Uk fundo

We use cookies to offer you a better browsing experience, analyse site traffic and personalise content. Read about how we use cookies in our Privacy Policy.You may ... The Fund aims to provide a dividend income with prospects for both income and capital growth. The Fund invests primarily in shares of UK companies in any industry. The Fund may also invest in bonds of any quality from any issuer, money market instruments and bank deposits. A fundoplication is an operation used to treat gastro-oesophageal reflux. There are different surgical techniques but the most common is a Nissen’s fundoplication, named after the surgeon who developed it. It uses the top of the stomach to strengthen the sphincter so it is less likely to allow food, drink or acid to travel back into the foodpipe. This page from Great Ormond Street Hospital ... IMF Home page with links to News, About the IMF, Fund Rates, IMF Publications, What's New, Standards and Codes, Country Information and featured topics The Fundo Bracelet is a health management APP that integrates functions such as exercise recording, heart rate monitoring, sleep monitoring, and real-time message push. You can use the app + smart bracelet (watch) to achieve sports, sleep, heart rate, alarm clock, sedentary reminder and more. Use the Fundo Bracelet app, The snail-like shape of the Fundo Nautilo design is a real eye-catcher in any bathroom. Whilst it is very functional, it is high quality design makes it particularly attractive. Buy the best and latest fundo smart watch on banggood.com offer the quality fundo smart watch on sale with worldwide free shipping. wedi Fundo Drain Kits are for use only with the wedi Fundo range of pre-formed shower trays with point drainage. They are compatible with the following Fundo shower tray ranges: Primo, Borgo, Trollo, Nautilo and Ligno. Available in vertical or horizontal outlet configurations, each kit comes complete with all the necessary fittings and a drain grating. FunDo is a wearable product data and service applications that provide users with a complete, unified, and easy-to-use experience. With the FunDo application, you can pass the data monitored by the wear device to the application to analyze and view: The IPE-Fundo UK Pension Indices are only accessible to users domiciled in Switzerland or the UK. The IPE-Fundo UK Pension Indices are not directed to, or intended for distribution to or use by, any person or entity who is a citizen or resident of, or located in, any locality, state, country or other jurisdiction where such distribution ...

COGMIES - O jogo criado para estimular as habilidades cognitivas, emocionais e sociais das crianças.

2020.09.07 15:03 JuveTech COGMIES - O jogo criado para estimular as habilidades cognitivas, emocionais e sociais das crianças.

Pessoal, peço 2-5 minutos da v/ atenção a ler este projecto de uma Portuguesa a residir em França.

[A aventura começa! O que é isso
Todos os dias temos que nos adaptar para apreender a complexidade do mundo que nos rodeia e nos integrar na sociedade com nossas emoções e nossa própria maneira de pensar.
Para alguns, é um desafio que exigirá ainda mais determinação... já que estes serão nomeados como ′′ A-típicos ". No entanto, essas personalidades ricas e sensíveis nos permitem entender de forma mais aprofundada o funcionamento do cérebro e Além das diferenças, condições humanas na sua globalidade.
Com muita energia e poesia, trabalhamos há vários meses em um jogo de tabuleiro terapêutico: COGMIES.
COGMIES é um jogo para estimular as habilidades cognitivas, emocionais e sociais das crianças. Foi projetado para ser usado prioritariamente com crianças do transtorno do Espectro do Autismo (TSA), transtorno do Deficit de Atenção (TDA / H com ou sem hiperatividade), crianças com ansiedade e / ou um distúrbio comportamental.
O jogo articula-se em torno da viagem da pequena Emma e sua volta ao mundo das emoções, através de mais de 450 cartas desafios. Ele também é acompanhado de um manual terapêutico.
O ′′ plano de ação ′′ agora é passar do protótipo para a impressão em série e, paralelamente, divulgar a informação para colher o interesse de qualquer pessoa que se sinta interessada ou interessada.
Primeiro nós lançamos uma chamada de fundos (crowdfunding) e procuramos divulgar a informação o máximo..
No dia de hoje, estamos chamando você para nos acompanhar nesta maravilhosa aventura...
Vemo-nos em breve!Patrícia & Geraldinehttps://www.ulule.com/cogmies-un-jeu-therapeutique
NOTA: Este texto foi traduzido automaticamente pelo facebook, como tal, agradeço que deixem de lado qualquer tipo de critica relativamente a gramática e construções frásicas apresentadas.

