 1-2% que vos cobrados pelo valor de activos na vossa carteiro. A título de exemplo, suponham que eu tenho 100.000€ investidos na institução A cuja taxa AUM é de 2%. Todos os anos terei de pagar 2.000€ à instituição financeira que faz a gestão dos meus activos, independentemente de ter, ou não lucro. Imaginem que num dado ano tive 6% de retorno, a inflação foi de 3% e a AUM é de 2%. Resta-me 1% de um retorno que deveria ter sido 3%. De repente, um ano que até teria sido bastante positivo transformou-se num mísero 1%. (Parece-vos justo? Nem a mim...)
Por último, alguns advisors estão ainda disponíveis para vos aconselha por uma módica quantia de X, sendo X um valor absolutamente ridículo para o qual não existe qualquer justificação lógica. Como se tal não bastasse, muitas vezes esse aconselhamento não se traduz em qualquer valor acrescentado para nós. Com sorte, vai de encontro ao ponto 1 e comem-nos por parvos duas vezes: no aconselhamento que roçou o medíocre e na venda de um produto com comissões altíssimas e retornos pelas ruas da amargura.
Dito isto, aqui fica a primeira lição: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês!
No entanto, identificar um problema sem o tentar resolver soa-me um pouco hipócrita. Por isso, deixem-me introduzir-vos à segunda lição: é mais fácil do que parece.
Dado que, como já partilhei convosco acima, a minha formação base é finanças, comecei a pensar "como é que se investe?". Esta questão levou-me a ler vários livros sobre investimento e apercebi-me que, ao contrário do que todos os profissionais da área faziam parecer crer, investir, era bastante simples.
Tão simples, de facto, que alguém com zero experiência como investidor conseguirá obter um retorno melhor do que 80% dos ditos portfolio managers utilizando apenas as ferramentas que partilharei convosco neste thread.
O quê?! 80%?! Mas investir não é difícil?!
Não.
O quê?! Melhores retornos que portfolio managers que vivem, respiram e comem informação financeira?
Sim.
Afinal eu não preciso de pagar fees ao meu banco para investir por mim?!
Não.
Contudo, antes de partilhar convosco quais são essas ferramentas há três questões que são imperativas que saibam responder:
  1. Em que fase da vossa vida é que estão? Acumulação ou Preservação de riqueza?;
  2. Que níveis de risco é que estão disponíveis a aceitar?;
  3. O vosso horizonte temporal a nível de investimentos é longo ou curto prazo?.
Certamente repararam que as três questões estão intrinsecamente ligadas e que existe um tema comum a todas elas, risco. Pelo que gostava de começar por abordá-lo em primeiro lugar.
Ao contrário do que vos possam dizer ou vocês próprios possam pensar, não existe nenhum investimento 100% seguro.
Experimentem colocar o vosso dinheiro debaixo do colchão durante 20 anos e depois contem-me como os 20k€ que com tanto esforço, suor e lágrimas amealharam valem agora apenas 5k€ em bens e/ou serviços. Ou talvez vocês seja pessoas conservadoras e decidam comprar títulos do tesouro, mas nesse caso apresentar-vos-ei a minha inflação ou então são completamente o oposto e decidem que acções is the way to go, caso em que opto por vos dar a conhecer a minha outra amiga, deflação.
Estes exemplos não servem para vos desincentivar de investir. Queria apenas de uma forma, mais ou menos, lúdica demonstrar-vos que, qualquer que seja a nossa opção, nunca estamos 100% seguros. Consequentemente, a única opção que nos resta é fazer as escolhas que julgamos serem as mais correctas com a informação que temos disponível de momento - e atenção que não fazer escolha é, em si, uma escolha.
Dito isto, existem apenas outras três ferramentas que necessitam para construir o vosso portfolio:
(já repararam que eu gosto de manter as coisas simples?)
  1. Acções
E se invés de apostarmos numa única equipa e rezássemos para que essa equipa vencesse, pudéssemos apostar que uma qualquer equipa entre todas as que estão na competição poderia ganhar? As nossas odds seriam bem melhores, verdade?
É isso que constitui um index fund - um cabaz de acções de várias empresas. Regra geral, cada index fund tem um benchmark que segue o que acaba por definir as ações nas quais esse index fund invest. Tudo o que precisam de saber são três siglas muito simples, IWDA:NA, VUSA e VWRL.
Quais as diferenças?
Dentro dos fundos cotados (aka ETFs), existem duas sub-classes no que toca à distribuição dos dividendos consoante o fundo reeinvista autmaticamente os dividendos ou caso os distribua aos investidores, chamados accumulation ou distribution, respectivamente*.*
Isto é relevante principalmente para efeitos fiscais. No que toca a investimentos desta natureza, existem dois momentos nos quais estás sujeito a imposto.
Na altura de receberes os dividendos e no momento da venda propriamente dito.
Aquando da distribuição dos dividendos, o teu broker transferirá para a conta bancária associada o valor dos dividendos retirados os 28% de imposto. No momento da venda, analisar-se-á qual a mais ou menos valia que há a realizar. Isto é, se vendeste o investimento a um preço superior ao que compraste, o valor de imposto a pagar será de 28% sobre essa diferença. Se o valor de venda for inferior ao valor de compra, não terás qualquer imposto a pagar.
Logo, salvo raras excepções, é aconselhável que se invista num ETF que seja cumulativo (IWDA:NA). Desta forma, tiraremos proveito da capitalização composta dos juros ao mesmo tempo que adiamos o pagamento de impostos desnecessários.
  1. Obrigações
As obrigações proporcionam uma viagem ao longo do percurso de investidor um pouco mais suave. Pessoalmente, dada a minha idade, não creio que tenha muito interesse para mim. No entanto, para investidores mais conservadores, BND e AGGG-fund?switchLocale=y&siteEntryPassthrough=true) são as única sigla que precisam de conhecer neste sub-universo.
  1. Dinheiro
Um fundo de emergência é algo que devemos sempre ter. Ninguém sabe o que acontecerá no dia de amanhã e enquanto investidores de longo-prazo não queremos ter de liquidar os nossos activos devido a uma emergência. Por isso, três a seis meses de despesas fixas é um bom objectivo para se ter em dinheiro numa conta a ordem ou conta poupança que possa ser movimentada sem incorrer em custos.
Lição 2: Todos os portfolio managers acreditam que conseguem bater o mercado. Por sua vez, nós, investidores, acreditamos que conseguimos escolher aqueles que o fazem. Estamos todos enganados.
Imaginem uma sala cheia de crânios financeiros, vestidos nos seus fatos com tecidos italianos. Estes profissionais contam com anos de experiência nos mercados de capitais, para não falar das décadas passadas a estudar em grandes Business Schools.
Para além disso, têm à sua disposição inúmeras ferramentas da Bloomberg, Reuters e outros grandes players que lhes permitem ter acesso a toda a informação, constantemente actualizada, a qualquer instante.
Apesar de trabalharem noite e dia, estes guerreiros também descansam para um ocasional café, cigarro e almoço de negócios. Nesses raros e curtos momentos, encontram-se com outros analistas, experts, insiders das empresas nas quais investem e outra panóplia de gente importante.
Ao conviverem tão próximos com a realidade na qual investem, de certeza que eles sabem o que andam a fazer, certo?
Ahhhhh...think again.
Está comprovado impericamente (clicar irá fazer o download de um pdf) que os vários fundos de investimento não são capazes de dar rendibilidade superior ao seus investidores, quando comparado com o mercado.
Num horizonte temporal de 5 anos, 84,15% dos fundos de investimento tiveram uma performance pior do que o S&P500.
Logo, para terem um retorno superior ao mercado, vocês teriam de escolher o melhor fundo de investimentos possível, de um conjunto de 10! Como se isso não bastasse - e supondo que escolhiam o fundo vencedor -, ser-vos-ia cobra entre 1 a 2% em comissões. Não é muito? Para ilustrar a diferença que isto pode fazer, sigam o meu raciocínio:
Suponham que investiram 10.000€ há 30 anos num dado activo. A rentabilidade média desse mesmo activo foi de 7%, já tida a inflação em conta. Se tivessem investido vocês mesmos esse valor num index fund, teriam aproximadamente 66.000€. Por sua vez, se tivessem escolhido o fundo vencedor teriam apenas 43.000€. Uma diferença de 23.000€ tendo por base apenas 2%. Funny, right?
(aqui estou a supor que o fundo vencedor vos proporcionava apenas a mesma rentabilidade dada pelo mercado, mas dado que assumi, de 10 fundos de investimento, vocês escolhiam o único cuja rentabilidade não era pior que a do mercado, parece-me justo para balançar o cenário)
Este exemplo introduz-nos à próxima lição.
Lição 3: Controlem o que conseguem controlar
Esta conversa é toda muito bonita, mas o que raio é essa coisa da Vanguard e porque é que todos os EFTs que sugeres são geridos por eles? Afinal, também és um vendedor?!
Bom ponto, tens estado atento!
Um mercado de capitais é um sítio feio, se não soubermos gerir as emoções provavelmente perderemos muito dinheiro - mais sobre isto numa edição futura do post. A verdade é que os nossos investimentos irão desvalorizar e valorizar várias vezes ao longo do tempo. Como tal, uns anos serão positivos e outros nem tanto. Isto para dizer algo que ninguém gosta de ouvir: não podemos controlar o retorno que o mercado nos dá. Felizmente, há algo que nos cabe a nós controlar: o custo do nosso investimento.
Uma vez que o lucro do nosso investimento será nada mais do que retorno - custo, minimizando o custo estamos a optimizar esta equação.
É aqui que entra a Vanguard, fundada por um grande senhor, John Bogle, em 1975.
O que a torna tão especial é que, no momento da sua fundação, John Bogle estruturou-a de forma a que fosse customer-owned e cujo objetivo fosse o breakeven (i.e., não é suposto ter lucro, mas sim apenas ser capaz de fazer face às suas despesas).
Para compreenderem a diferença, uma empresa de investimento pode ter duas formas:
  1. É uma empresa privada. Funciona da mesma forma que um negócio familiar e o objectivo é gerar valor para os donos - a Fidelity Investments é um exemplo;
  2. É uma empresa cotada em bolsa, detida por accionistas.
Em qualquer um destes casos, o objectivo da empresa é gerar lucro. Apenas deste modo serão capazes de pagar as suas despesas e remunerar os seus donos, sejam eles privados ou accionistas. Não é difícil perceber que quanto maior for o lucro, maior será a fatia dada a cada um destes agentes. Logo, há todo um incentivo para a maximizar tanto quanto possível. E imaginem de quem virá essa fatia...nós, investidores, claro!
Por outras palavras, quando investimos com uma destas empresas, estamos a pagar pelo investimento financeiro propriamente dito e mais alguns pózinhos para os seus donos/accionistas.
Logo, é claro que há aqui um conflito de interesses - o mesmo se passa com portfolio managers, mas isso fica para uma outra versão do post. O dono de uma empresa de investimento quer que os fees sejam tão altos quanto possível. Eu, enquanto investidor, quero pagar o mínimo.
Ainda que este modelo de negócio seja perfeitamente digno. Nós, investidores, temos uma solução melhor! Acontece que John Bogle quando fundou a Vanguard, fê-lo de modo a que a mesma fosse detida pelos fundos que esta opera. Ora, uma vez que são os investidores que detêm os fundos, na práctica, os investidores detêm a própria Vanguard.
Logo, qualquer lucro que a empresa tivesse entraria directamente para a nossa carteira. No entanto, dado que este circulo Investidor - Vnaguard Mutual Funds - Vanguard - Investidor seria um pouco non-sense, a Vanguard opera no breakeven, cobrando os custos mínimos para garantir a sua operação.
No que é isto se traduz, na práctica? No facto de que o expense ratio (ou seja, a taxa de encargos correntes) média dos fundos da Vanguard seja 0.2% contra 1,20% da indústria. Pode não parecer muito, mas considerando este valor sobre vários anos e sobre um capital considerável, dá uns bons mlhares de euros poupados no final de uma vida de investidor.
Lição 4: Fazer para crer
Dito isto, como é que se compra essas coisas estranhas, ETFs? Para o fazer, precisam de uma correctora ou broker. Cada correctora practica o seu próprio preço. Por isso, é importante compararem-nos antes de abrirem conta numa delas. Deixo-vos aqui e aqui e aqui imagens de tabelas comparativas das várias correctoras a operar em Portugal (obrigado, Bárbara Barroso). Para além dos custos de aquisição de títulos, algumas delas cobram ainda custos de manuntenção e/ou outros.
Muitas destas correctoras permitem criar contas demo. Caso estejam indecisos. criem uma e experimentem a plataforma de negociação.
Feito este passo, é uma questão de acederem à dita plataforma, procurar os títulos indicados acima e adquiri-los.
Frequently Asked Questions
Os mercados estão em máximos históricos. Por isso, uma recessão está para breve. Será que devo esperar que a dita recessão chegue e que os mercados acalmem?
Ninguém sabe ao certo quando - e sequer se - estaremos perante uma recessão. A pesquisa feita em torno dos retornos históricos demonstra que se tiveres X€ para investir, a melhor solução é colocá-los de uma só vez no mercado.
Mas ainda ontem ouvi o Miguel Sousa Tavares a dizer que estaria para breve!
Não.
Ah, mas a minha tia, que é economista, disse no jantar de Natal que a guerra comercial da China e dos EUA...
Não.
Ah, mas o meu piriquito...
Não.
Ninguém consegue fazer timing ao mercado e quem vos disser o contrário está a tentar enganar-vos. No caso de serem vocês próprios, sentem-se à espera que a vontade passe, 99.9% das vezes estarão enganados.
Devo investir com a Degiro?
Antes de usarem a DeGiro como vossa correctora leiam este thread e pesquisem Amsterdamtrader Degiro no Google.
Com este tópico pretendo apenas informar-vos. Como tal, ainda que vos possa partilhar convosco como giro os meus investimentos, tento ser o mais imparcial possível. No entanto, sou defensor que devemos fazer escolhas conscientes. Não digo que não seja uma boa opção, estejam apenas consciente do que se passa no background.
Qual é a correctora que usas, u/ORoxo**?**
Comecei por usar o Banco Invest porque me dava uma segurança adicional fazê-lo através de um banco no qual confio. No entanto, os custos eram demasiado elevados e agora faço-o pela DeGiro, apesar do indiquei no ponto imediatamente acima. O importante é termos consciência dos riscos, lembrem-se.
O que acontece se a correctora que uso for à falência?
Regra geral, as correctoras mantêm os nossos activos numa entidade legal separada. Na práctica, isto significa que a correctora teria uma entidades para o negócio de corretagem propriamente dito através da qual realiza todas as actividades inerentes à operação (i.e., pagar os salários dos empregados, receber os fees dos clientes, etc, etc) e outra entidade à qual os nossos activos estariam alocados (dinheiro que temos em conta e os nossos produtos financeiros). A vantagem deste tipo de estrutura é que, em caso de falência do negócio, os ativos dos investidores não poderiam ser usados para pagar aos credores da correctora.
Não vos posso dizer se na práctica é 100% assim mas, pelo menos em teoria, isto acontece (ver e ver). Usando a DeGiro como exemplo:
DEGIRO holds Financial Instruments for you in such a way that they cannot be accessed by creditors of DEGIRO, even if DEGIRO would be bankrupt.
Ainda assim, supondo que a DeGiro ia à falência, dado que está sediada na Holanda, estaria ao abrigo do Investor Compensation Scheme que fará face às obrigações da correctora até um limite de 20k€ por investidor.
Para vos dar outro exemplo, caso investissem através da Interactive Brokers, o limite seria 500k€, uma vez que estariamos ao abrigo da SIPC (Securities Investor Protection Corporation).
Estes valores/regras dependerão do país no qual a correctora está sediada. Caso queiram optar por outra, as preocupações deverão rondar as seguintes questões:
Qual é a rentabilidade anual que posso esperar do meu portfólio, se seguir as estratégias deste post?
Tendo em consideração os dados do último século, o retorno médio anual do mercado de capitais foi de 10%. Na práctica, isto quer dizer que se adquirires um ETF cujo benchmark seja o S&P500 ou um índice global (muitas vezes os ETF deste tipo têm WLR ou World no nome), no longo prazo (20+ anos), podes esperar um retorno anual de 10% nos teus investimentos. Atenta, por favor, que isto não quer dizer que terás todos os anos 10% - poderão haver anos que ganhas 30% e noutros perdes 15%, por exemplo. Ainda assim, no longo-prazo, em média, poderás esperar um retorno de 10%/ano.
O importante é que não faças o que a maior parte das pessoas faz: vender quando o mercado está a cair e comprar quanto o mercado está em alta. O nosso objectivo enquanto investidores de longo prazo deve ser comprar sempre o mesmo em valor absoluto (supõe que defines como objetivo uma taxa de poupança de 30%/mês; deverás investir sempre esses 30% quer o ETF custe 10€ ou 80€). Uns anos essa poupança de 30% comprará mais unidades do dito ETF, outras menos. Ainda assim, no final da nossa vida de investidor, poderemos esperar um retorno de 10%/ano, em média.
Para aqueles que são conservadores, usem 6% como referência.
O ETF xpto é uma boa alternativa aos que mencionas no teu post?
Quando consideramos investir num ETF há algumas questões que devemos colocar:
  1. Qual é o activo subjacente ao ETF?
  2. Qual o custo de gestão do ETF?
  3. O ETF é cumulativo ou distribuí dividendos?
  4. Em que praça é cotado?
  5. Em que moeda está denominado o ETF?
Em primeiro lugar, importa perceber qual é o activo que está subjacente ao ETF.
Em segundo lugar, importa analisar os custos.
Eu posso pensar "epah estar exposto ao mundo todo é melhor do que estar apenas exposto ao mercado dos EUA." Certíssimo. No entanto, o retorno que irei ter ao estar exposto a empresas de diferentes geografias vai compensar a diferença de custos de gestão anuais que terei de pagar? Para além disso, supondo que estou a investir em empresas do S&P500, a maior parte delas operam em vários mercados. Será que faz sentido optar por um ETF que diversifica ainda mais, incorrendo em custos superiores, quando as grandes empresas são, hoje em dia, na sua grande maioria, globais?".
O ponto 3, ainda para mais em Portugal, é fulcral. Cada vez que te forem pagos dividendos, pagarás 28% de imposto. Logo, supondo que recebes 1.000€ de dividendos, só receberás à cabeça 720€. Num ano, pode não parecer muito, capitaliza isto pela tua vida de investidor, no meu caso 50 ou 60€ e tens uma valente fortuna paga ao Estado, sem motivo para isso.
Qual é então a solução? Fácil! Investir num ETF que invés de te dar os 1.000€ todos os anos, os investe automaticamente no ETF. Não só poupaste 28% em imposto como o poder do juro composto vai multiplicar este valor inúmeras vezes. Lembra-te, sempre que possível, accumulating.
O próximo ponto também é essencial uma vez que se o EFT for cotado nos EUA não está sequer acessível para nós. Infelizmente, as normas europeias exigem que os issuers forneçam uma série de informação, sem a qual os ETF não poderão ser transacionados em bolsa Europeias. Consequentemente, não são sequer solução para nós porque simplesmente não estão disponíveis.
Por último, há pessoas que consideram que seja bastante importante a moeda na qual o ETF está cotado devido ao currency risk (i.e., supõe que tens um activo em USD e gastas o teu dinheiro em EUR. O risco é que o USD desvalorize face ao EUR e que, consequentemente, percas poder de compra).
Pessoalmente, não é algo que me faça perder o sono, mas é uma questão a considerar.
O que acontecerá às minhas poupanças daqui a 20 anos se conseguir investir mais 50€/mês?
De acordo com esta calculadora, daqui a 20 anos terás mais 36.199,34€ ou 22.782,29€, consoante a tua perspectiva face à taxa de juro seja optimista ou pessimista, respectivamente.
Quero aprender mais sobre o tópico. O que me aconselhas?
Infelizmente, muito do conteúdo que existe está extremamente vocacionado para o mercado Norte-americano, em particular os EUA - surprise, surprise, han?
De qualquer modo, existem muitas (e boas!) lições que podemos adaptar à nossa realidade. Por isso, caso se sintam à vontade a ler inglês aconselho os seguintes livros:
Creio que para a maior parte deles poderão encontrar a versão em PT. No entanto, caso considerem que há interesse posso fazer um breve resumo de cada um deles e incluí-lo no âmbito do thread.
Para aqueles cujas versões de inglês forem suficientes, mas cujo valor dos livros faça diferença no orçamento familiar, mandem-me dm.
Tenho mais de 100.000€ disponível para investir, devo seguir o mesmo processo?
Não.
Nesse caso, por favor, abre uma garrafa de champanhe. Para além de estares entre os 20% mais ricos de Portugal e dinheiro não ser uma preocupação para ti, podes investir directamente com a Vanguard.
Para o fazeres, envia um e-mail para [email protected] com a indicação de que pretendes investir no index fund cujo ISIN é IE0002639668. Infelizmente, a partir daqui não te consigo ajudar mais, uma vez que ainda não estou neste patamar. Contudo, para questões particulares, estou sempre disponível por dm, se necessitares.
Caso pretendas consultar os restantes fundos disponíveis para investidores portugueses podes fazê-lo aqui.
Creio que já deu para entender que adoro este temas. Por isso, caso tenham alguma questão, estejam completamente à vontade para a colocar nos comentários ou enviar-me dm. Terei todo o gosto em ajudar cada um de vocês em tudo o que me for possível.
Como qualquer pessoa, sou humano e, como tal, não sei tudo. Ainda assim, se for esse o caso, estou disponível para ir aprender de modo a ser capaz de vos explicar e partilhar convosco.
Provavelmente editarei este tópico várias vezes à medida que me for lembrando de mais informação. Até lá, espero que vos seja útil!
submitted by ORoxo to literaciafinanceira [link] [comments]