Facebook: https://www.facebook.com/Cogmies
Para ajudar com um contributo: https://br.ulule.com/cogmies-un-jeu-therapeutique/
submitted by JuveTech to portugueses [link] [comments]


2020.09.07 15:03 JuveTech COGMIES - O jogo criado para estimular as habilidades cognitivas, emocionais e sociais das crianças.

Pessoal, peço 2-5 minutos da v/ atenção a ler este projecto de uma Portuguesa a residir em França.

[A aventura começa! O que é isso
Todos os dias temos que nos adaptar para apreender a complexidade do mundo que nos rodeia e nos integrar na sociedade com nossas emoções e nossa própria maneira de pensar.
Para alguns, é um desafio que exigirá ainda mais determinação... já que estes serão nomeados como ′′ A-típicos ". No entanto, essas personalidades ricas e sensíveis nos permitem entender de forma mais aprofundada o funcionamento do cérebro e Além das diferenças, condições humanas na sua globalidade.
Com muita energia e poesia, trabalhamos há vários meses em um jogo de tabuleiro terapêutico: COGMIES.
COGMIES é um jogo para estimular as habilidades cognitivas, emocionais e sociais das crianças. Foi projetado para ser usado prioritariamente com crianças do transtorno do Espectro do Autismo (TSA), transtorno do Deficit de Atenção (TDA / H com ou sem hiperatividade), crianças com ansiedade e / ou um distúrbio comportamental.
O jogo articula-se em torno da viagem da pequena Emma e sua volta ao mundo das emoções, através de mais de 450 cartas desafios. Ele também é acompanhado de um manual terapêutico.
O ′′ plano de ação ′′ agora é passar do protótipo para a impressão em série e, paralelamente, divulgar a informação para colher o interesse de qualquer pessoa que se sinta interessada ou interessada.
Primeiro nós lançamos uma chamada de fundos (crowdfunding) e procuramos divulgar a informação o máximo..
No dia de hoje, estamos chamando você para nos acompanhar nesta maravilhosa aventura...
Vemo-nos em breve!Patrícia & Geraldinehttps://www.ulule.com/cogmies-un-jeu-therapeutique
NOTA: O texto acima apresentado, foi traduzido de forma automática pelo facebook, como tal, agradeço que deixem de lado qualquer tipo de critica relativamente a gramática e construções frásicas apresentadas.

Facebook: https://www.facebook.com/Cogmies
Para ajudar com um contributo: https://br.ulule.com/cogmies-un-jeu-therapeutique/
submitted by JuveTech to portugal [link] [comments]


2020.08.15 18:58 ModeratoriProfugus Os cavalos de Tróia dos partidos e instituições que se consideram "anti-racistas", "anti-fascistas" e outos "-istas"