2020.01.09 15:09 exsoldierakechi Algumas dicas que podem ajudar a conseguir ou manter um emprego.

Aviso post longo! Edit: Obrigado pelos silver ninja!
Colegas do reddit, tinha feito esse post na bolha mas como alguns comentaram pedindo pra trazer pra cá no tópico que fiz sobre a recepção deles lá ( https://www.reddit.com/brasilivre/comments/em3aas/a_bolha_%C3%A9_foda_mesmo_achei_que_era_exagero_mas/ ) Resolvi refazer o post aqui.
Talvez eu troque algumas palavras pois apaguei o post lá de desgosto, mas a idéia é postar aqui e talvez ajudar um ou outro que esteja precisando, as vezes dá uma força extra, vou adicionar alguns pontos que não adicionei antes que podem ajudar.
Lembrando que não sou do RH, trabalho direto na produção e faço a seleção de novos funcionários ou passo direto pra direção quando precisa ter alguma demissão, meu cargo é o intermediário entre um gerente e um diretor, a empresa tem cerca de 100 funcionários e não é nenhuma multinacional. Também acompanho contratações de pessoal pro administrativo ou dou sugestões e afins, então acompanho alguns casos. Boa parte das empresas que não são gigantes não tem um "RH" pra fazer contratações, afinal quem sabe a necessidade real da produção e o perfil necessário é quem tá todo dia no chão de fábrica.
Também vou comentar alguns empregos que você pode conseguir com pouco/nenhum investimento que podem dar retorno e tem uma demanda alta no mercado.
Alguns desses pontos pra você pode parecer discriminação, ou reclamação gratuita, mas eu não vim dizer que tá certo ou errado, só como é pela experiência nesse e em outros trabalhos.Bora lá!
Procurando emprego:
-Se você se formou depois dos 17 anos no ensino médio, é jovem e está procurando emprego, saiba que algumas portas já se fecharam pois isso pode ser mal visto por alguns patrões como preguiça ou falta de interesse, lembra quando os pais mandavam estudar? pois é. Então se você é jovem ou adolescente, corre atrás e vá estudar! Meu patrão mesmo já diz "se não quis nem estudar, quanto mais trabalhar pra valer".
-Acorde cedo. Se esforce e mantenha apresentável, vá em empresas e lugares que ninguém foi, mesmo que um pouco mais afastado. descubra onde é o polo industrial mais próximo da sua casa/cidade, vá até lá e veja quais são as opções. As vezes você pode dar sorte. Já tivemos muitos jovens que nem olhamos o curriculo com remela na cara as 11 da manhã e todo desleixado de chinelo entregando curriculo. Sei que tá dificil e desmotiva alguns, mas não desmotivar é o que te torna diferente e faz ser visivel a diferença só de olhar pra você.
-Tenha boas referências. Considerando a era que estamos é quase certeza que seu facebook vai ser visto. Nenhum empresa quer um funcionário que posta conteúdo racista e agressivo, um detalhe particular que minha empresa se encaixa é que ela corta automaticamente quem posta que bebe demais domingo a noite. Pois já tivemos vários problemas com funcionários faltando segunda feira por estar "com dor de cabeça".
-Empregos com insalubridade. Algumas pessoas podem ter receios mas boa parte deles tem uma demanda alta por novos funcionários e seguindo todas normas de segurança, você não vai ter risco algum ou quase nulo. Além do adicional que pode variar de 10 a 40%. Vale lembrar que isso não se aplica a todas as vagas.
-Saiba com quem falar. Observe a empresa, quando for entregar um currículo abra o site dela no celular, da pra ter noção do tamanho só de ver as fotos ou se a mesma nem tiver um site. Se for uma empresa pequena, tente falar diretamente com alguém responsável, seja simpático mas não force a barra, pois as pessoas costumam estar ocupadas, mas com sorte elas tem ali 1~2 minutos pra falar com você. Não esqueça de agradecer pela pessoa pegar o currículo ao menos olhando ela nos olhos e não aquele "bigado" já saindo andando.Isso é muito mais fácil em coisas do tipo mecânica, eletricista, borracharias e outros comércios com trabalho mais puxado, pois costumam ter poucos funcionários e geralmente é só o dono e mais um ou dois.
-Olhe o crachá das pessoas. Caso entregue um currículo ou qualquer coisa do tipo pra uma recepcionista, porteiro ou afins, olhe o crachá da pessoa se possível e diga "bom dia, fulano", "obrigado fulano" e "conto com você fulano" quando se despedir. Isso cria um vínculo mesmo que leve e a pessoa vai se lembrar melhor. Além do psicológico do "conto com você" dar uma motivação extra involuntária. Tratar as pessoas como pessoas e não como uniformes ajuda bastante.
-Pegue empregos indesejáveis. As vezes você se formou em algo como ciência da computação mas só tem emprego vago no McDonalds? Paciência, emprego é emprego, e as contas não perguntam de onde vem o dinheiro mas tem que ser pagas de qualquer forma. Não é humilhação servir os outros, e é algo que até mesmo diretores de empresa tem que fazer as vezes.
-Está dificil, mas não impossível. Você procurou em todos lugares? tem disponibilidade pra ir pra longe? foi em LITERALMENTE todos os lugares possíveis? Ficou de olho naquele Subway ou Burguer King que acabou de inaugurar? viu algum canteiro de obras mais informal ou alguém construindo uma casa num bairro afastado? Vale a pena dar uma conferida, o que você tem a perder?
-Seja oportunista da forma certa. Pode parecer pesado mas infelizmente se alguém sai, outro precisa entrar. Se alguém perder o emprego existe uma boa chance de a vaga dessa pessoa estar disponível. As vezes não era o perfil dela, ou ela arranjou algo melhor. Vale a pena falar com a pessoa se tiver a abertura pra isso.,meu cunhado arranjou um trabalho de garçom após ir na despedida de um amigo que foi morar no exterior dessa forma.
Dicas pro currículo:
-Adicione o campo de estado civil e idade. As vezes uma empresa pode querer um perfil de funcionário específico. Minha empresa contratou um jovem essa semana pois precisavamos de pessoas dispostas a aprender um trabalho do zero que não da pra aprender em cursos por aí. Então não podiamos pegar ninguém mais velho pra não trazer vícios de outros empregos. Por outro lado, pra uma função de maior confiança, a contratação foi de um pai de família pois por ele ter dependentes, ele arriscaria menos tomar decisões que pudessem causar uma demissão. Se está certo ou errado eu não sei, mas eu sei que na hora de desempatar são coisas que contam.
-Se você não tem vícios, escreva "Sem Vícios". Mas não faça isso se você bebe/fuma/usa drogas, pois quando descoberto pode causar vários problemas. Algumas empresas que trabalhei tem isso como um diferencial na hora de desempatar. Minha empresa por exemplo trabalha com produtos inflamáveis então se você fuma, seu "intervalo" pra isso acaba sendo maior por precisar sair das dependências dela pra isso por exemplo.
-Não encha linguiça. Aqueles campos que o povo adiciona objetivos, seja direto e claro. Não fique com textinho "Garanto desempenhar minhas funções com dedicação e bla bla bla" Porquê não adiciona em nada e 90% dos casos sabemos que você nem lê aquilo, quanto mais nós.
-Saiba destacar seus pontos fortes. Se você tem horários flexível, consegue trabalhar sob pressão, pontualidade e afins, adicione em um campo com seus talentos. Não force a barra pra não parecer exagerado, apenas 2 ou 3 pontos que você enxerga em você. Um dos maiores diferenciais em alguns empregos em empresas um pouco maiores que pode colocar é "facilidade em observar soluções pra problemas comuns" caso você de fato consiga fazer isso (e não seja pau no cu com isso caso contratado, saiba falar).
-Muitos empregos curtos em sequência sem crescimento mancham seu currículo. Como vão contratar alguém que ficou 6 meses em cada lugar, 4 lugares diferentes seguidos, em empregos "de entrada/mínimos"? Se você não conseguiu manter um emprego além do período necessário pra coleta de benefícios do governo, em alguns lugares isso pode afetar. Me lembro de ver um currículo uma vez e dizer "caraca, esse cara tem muito experiência" e o dono só comentar "ele tem é pouca estabilidade... olha a data de entrada e saída de cada lugar que trabalhou e o tempo de intervalo entre eles." Cada caso é um caso mas isso pode influenciar.
-Se você está disposto a trabalhar fora da sua área, marque isso no currículo. E omita algumas qualificações que não adicionam muito, dito isso;
-Tenha 2 currículos diferentes. Um pra sua área de formação/pretenção e um pra uso geral. No de uso geral você não vai adicionar "domínio de javascript" por exemplo pois um chefe de padaria não vai nem saber que porra é essa e vai achar que você é um universitário super caro e não alguém desesperado. Saiba quando e onde entregar cada currículo.
-Sempre tenha um currículo quando possível. Nunca se sabe quando você vai dar um rolê no shopping com alguém e vai ver um "procura-se". Não é vergonha aproveitar uma chance, e se estiver com um namorado(a)/marido/esposa/etc , ela deveria dar total apoio pra você aproveitar uma parada rápida. Está com mochila/bolsa? Curriculo dentro.
-Se você tem filhos, adicione "Casado, com filhos". Isso aumenta em alguns casos a questão da confiança de você querer manter o emprego, e em um eventual corte (como já ocorreu em um emprego anterior) o patrão falou "já que vamos cortar, corta quem não tem filhos antes..." Já me disseram que isso é ilegal mas independente disso, PODE acontecer.
-Mantenha o currículo em bom estado, sem amassados, com escrita decente, fonte clara (Arial ou Verdana) e sem firulas demais.
-Se inscreva em agências regionais e sites,mas não se prenda a eles.
-Quanto mais tempo você fica parado, mais dificil é arrumar trabalho, tenha isso em mente e não desista, não é impossível.
Dicas pra entrevista
-Não se atrase. E não adianta reclamar que o entrevistador atrasou ou como isso é injusto. Ele também tá errado mas ele já ta com o dele garantido. E você nunca sabe o motivo pelo atraso. Eu mesmo já atrasei uma entrevista em 40 minutos pra resolver um problema urgente de um cliente que trouxe uma economia de 300 mil pra ele. Você vale 300 mil pra empresa? O candidato perdeu a vaga por surtar com o atraso.
-Se vista adequadamente, fale adequadamente, seja simpático e sincero. Não force ou seja falso só seja você mesmo. Uma dica é falar como se estivesse falando com um professor que está corrigindo sua prova. Ele não tem motivos pra ter raiva de você mas ele espera seu melhor pois ele quer você ali, se tudo começar a sair uma merda, ele não vai ter interesse.
-Não dê respostas prontas pra perguntas prontas, não tente aumentar histórias, ser inconveniente ou enrolar o cara. pra cada entrevista que você vai o entrevistador faz 10x mais e vai te bater por simples experiência. Não diga que sabe algo que não sabe.
-As vezes ele não vai com sua cara, e não vai te contratar, as vezes por bons ou maus motivos. Mantenha a porta aberta e seja educado ainda assim, e "te ligamos" não é um não disfarçado sempre. As vezes a pessoa tem mais de uma boa opção e precisa analisar as opções.
-Se prepare. pesquise a empresa, o site, leia relatos em sites como Glassdoor e LinkedIn, saiba sobre o lugar que vai trabalhar. Você vai passar ao menos 1/3 do seu dia lá dentro.
Dicas após contratado:
-Não se atrase, não falte, não enrole, faça seu trabalho. Não tente ser esperto, não vacila!
-Não é porque existe "atestado médico" que a direção é troxa e não sabe que você está abusando. Use com bom senso pra não ficar queimado.
-As vezes você vai fazer coisas que não são da sua área. Isso faz parte e muitas vezes não é ideal, mas 5 minutos a mais no fim do dia quando você vê seu chefe carregando algum material urgente ou precisando imprimir alguma coisa e levar em outro setor urgente não vão te custar nada e dão destaque. Só não pode ser algo diário, mas em exceções é o que faz a diferença.
-Aprenda sobre o trabalho dos outros. Se você tem flexibilidade pra andar por outros setores, falar com funcionários (falar, não enrolar), observe o trabalho, pergunte como faz, se mostre interessado. Ajude o setor que empacota a fechar caixas, passa durex, da uma força. São esses funcionários que fazem a diferença. Vale lembrar que isso não se aplica a todas vagas ou lugares. Na empresa onde trabalho a moça que entrou com salário de 700 reais como recepcionista 15 anos atrás hoje é a administradora geral que cuida de todo escritório, RH e financeiro, e tem salário de mais de 6000 só com uma graduação de adm, e um dos pontos que ela sempre comentou foi "no final do dia eu anotava tudo que fiz no dia em um caderno e tudo que ia ter pendente no dia seguinte, assim eu sempre sabia o que precisava e um dia tinha uma informação crítica aqui que passou despercebido por uma das vendedoras. Fui promovida na hora".
-Nunca dê 100% de si, dê 90%. Assim quando a empresa passar por uma correria, ou aperto, você pode dar 100% sem se desgastar e pode fazer a diferença.
-Aproveite as oportunidades de horas extras quando puder. Além do dinheiro extra, você se mostra alguém comprometido.
-Não fique pendurado no celular, enrolando no banheiro, ou fazendo coisas que claramente você perde tempo. Ninguém é burro de não perceber a longo prazo. Caso tenha necessidade disso por emergência ou dor de barriga, discretamente comente com um superior ou alguém responsável como "nossa, comi alguma coisa que pesou, seloco" ou algo do tipo. Ou se está esperando o contato de alguém importante.
-Siga as regras. Não roube materiais da empresa pois você vai se queimar nela e em várias oportunidades futuras. Não assedie os/as colegas de trabalho, não importa o quão bonito/a ele/a seja. Mantenha o profissionalismo (E se a empresa autoriza relacionamento entre funcionários E for reciproco, mantenha fora do local de trabalho).Não grite por mais que seu chefe grite ou aja igual babaca, mantenha o nível, saiba respeitar e exija respeito.
Dicas de bons empregos pra se procurar:
-Professor de Inglês : boa parte do reddit ao menos tem um inglês razoável. Se você consegue falar bem e explicar a um nível aceitável, Escolas de inglês SEMPRE estão procurando professores. E eles vão te treinar totalmente sobre como fazer isso. Escolas mais fuleiras (como a DataByte ou Microlins) costumam pagar entre 10 e 15 reais a hora, e em minha entrevista ele estava tão desesperado que não tinha ninguém pra fazer a entrevista em inglês e só pediu pra ler 2 paginas de um livro e já era. Em escolas intermediárias (PBF, CNA, etc) o salário pode ser de 12~18 reais por hora (alguns sendo registrado por dias, como empregos convencionais) e a entrevista geralmente é um teste escrito e uma curta conversa. Em escolas de mais nome (Cultura Inglesa, Wizard-onde trabalhei-) O salário inicial é na faixa de 18~19 reais a hora, após 6 meses se dedicando é normal te darem turmas pra cargas de até 100~120 horas mensais caso você tenha interesse. Isso sem experiência anterior, sem certificado ou requisitos absurdos, só saber falar e explicar, e eles ainda te dão curso/treinamento completo caso precise sobre postura em sala, liderança e afins. Quando saí de lá após 4 anos já tinha salário de 26 reais a hora, MUITOS contatos com ex alunos, colegas e pessoas legais e ajudou muito no crescimento profissional. Nada mal pra um emprego que não exigiu experiência, todo semestre tinha 2~3 contratações e um ambiente extremamente aconchegante e animado de trabalho(porém puxado). Muitos colegas tiveram seu primeiro emprego lá e acabaram pegando amor pelo trabalho e hoje são excelentes professores. Faça um simulado de TOEIC online e se você acertou 60~70%, muito provavelmente você já tem o nível necessário pra dar aula, ao menos da língua. Além de desenvolver MUITO meu vocabulário com detalhes novos, eu e outros professores não tinhamos problema algum em tirar duvidas bobas ou formas de explicar pra colegas menos experientes.
-Lanchonetes de fast food: Não preciso nem dizer pois é o emprego de entrada, quase sempre tem vagas, mas é um trabalho miserável, porém da pra pagar as contas.
-Aux de Enfermagem: Involve um custo inicial pra estudar, mas tem muita oferta de trabalho em UPAS (eles terceirizam alguns funcionários pela rotatividade alta), é um trabalho DOENTE de puxado mas rende um salário bom geralmente em escala 12/36. Além de te dar experiência invejavel pra area da saúde. Vale a pena se você não sabe o que quer da vida e tem vontade de entrar nessa área.
Técnico em Química: Isso depende muito da região mas minha empressa é dessa área, e sofremos MUITO, MUITO MESMO com a falta tanto de profissionais qualificados quanto de gente começando na área. Já tivemos funcionarios com seus 19 anos, que oferecemos pra PAGAR os estudos pra ele subir de cargo da expedição pro laboratório e ele não quis por "ser complicado", não é um curso fácil mas não é um bixo de sete cabeças. A técnica mais antiga aqui tem salário de 5000 reais e não tem faculdade. Inclusive vale analisar que alguns cargos da area simplesmente não tem um curso preparatório e precisam ser aprendidos em campo e com o tempo, então tudo nessa area tem uma boa perspectiva de carreira.
Empregos "Trades": Encanador, Eletricista, Mecânico e afins de qualidade sempre estão em falta. E muitos deles estão abertos a ter um "aprendiz", se você as vezes tem seus 15~16 anos, e conhece algum daqueles pequenos de bairro, ofereça pra ficar 2~3 horas depois da aula alguns dias só pra aprender como é, são empregos que pagam bem e tem falta de bons profissionais. Além de abrir uma porta pro futuro.
Bom é isso ai, espero que seja útil pra alguns de vocês, qualquer duvida posso tentar responder aqui e desejo boa sorte na caçada de 2020!
submitted by exsoldierakechi to brasilivre [link] [comments]