Como qualquer pessoa minimamente inteligente já deve ter percebido, tudo o que se tem passado na sociedade neste últimos tempos e que ocupa a actualidade na comunicação social, nomeadamente movimentos "wokes" que dizem querer "justiça social", que dizem querer acabar com o racismo, machismo, fascismo, etc tem apenas um objectivo: instaurar o marxismo sobre uma coberta de movimentos legitimamente importantes.
Todas estas instituições, muitas que sobrevivem de dinheiros públicos e têm que se manter relevantes na comunicação social para justificarem a sua própria existência, nunca na verdade fizeram qualquer tipo de ações para tentarem resolver os problemas que consideram existir ubiquamente na nossa sociedade. Muito pelo contrário, abrem feridas há muito fechadas e criam divisões, a velha máxima "dividir para conquistar".
Tudo isto que eu escrevi é um rant sem qualquer tipo de evidências, portanto vamos a isso, elas estão em todo o lado e basta olhas um pouco mais atentamente porque eles também não as tentam esconder.
https://www.dn.pt/podemanifestacao-contra-racismo-junta-centenas-nas-ruas-de-lisboa-12285732.html
Manifestação de apoio ao BLM em 6 de Junho, em que participou Joana Cabral dirigente do SOS racismo, que disse:
E acrescentou: "É contra o racismo, contra o capitalismo e contra a precarização do trabalho. É preciso lembrar que uma parte significativa das pessoas precárias e que asseguraram uma parte significativa do trabalho que manteve a sociedade a funcionar durante a quarentena são, em muitos casos, pessoas com pertença a grupos étnico raciais vulneráveis e, muitas vezes, pobres".
Na convocação da manifestação, pode-se ler:
“os gritos de George Floyd, morto às mãos da polícia, ecoaram por todo o mundo, juntando-se aos de muitas pessoas negras que, de Minneapolis à Amadora e Bairro da Jamaica, sofrem a violência racista de Estado e a mais bárbara exploração capitalista”.
https://www.publico.pt/2020/04/13/sociedade/opiniao/covid19-luta-antirracista-nao-faz-quarentena-1912021?fbclid=IwAR2hIBxDIJzJsgi6yYigCDaxZlJlnwhzyWof3QeclPcNr1UK9qkMm0HTCNs
Se há um antes e um depois da covid-19, este é o momento de assumirmos, de uma vez por todas, que os portugueses são de todas as cores e de pensar novas formas de organização económica e social não cerceadas pelo capitalismo, racismo, patriarcado e em solidariedade com os povos do sul do Mundo.
Já para não falar que se aliam a partidos anti-capitalistas, como o BE (obviamente) e o MAS, ao lado de, por exemplo, os "anti-fascistas". Vejam o vídeo onde Mamadou Ba admite que tem havido uma discussão para ver se apenas se pode utilizar a "classe" para a luta marxista, ou se também se pode usar a raça e "outras que tais" para atingir essa tranformação social, que quer construir pontes com outras esquerdas para além da "totalmente marxista" para atingir os seus objectivos e diz trambém que o "PS, PSD e por aí fora" são a direita higiénica (lol) que dão a sua conivência ao fascismo institucional.
Obviamente que a ligação entre o SOS racismo e o marxismo é bastante conhecida pelo resto do mundo:
https://en.wikipedia.org/wiki/SOS_Racisme
SOS Racisme (French pronunciation: ​[ɛsɔ.ɛs ʁaˈsism]) is a movement of NGOs which describe themselves as anti-racist. The oldest chapter of SOS Racisme was founded in 1984 in France, and it has counterparts in several other European countries or regions. Its Norwegian branch, which claimed to be both the largest chapter of SOS Racisme and the largest anti-racist organisation in Europe, was controversial for its strong Maoist stance and for defrauding the government, resulting in the organisation's conviction for fraud and its bankruptcy as well as criminal proceedings against its leaders.

SOS Rasisme was closely affiliated with and largely controlled by the Workers' Communist Party) and later by the Maoist party Serve the People – The Communist League) (the Marxist-Leninist-Maoist faction which split from the Workers' Communist Party in 1997 as a result of an internal conflict),[5][6][7] and was widely described as a front organization for those communist parties
Este é fácil, a sua co-fundadora já admitiu que é marxista e que o movimento tem um "frame ideologico" que é marxista.
https://nypost.com/2020/06/25/blm-co-founder-describes-herself-as-trained-marxist/
Ainda que nos seus objectivos não esteja directamente explicito o seu desejo de acabar com o capitalismo, outros episódios como o CHAZ e o ódio aos negócios destruídos mostram bem o que este movimento pretende atingir. Os seu objectivos incluem abolir prisões, tirar fundos da policia, quotas, etc numa matriz claramente marxista.
Não é só nos estados unidos, nos outros países a sua matriz anti-capitalista é ainda mais visivel e direta:
https://uk.gofundme.com/f/ukblm-fund
We’re guided by a commitment to dismantle imperialism, capitalism, white-supremacy, patriarchy and the state structures that disproportionately harm black people in Britain and around the world.