2019.12.28 13:24 ORoxo Como investir Keep it simple, Stupid!

Olá,
Se chegaste até aqui é porque estás preocupado com as tuas finanças, por isso, parabéns!
De facto, é uma preocupação fundamentada, uma vez que, de acordo com Relatório sobre a Sustentabilidade Financeira da Segurança Social publicado em Outubro de 2018 como anexo do Orçamento de Estado de 2019, a Segurança Social como a conhecemos hoje esgotar-se-á no final da segunda metade da década de 2040.

O FEFSS (Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social), a ser utilizado perante saldos negativos do sistema previdencial a partir do final da segunda metade da década de 2020, teria com a atual projeção, um esgotamento no final da segunda metade da década de 2040, representando uma melhoria face à projeção do relatório de sustentabilidade anexo ao Relatório do OE de 2017, em cinco anos.

Assim, se, tal como eu, estás a iniciar a tua vida adulta, provavelmente será responsável pelo teu próprio sustento durante a idade da reforma. Como tal, temos de arranjar uma forma de garantir que o nosso dinheiro rende, para garantir esse conforto futuro.
A melhor forma que conheço para o fazer é através de investimentos, algo que começa agora a ser falado no nosso país, mas sobre o qual a generalidade das pessoas ainda sabe muito pouco.

Ao contrário de subs de outros países relacionadas com finanças pessoais onde existem vários tópicos Guide, em Portugal, tal não acontece.
Para colmatar essa lacuna, decidi escrever este post que espero ajudar aqueles que buscam conselhos financeiros e que se deparam com esta comunidade pela primeira vez.
Infelizmente (ou felizmente) não venho de famílias abastadas. Como tal, há cerca de 2/3 anos quando comecei a ganhar alguma autonomia financeira coincidente com a minha entrada no mercado de trabalho, comecei a pensar como é viria a fazer face às minhas despesas - casa, carro, alimentação, etc.
Desta reflexão resultaram muitas horas de leitura e lições que agora partilho aqui convosco:

Lição 1: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês.
Começo por partilhar convosco que uma das coisas que mais me irrita na indústria financeira - e no qual tenho a minha quota-parte de culpa, dado que é a minha área de formação - é da necessidade de complicar. Alguém que esteja de fora, ficará intimidado pela complexidade de palavras que usamos como asset alocation, derivatives, bonds, stocks, optimal portfolio allocation, options, warrants e futuros. Como se isso não bastasse, não educamos os jovens em finanças - em muitos casos temos dificuldade em poupar e noutros tantos em perceber como investir.
Claro que toda esta iliteracia financeira é um paraíso para portfolio managers e outros agentes dispostos a investir o vosso dinheiro por vocês. Porquê, perguntam vocês?
Existem três formas através das quais um porfolio manager consegue fazer dinheiro para a empresa:
  1. Comissões sobre produtos;
  2. Assets Under Management;
  3. Aconselhamento 1-on-1.

Em primeiro lugar, parte do salário de um portfolio manager, é variável. Por outras palavras, está dependente do lucro que trouxer para a empresa. Como tal, não é de admirar que vos sugerirão aqueles produtos que lhes dêem maior retorno, independentemente do retorno que vos trouxerem para vocês. Como tal, aqueles produtos que vos tentarão enfiar pela garganta abaixo são precisamente aqueles que vão de acordo com os objectivos deles (maximizar lucro) e não necessariamente os vossos (maximizar o retorno).
Para além disso, existe também o modelo AUM (Assets Under Management) que na práctica é 1-2% que vos cobrados pelo valor de activos na vossa carteiro. A título de exemplo, suponham que eu tenho 100.000€ investidos na institução A cuja taxa AUM é de 2%. Todos os anos terei de pagar 2.000€ à instituição financeira que faz a gestão dos meus activos, independentemente de ter, ou não lucro. Imaginem que num dado ano tive 6% de retorno, a inflação foi de 3% e a AUM é de 2%. Resta-me 1% de um retorno que deveria ter sido 3%. De repente, um ano que até teria sido bastante positivo transformou-se num mísero 1%. (Parece-vos justo? Nem a mim...)
Por último, alguns advisors estão ainda disponíveis para vos aconselha por uma módica quantia de X, sendo X um valor absolutamente ridículo para o qual não existe qualquer justificação lógica. Como se tal não bastasse, muitas vezes esse aconselhamento não se traduz em qualquer valor acrescentado para nós. Com sorte, vai de encontro ao ponto 1 e comem-nos por parvos duas vezes: no aconselhamento que roçou o medíocre e na venda de um produto com comissões altíssimas e retornos pelas ruas da amargura.

Dito isto, aqui fica a primeira lição: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês!

No entanto, identificar um problema sem o tentar resolver soa-me um pouco hipócrita. Por isso, deixem-me introduzir-vos à segunda lição: é mais fácil do que parece.

Dado que, como já partilhei convosco acima, a minha formação base é finanças, comecei a pensar "como é que se investe?". Esta questão levou-me a ler vários livros sobre investimento e apercebi-me que, ao contrário do que todos os profissionais da área faziam parecer crer, investir, era bastante simples.
Tão simples, de facto, que alguém com zero experiência como investidor conseguirá obter um retorno melhor do que 80% dos ditos portfolio managers utilizando apenas as ferramentas que partilharei convosco neste thread.

O quê?! 80%?! Mas investir não é difícil?!
Não.

O quê?! Melhores retornos que portfolio managers que vivem, respiram e comem informação financeira?
Sim.

Afinal eu não preciso de pagar fees ao meu banco para investir por mim?!
Não.

Contudo, antes de partilhar convosco quais são essas ferramentas há três questões que são imperativas que saibam responder:

  1. Em que fase da vossa vida é que estão? Acumulação ou Preservação de riqueza?;
  2. Que níveis de risco é que estão disponíveis a aceitar?;
  3. O vosso horizonte temporal a nível de investimentos é longo ou curto prazo?.

Certamente repararam que as três questões estão intrinsecamente ligadas e que existe um tema comum a todas elas, risco. Pelo que gostava de começar por abordá-lo em primeiro lugar.
Ao contrário do que vos possam dizer ou vocês próprios possam pensar, não existe nenhum investimento 100% seguro.
Experimentem colocar o vosso dinheiro debaixo do colchão durante 20 anos e depois contem-me como os 20k€ que com tanto esforço, suor e lágrimas amealharam valem agora apenas 5k€ em bens e/ou serviços. Ou talvez vocês seja pessoas conservadoras e decidam comprar títulos do tesouro, mas nesse caso apresentar-vos-ei a minha inflação ou então são completamente o oposto e decidem que acções is the way to go, caso em que opto por vos dar a conhecer a minha outra amiga, deflação.
Estes exemplos não servem para vos desincentivar de investir. Queria apenas de uma forma, mais ou menos, lúdica demonstrar-vos que, qualquer que seja a nossa opção, nunca estamos 100% seguros. Consequentemente, a única opção que nos resta é fazer as escolhas que julgamos serem as mais correctas com a informação que temos disponível de momento - e atenção que não fazer escolha é, em si, uma escolha.
Dito isto, existem apenas outras três ferramentas que necessitam para construir o vosso portfolio:
(já repararam que eu gosto de manter as coisas simples?)

  1. Acções
E se invés de apostarmos numa única equipa e rezássemos para que essa equipa vencesse, pudéssemos apostar que uma qualquer equipa entre todas as que estão na competição poderia ganhar? As nossas odds seriam bem melhores, verdade?
É isso que constitui um index fund - um cabaz de acções de várias empresas. Regra geral, cada index fund tem um benchmark que segue o que acaba por definir as ações nas quais esse index fund invest. Tudo o que precisam de saber são três siglas muito simples, IWDA:NA, VUSA e VWRL.

Quais as diferenças?
Dentro dos fundos cotados (aka ETFs), existem duas sub-classes no que toca à distribuição dos dividendos consoante o fundo reeinvista autmaticamente os dividendos ou caso os distribua aos investidores, chamados accumulation ou distribution, respectivamente*.*
Isto é relevante principalmente para efeitos fiscais. No que toca a investimentos desta natureza, existem dois momentos nos quais estás sujeito a imposto.
Na altura de receberes os dividendos e no momento da venda propriamente dito.
Aquando da distribuição dos dividendos, o teu broker transferirá para a conta bancária associada o valor dos dividendos retirados os 28% de imposto. No momento da venda, analisar-se-á qual a mais ou menos valia que há a realizar. Isto é, se vendeste o investimento a um preço superior ao que compraste, o valor de imposto a pagar será de 28% sobre essa diferença. Se o valor de venda for inferior ao valor de compra, não terás qualquer imposto a pagar.
Logo, salvo raras excepções, é aconselhável que se invista num ETF que seja cumulativo (IWDA:NA). Desta forma, tiraremos proveito da capitalização composta dos juros ao mesmo tempo que adiamos o pagamento de impostos desnecessários.

  1. Obrigações
As obrigações proporcionam uma viagem ao longo do percurso de investidor um pouco mais suave. Pessoalmente, dada a minha idade, não creio que tenha muito interesse para mim. No entanto, para investidores mais conservadores, BND e AGGG-fund?switchLocale=y&siteEntryPassthrough=true) são as única sigla que precisam de conhecer neste sub-universo.

  1. Dinheiro
Um fundo de emergência é algo que devemos sempre ter. Ninguém sabe o que acontecerá no dia de amanhã e enquanto investidores de longo-prazo não queremos ter de liquidar os nossos activos devido a uma emergência. Por isso, três a seis meses de despesas fixas é um bom objectivo para se ter em dinheiro numa conta a ordem ou conta poupança que possa ser movimentada sem incorrer em custos.

Lição 2: Todos os portfolio managers acreditam que conseguem bater o mercado. Por sua vez, nós, investidores, acreditamos que conseguimos escolher aqueles que o fazem. Estamos todos enganados.

Imaginem uma sala cheia de crânios financeiros, vestidos nos seus fatos com tecidos italianos. Estes profissionais contam com anos de experiência nos mercados de capitais, para não falar das décadas passadas a estudar em grandes Business Schools.
Para além disso, têm à sua disposição inúmeras ferramentas da Bloomberg, Reuters e outros grandes players que lhes permitem ter acesso a toda a informação, constantemente actualizada, a qualquer instante.
Apesar de trabalharem noite e dia, estes guerreiros também descansam para um ocasional café, cigarro e almoço de negócios. Nesses raros e curtos momentos, encontram-se com outros analistas, experts, insiders das empresas nas quais investem e outra panóplia de gente importante.
Ao conviverem tão próximos com a realidade na qual investem, de certeza que eles sabem o que andam a fazer, certo?
Ahhhhh...think again.
Está comprovado impericamente (clicar irá fazer o download de um pdf) que os vários fundos de investimento não são capazes de dar rendibilidade superior ao seus investidores, quando comparado com o mercado.
Num horizonte temporal de 5 anos, 84,15% dos fundos de investimento tiveram uma performance pior do que o S&P500.
Logo, para terem um retorno superior ao mercado, vocês teriam de escolher o melhor fundo de investimentos possível, de um conjunto de 10! Como se isso não bastasse - e supondo que escolhiam o fundo vencedor -, ser-vos-ia cobra entre 1 a 2% em comissões. Não é muito? Para ilustrar a diferença que isto pode fazer, sigam o meu raciocínio:

Suponham que investiram 10.000€ há 30 anos num dado activo. A rentabilidade média desse mesmo activo foi de 7%, já tida a inflação em conta. Se tivessem investido vocês mesmos esse valor num index fund, teriam aproximadamente 66.000€. Por sua vez, se tivessem escolhido o fundo vencedor teriam apenas 43.000€. Uma diferença de 23.000€ tendo por base apenas 2%. Funny, right?

(aqui estou a supor que o fundo vencedor vos proporcionava apenas a mesma rentabilidade dada pelo mercado, mas dado que assumi, de 10 fundos de investimento, vocês escolhiam o único cuja rentabilidade não era pior que a do mercado, parece-me justo para balançar o cenário)

Este exemplo introduz-nos à próxima lição.