Além da óbvia ligação entre os anti-fascistas e outros movimentos anti-"-istas", incluindo o SOS racismo, vamos ver como se caracteriza a FUA:
A Frente Unitária Antifascista (FUA) pauta-se pela unidade e pluralidade na sua construção, assim sendo é uma plataforma composta por várias associações, coletivos, partidos e pessoas que se batem contra todas as formas de exploração, discriminação e opressão decorrentes do sistema capitalista e às ideologias da extrema-direita que emergem das suas crises e contradições;
Já o ano passado devido às agressões no bairro da Jamaica e o Mamadou chamar "bosta da bófia" à policia, vieram em sua salvação os antifascistas
https://it-it.facebook.com/notes/frente-unitária-antifascista/ninguém-larga-a-mão-de-ninguém-apoio-a-mamadou-ba-e-às-vitimas-do-racismo/533642897144148/
A Frente Unitária Antifascista está solidária com as vítimas das agressões policiais, com os manifestantes e com Mamadou Ba. Contra o capitalismo e o fascismo, a sua arma mais violenta e bárbara, que cresce e que nos tenta virar uns contra os outros. Mas podem contar com uma coisa aqui Ninguém Larga a Mão de Ninguém!
Solidariza-mo-nos também com a manifestação que irá decorrer amanhã, sexta-feira, em frente à Câmara do Seixal, às 15h30. Não podemos tolerar o discurso de ódio que tem sido destilado nas redes sociais e as ameaças! Precisamos de combater juntos a violência policial, o Capitalismo e os seu instrumentos de segregação,divisão e destruição da classe como o são entre outros o racismo e o fascismo!
Estes são os partidos que representam a luta contra todos os "-istas" e "-ismos", como se pode comprovar pelo seu centro de indocrina...uhh acampamento onde se podem ser pérolas como "a propriedade é o roubo". Não, não são "sociais-democratas" a lutar por "justiça social". O livre morreu, portanto também não vale a pena bater mais no cavalo, todos vimos a actuação da Joacine.
Quanto ao BE, pode-se ler nos seus sites oficiais:
O BE assume-se como uma força “anti-capitalista” (Rumo Estratégico do BE, 2006) comprometido com “a busca de alternativas ao capitalismo” (artigo 1, alínea 2 dos estatutos do Bloco), enquanto os deputados bloquistas são “anti-capitalistas” (Moção de Catarina Martins à Convenção deste ano). Ah e o clássico "não é fogo, é capitalismo".
Todos os seus dirigentes, desde Francisco Louça, Catarina Martins e Mariana Mortágua consideram-se anticapitalistas. Aliás, pertencem à "redeanticapitalista" que realiza encontros deste tipo. A última edição da sua revista é precisamente intitulada "A luta anti-racista e anti-capitalista dos nossos dias".
well, duh. No entanto só quero afirmar que entre todos estes grupos pelo menos admite abertamente o que quer e mantém até uma certa distância a este tipo de esquerda, provavelmente também devido à sua matriz mais conservadores e clássica (afirmam que a única luta que existe é a luta entre classes, tudo o resto é ruído).
Acho que já coloquei aqui fontes suficientes sobre os grupos mais mediáticos do movimento "woke" com que temos que levar todos os dias para demonstrar que o seu objectivo é apenas um: a destruição do capitalismo. Sei que não é nenhuma surpresa para muitos, mas temos que desmascarar estes grupos, que apenas tentam criar conflitos e divisões e têm a finalidade de instaurar uma ditadura marxista em Portugal. Não se deixem enfraquecer pelo constante chamar de nomes das pessoas destes movimentos a todos os que os criticam. É isso que eles pretendem, escondem-se atrás de lutas supostamente morais e idóneas para que nos calemos e não os critiquemos. Esta é a nova forma de propaganda da extrema-esquerda e nós não a podemos aceitar. Este novo tipo de propaganda funciona como um cavalo de Tróia, muitos aceitam-na devido ao que dizem defender e não sabem o que está por trás da fachada.
submitted by ModeratoriProfugus to portugueses [link] [comments]


2020.07.22 12:01 spetsnatz Fecho e fusões de ETFs. O que acontece ao nosso dinheiro?

Uma das grandes dúvidas e receios que os investidores têm acerca dos ETFs é sobre o fecho dos mesmos. O que acontecerá com o nosso dinheiro?
Apesar de não ser muito frequente, é normal existirem aquisições, fusões ou mesmo encerramentos de ETFs, consoante a procura dos mesmos, volume ou saúde financeira da instituição que os gere.
Um exemplo recente foi a aquisição da ComStage por parte da Lyxor, levando à absorção dos seus ETFs.
Como é natural, a Lyxor passou a ter um maior número de ETFs no seu portfólio levando a que muitos se sobreponham, uma vez que replicam os mesmos activos/indices.
Assim sendo, a Lyxor decidiu fundir alguns dos seus ETFs de modo a evitar activos redundantes.
Tanto o encerramento como a fusão de ETFs não significa que o nosso dinheiro investido foi perdido uma vez que os activos subjacentes, à partida, ainda terão um NAV (Net Asset Value) positivo, ou seja o seu valor não cai para zero.
No caso de uma fusão como sucedeu como a Lyxor, o ETF é retirado temporariamente do mercado e o investidor recebe automaticamente participações no novo fundo numa proporção igual ao valor das participações detidas no ETF inicial.
No encerramento de um ETF, o investidor recebe um aviso de 30 dias e poderá vender as suas participações até à data de fecho da negociação em bolsa. Uma vez que o preço em bolsa do ETF reflecte o NAV dos seus activos subjacentes, o seu valor deverá reflectir a valorização dos mesmos, independentemente do seu fim anunciado.
Após o fecho de negociação do ETF, a entidade responsável pela sua gestão negociará directamente com o investidor de modo a que este seja reembolsado no valor líquido dos activos subjacentes do seu ETF. A entidade gestora irá liquidar o ETF através da venda dos activos ao preço de mercado à data, dinheiro esse que será transferido para os investidores deduzido dos respectivos custos de transação.
Caso queiram ler mais sobre o assunto deixo-vos este artigo sobre fecho e fusões de ETFs.
submitted by spetsnatz to literaciafinanceira [link] [comments]


2020.07.18 01:00 Aromano272 Opinioes sobre Currency Hedged ETF?