Lição 3: Controlem o que conseguem controlar

Esta conversa é toda muito bonita, mas o que raio é essa coisa da Vanguard e porque é que todos os EFTs que sugeres são geridos por eles? Afinal, também és um vendedor?!

Bom ponto, tens estado atento!
Um mercado de capitais é um sítio feio, se não soubermos gerir as emoções provavelmente perderemos muito dinheiro - mais sobre isto numa edição futura do post. A verdade é que os nossos investimentos irão desvalorizar e valorizar várias vezes ao longo do tempo. Como tal, uns anos serão positivos e outros nem tanto. Isto para dizer algo que ninguém gosta de ouvir: não podemos controlar o retorno que o mercado nos dá. Felizmente, há algo que nos cabe a nós controlar: o custo do nosso investimento.
Uma vez que o lucro do nosso investimento será nada mais do que retorno - custo, minimizando o custo estamos a optimizar esta equação.
É aqui que entra a Vanguard, fundada por um grande senhor, John Bogle, em 1975.
O que a torna tão especial é que, no momento da sua fundação, John Bogle estruturou-a de forma a que fosse customer-owned e cujo objetivo fosse o breakeven (i.e., não é suposto ter lucro, mas sim apenas ser capaz de fazer face às suas despesas).
Para compreenderem a diferença, uma empresa de investimento pode ter duas formas:

  1. É uma empresa privada. Funciona da mesma forma que um negócio familiar e o objectivo é gerar valor para os donos - a Fidelity Investments é um exemplo;
  2. É uma empresa cotada em bolsa, detida por accionistas.

Em qualquer um destes casos, o objectivo da empresa é gerar lucro. Apenas deste modo serão capazes de pagar as suas despesas e remunerar os seus donos, sejam eles privados ou accionistas. Não é difícil perceber que quanto maior for o lucro, maior será a fatia dada a cada um destes agentes. Logo, há todo um incentivo para a maximizar tanto quanto possível. E imaginem de quem virá essa fatia...nós, investidores, claro!
Por outras palavras, quando investimos com uma destas empresas, estamos a pagar pelo investimento financeiro propriamente dito e mais alguns pózinhos para os seus donos/accionistas.
Logo, é claro que há aqui um conflito de interesses - o mesmo se passa com portfolio managers, mas isso fica para uma outra versão do post. O dono de uma empresa de investimento quer que os fees sejam tão altos quanto possível. Eu, enquanto investidor, quero pagar o mínimo.
Ainda que este modelo de negócio seja perfeitamente digno. Nós, investidores, temos uma solução melhor! Acontece que John Bogle quando fundou a Vanguard, fê-lo de modo a que a mesma fosse detida pelos fundos que esta opera. Ora, uma vez que são os investidores que detêm os fundos, na práctica, os investidores detêm a própria Vanguard.
Logo, qualquer lucro que a empresa tivesse entraria directamente para a nossa carteira. No entanto, dado que este circulo Investidor - Vnaguard Mutual Funds - Vanguard - Investidor seria um pouco non-sense, a Vanguard opera no breakeven, cobrando os custos mínimos para garantir a sua operação.

No que é isto se traduz, na práctica? No facto de que o expense ratio (ou seja, a taxa de encargos correntes) média dos fundos da Vanguard seja 0.2% contra 1,20% da indústria. Pode não parecer muito, mas considerando este valor sobre vários anos e sobre um capital considerável, dá uns bons mlhares de euros poupados no final de uma vida de investidor.

Lição 4: Fazer para crer
Dito isto, como é que se compra essas coisas estranhas, ETFs? Para o fazer, precisam de uma correctora ou broker. Cada correctora practica o seu próprio preço. Por isso, é importante compararem-nos antes de abrirem conta numa delas. Deixo-vos aqui e aqui e aqui imagens de tabelas comparativas das várias correctoras a operar em Portugal (obrigado, Bárbara Barroso). Para além dos custos de aquisição de títulos, algumas delas cobram ainda custos de manuntenção e/ou outros.
Muitas destas correctoras permitem criar contas demo. Caso estejam indecisos. criem uma e experimentem a plataforma de negociação.
Feito este passo, é uma questão de acederem à dita plataforma, procurar os títulos indicados acima e adquiri-los.


Frequently Asked Questions

Os mercados estão em máximos históricos. Por isso, uma recessão está para breve. Será que devo esperar que a dita recessão chegue e que os mercados acalmem?
Ninguém sabe ao certo quando - e sequer se - estaremos perante uma recessão. A pesquisa feita em torno dos retornos históricos demonstra que se tiveres X€ para investir, a melhor solução é colocá-los de uma só vez no mercado.

Mas ainda ontem ouvi o Miguel Sousa Tavares a dizer que estaria para breve!
Não.
Ah, mas a minha tia, que é economista, disse no jantar de Natal que a guerra comercial da China e dos EUA...
Não.
Ah, mas o meu piriquito...
Não.

Ninguém consegue fazer timing ao mercado e quem vos disser o contrário está a tentar enganar-vos. No caso de serem vocês próprios, sentem-se à espera que a vontade passe, 99.9% das vezes estarão enganados.

Devo investir com a Degiro?
Antes de usarem a DeGiro como vossa correctora leiam este thread e pesquisem Amsterdamtrader Degiro no Google.
Com este tópico pretendo apenas informar-vos. Como tal, ainda que vos possa partilhar convosco como giro os meus investimentos, tento ser o mais imparcial possível. No entanto, sou defensor que devemos fazer escolhas conscientes. Não digo que não seja uma boa opção, estejam apenas consciente do que se passa no background.

Qual é a correctora que usas, u/ORoxo**?**
Comecei por usar o Banco Invest porque me dava uma segurança adicional fazê-lo através de um banco no qual confio. No entanto, os custos eram demasiado elevados e agora faço-o pela DeGiro, apesar do indiquei no ponto imediatamente acima. O importante é termos consciência dos riscos, lembrem-se.

O que acontece se a correctora que uso for à falência?
Regra geral, as correctoras mantêm os nossos activos numa entidade legal separada. Na práctica, isto significa que a correctora teria uma entidades para o negócio de corretagem propriamente dito através da qual realiza todas as actividades inerentes à operação (i.e., pagar os salários dos empregados, receber os fees dos clientes, etc, etc) e outra entidade à qual os nossos activos estariam alocados (dinheiro que temos em conta e os nossos produtos financeiros). A vantagem deste tipo de estrutura é que, em caso de falência do negócio, os ativos dos investidores não poderiam ser usados para pagar aos credores da correctora.
Não vos posso dizer se na práctica é 100% assim mas, pelo menos em teoria, isto acontece (ver e ver). Usando a DeGiro como exemplo:

DEGIRO holds Financial Instruments for you in such a way that they cannot be accessed by creditors of DEGIRO, even if DEGIRO would be bankrupt.

Ainda assim, supondo que a DeGiro ia à falência, dado que está sediada na Holanda, estaria ao abrigo do Investor Compensation Scheme que fará face às obrigações da correctora até um limite de 20k€ por investidor.
Para vos dar outro exemplo, caso investissem através da Interactive Brokers, o limite seria 500k€, uma vez que estariamos ao abrigo da SIPC (Securities Investor Protection Corporation).
Estes valores/regras dependerão do país no qual a correctora está sediada. Caso queiram optar por outra, as preocupações deverão rondar as seguintes questões:


Qual é a rentabilidade anual que posso esperar do meu portfólio, se seguir as estratégias deste post?
Tendo em consideração os dados do último século, o retorno médio anual do mercado de capitais foi de 10%. Na práctica, isto quer dizer que se adquirires um ETF cujo benchmark seja o S&P500 ou um índice global (muitas vezes os ETF deste tipo têm WLR ou World no nome), no longo prazo (20+ anos), podes esperar um retorno anual de 10% nos teus investimentos. Atenta, por favor, que isto não quer dizer que terás todos os anos 10% - poderão haver anos que ganhas 30% e noutros perdes 15%, por exemplo. Ainda assim, no longo-prazo, em média, poderás esperar um retorno de 10%/ano.
O importante é que não faças o que a maior parte das pessoas faz: vender quando o mercado está a cair e comprar quanto o mercado está em alta. O nosso objectivo enquanto investidores de longo prazo deve ser comprar sempre o mesmo em valor absoluto (supõe que defines como objetivo uma taxa de poupança de 30%/mês; deverás investir sempre esses 30% quer o ETF custe 10€ ou 80€). Uns anos essa poupança de 30% comprará mais unidades do dito ETF, outras menos. Ainda assim, no final da nossa vida de investidor, poderemos esperar um retorno de 10%/ano, em média.

Para aqueles que são conservadores, usem 6% como referência.

O ETF xpto é uma boa alternativa aos que mencionas no teu post?
Quando consideramos investir num ETF há algumas questões que devemos colocar:
  1. Qual é o activo subjacente ao ETF?
  2. Qual o custo de gestão do ETF?
  3. O ETF é cumulativo ou distribuí dividendos?
  4. Em que praça é cotado?
  5. Em que moeda está denominado o ETF?
Em primeiro lugar, importa perceber qual é o activo que está subjacente ao ETF.
Em segundo lugar, importa analisar os custos.
Eu posso pensar "epah estar exposto ao mundo todo é melhor do que estar apenas exposto ao mercado dos EUA." Certíssimo. No entanto, o retorno que irei ter ao estar exposto a empresas de diferentes geografias vai compensar a diferença de custos de gestão anuais que terei de pagar? Para além disso, supondo que estou a investir em empresas do S&P500, a maior parte delas operam em vários mercados. Será que faz sentido optar por um ETF que diversifica ainda mais, incorrendo em custos superiores, quando as grandes empresas são, hoje em dia, na sua grande maioria, globais?".
O ponto 3, ainda para mais em Portugal, é fulcral. Cada vez que te forem pagos dividendos, pagarás 28% de imposto. Logo, supondo que recebes 1.000€ de dividendos, só receberás à cabeça 720€. Num ano, pode não parecer muito, capitaliza isto pela tua vida de investidor, no meu caso 50 ou 60€ e tens uma valente fortuna paga ao Estado, sem motivo para isso.
Qual é então a solução? Fácil! Investir num ETF que invés de te dar os 1.000€ todos os anos, os investe automaticamente no ETF. Não só poupaste 28% em imposto como o poder do juro composto vai multiplicar este valor inúmeras vezes. Lembra-te, sempre que possível, accumulating.
O próximo ponto também é essencial uma vez que se o EFT for cotado nos EUA não está sequer acessível para nós. Infelizmente, as normas europeias exigem que os issuers forneçam uma série de informação, sem a qual os ETF não poderão ser transacionados em bolsa Europeias. Consequentemente, não são sequer solução para nós porque simplesmente não estão disponíveis.
Por último, há pessoas que consideram que seja bastante importante a moeda na qual o ETF está cotado devido ao currency risk (i.e., supõe que tens um activo em USD e gastas o teu dinheiro em EUR. O risco é que o USD desvalorize face ao EUR e que, consequentemente, percas poder de compra).
Pessoalmente, não é algo que me faça perder o sono, mas é uma questão a considerar.

O que acontecerá às minhas poupanças daqui a 20 anos se conseguir investir mais 50€/mês?
De acordo com esta calculadora, daqui a 20 anos terás mais 36.199,34€ ou 22.782,29€, consoante a tua perspectiva face à taxa de juro seja optimista ou pessimista, respectivamente.

Terás tido um proveito líquido de 19% com esta simples operação, excluído eventuais comissões de resgate e subscrição. Daí que o passo 1 seja importante.
De nada :)

Quero aprender mais sobre o tópico. O que me aconselhas?
Infelizmente, muito do conteúdo que existe está extremamente vocacionado para o mercado Norte-americano, em particular os EUA - surprise, surprise, han?
De qualquer modo, existem muitas (e boas!) lições que podemos adaptar à nossa realidade. Por isso, caso se sintam à vontade a ler inglês aconselho os seguintes livros:


Creio que para a maior parte deles poderão encontrar a versão em PT. No entanto, caso considerem que há interesse posso fazer um breve resumo de cada um deles e incluí-lo no âmbito do thread.
Para aqueles cujas versões de inglês forem suficientes, mas cujo valor dos livros faça diferença no orçamento familiar, mandem-me dm.

Tenho mais de 100.000€ disponível para investir, devo seguir o mesmo processo?
Não.
Nesse caso, por favor, abre uma garrafa de champanhe. Para além de estares entre os 20% mais ricos de Portugal e dinheiro não ser uma preocupação para ti, podes investir directamente com a Vanguard.
Para o fazeres, envia um e-mail para [[email protected]](mailto:[email protected]) com a indicação de que pretendes investir no index fund cujo ISIN é IE0002639668. Infelizmente, a partir daqui não te consigo ajudar mais, uma vez que ainda não estou neste patamar. Contudo, para questões particulares, estou sempre disponível por dm, se necessitares.
Caso pretendas consultar os restantes fundos disponíveis para investidores portugueses podes fazê-lo aqui.


Creio que já deu para entender que adoro este temas. Por isso, caso tenham alguma questão, estejam completamente à vontade para a colocar nos comentários ou enviar-me dm. Terei todo o gosto em ajudar cada um de vocês em tudo o que me for possível.
Como qualquer pessoa, sou humano e, como tal, não sei tudo. Ainda assim, se for esse o caso, estou disponível para ir aprender de modo a ser capaz de vos explicar e partilhar convosco.

Provavelmente editarei este tópico várias vezes à medida que me for lembrando de mais informação. Até lá, espero que vos seja útil!
submitted by ORoxo to financaspessoaispt [link] [comments]


Mileide Uma bebê dessa nunca mais vai esquecer Wesley Safadão - Tudo Ok (Brota no Bailão) A gratidão e uma coisa q não se paga, e não se esquece É VINGANÇA QUE VC QUER? É Hoje que ele paga todo mal que ... ELE VIU GRANDE TRIBULAÇÃO E SABE A 'DATA' - (A NASA SABE?) SERÁ QUE É VOCÊ QUE DEVE PAGAR A CONTA? O Cristão deve comemorar o natal? Essa data não é uma data pagã? BANDA 100 PAREA O mal se paga com o bem - YouTube O que posso fazer se alguém me deve e não me paga? - YouTube Waldisney muda visual e surpreende Nanci  As Aventuras de Poliana

Natal é uma data pagã? Yahoo Respostas

  1. Mileide Uma bebê dessa nunca mais vai esquecer
  2. Wesley Safadão - Tudo Ok (Brota no Bailão)
  3. A gratidão e uma coisa q não se paga, e não se esquece
  4. É VINGANÇA QUE VC QUER? É Hoje que ele paga todo mal que ...
  5. ELE VIU GRANDE TRIBULAÇÃO E SABE A 'DATA' - (A NASA SABE?)
  6. SERÁ QUE É VOCÊ QUE DEVE PAGAR A CONTA?
  7. O Cristão deve comemorar o natal? Essa data não é uma data pagã?
  8. BANDA 100 PAREA O mal se paga com o bem - YouTube
  9. O que posso fazer se alguém me deve e não me paga? - YouTube
  10. Waldisney muda visual e surpreende Nanci As Aventuras de Poliana

Quem paga a conta do Motel, ELE ou ELA? ... 7 Passos para se tornar uma Mulher Sedutora Fatal e Irresistível - Duration: ... USE ESSA TÉCNICA PARA ELE SE APAIXONAR - Duration: ... Escrita pela autora Iris Abravanel e com a direção-geral de Reynaldo Boury, a nova novela do SBT, As Aventuras de Poliana, é uma história inspirada no clássi... Tom Horn, um homem famoso nos Estados Unidos, teve uma visão sobre o Papa bento 16 e acertou. Agora ele que uma grande tribulação se aproxima e ele afirma que será em 2029! Meu Instagram ... Louvores e Adoração 2020 - As Melhores Músicas Gospel Mais Tocadas 2020 - ESPÍRITO SANTO EM 2020 Melhores Músicas Gospel 2,775 watching Live now Ong Namo (Live) - Duration: 13:03. Veja 15 razões porque devemos comemorar o natal em 25 dezembro. Existe uma indagação de que o cristão não deve comemorar o natal em 25 de dezembro simplesmente por Cristo não nasceu nessa data. Siga nosso Instagram: @cshitsoficial Divulgue seu trabalho no CS Hits - [email protected] Letra: É hoje que ele paga todo o mal que ele te fez É hoje que ele paga todo o mal que ele te fez ... Doações: https://picpay.me/studio7cv Apoie o Canal: https://picpay.me/studio7cv ----- Nossos Perfis: Instagram: @studio7cv T... ****Quer realizar uma consulta particular? Entre em contato pelo WathsApp: (51) 991.933.070 BARALHO CIGANO - CARTAS CIGANAS - LENORMAND - TAROT ஜ۩... Se você tem uma dívida para receber, ou está devendo alguém, descubra neste vídeo o que você pode fazer, ou o que pode acontecer com você! - Giovanni Machado... Wesley Safadão entra em DESESPERO por causa de MILEIDE MIHAILE. 'É hoje que ele paga todo mal' - Duration: 3:15. Fê Notícias 135,137 views