Boas, o meu portfolio é constituido na totalidade por MSCI World IE00B4L5Y983 cuja moeda base é USD.
Devido aos recentes acontecimentos nos EUA, tenho algum receio de ter tudo investido num fundo, mesmo que global, tenha como moeda base o USD, pesquisei um pouco sobre Currency Hedged ETF's e gostava de saber a vossa opinião.
ETF USD: iShares Core MSCI World UCITS ETF https://www.ishares.com/uk/individual/en/literature/kiid/kiid-ishares-core-msci-world-ucits-etf-gb-ie00b4l5y983-en.pdf
ETF Hedged: iShares MSCI World EUR Hedged UCITS ETF (Acc) https://www.ishares.com/uk/individual/en/literature/kiid/kiid-ishares-msci-world-eur-hedged-ucits-etf-acc-gb-ie00b441g979-en.pdf
submitted by Aromano272 to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.06.25 18:33 diyexageh Banca internacional #02 GB UK IM JE – United Kingdom, where it all began

Este contenido fue publicado originalmente el 01/08/2019 - Aca
Para los que se perdieron del primer post

Background e intro
United Kingdom, eufemismo para describir un país en poco unido en profunda transición intentando des-europeizarse, un país que en realidad son 4 y donde se encuentra una de las dos Irlandas. Una, si no es la primera de mis jurisdicciones favoritas.

Lo que hay que entender quizás sobre Reino Unido es que es un off-shoot del Imperio Británico y esto es solo relevante para nosotros porque la mayoría de los centros de banca internacional hoy dia son o fueron dependencias de la corona (Crown dependencies).

A nivel histórico muchos centros comerciales en los Ingleses establecieron relaciones en el pasado fueron Free ports y algunos de estos eventualmente fueron desarrollados como centros financieros (HK, Singapore, Brunei, Malaysia, Dubai(No es un país pero fue un protectorado). Este es el motivo principal por el cual English common law se usa como plataforma base para todos los centros financieros y en particular los que fueron parte de la corona. Muchos han cambiado o han adecuado ciertos aspectos en base a las necesidades o creencias de sus poblaciones como es el ejemplo del Sultanato de Brunei o Los Emiratos Árabes Unidos donde se usa un mix de Sharia law, civil y common law. Brunei es más duro y aplica mayoritariamente Syariah law (su interpretación de Shariah) y a nivel financiero Common law e islamic banking services. No hace mucho estuvo en las noticias por haber pasado una ley que permite ejecutar a homosexuales.

A diferencia de otros países, Reino Unido posee varios centros offshore muy cerca de casa, de hecho el principal se encuentra “onshore” y es The city of London. Para los que no lo tienen claro, The city of London se encuentra en London city. The city, for shorts hoy día es un barrio, centro financiero que tiene un marco legal diferente al resto de la ciudad y el país donde se encuentra y se l considera una corporación. A punto tal que el Mayor of London tiene que pedir permiso al Lord Mayor quien es un Aldermen y es el miembro superior del Aldermen court quienes a su vez son los principales miembros que aprueban Livery corporations of freemen. Y si, si quieren tienen tiempo y dinero pueden obtener un certificado oficial de la City of London corporation estableciendo que son Freemen de una livery corporation para lo cual primero deben ser Livery men.

En The City hay cantidades de bancos y establecimientos financieros cuales ofrecen servicios a HNWI y UHNWI, High and Ultra High Net Worth Individuals en forma de banca privada o family offices. El banco más antiguo de Inglaterra con única sucursal y no asociado con ningún otro banco de una network se encuentra ahí. La familia que lo fundo todavía lo administra.

Los otros centros de banca internacional en el país son las islas del Canal de la Mancha. En particular, Isle of Man, Jersey, The Bailiwick of Guernsey, Stark y Gibraltar.

Considerando que la mayoría de los interesados en el sub son gente que no tiene 5 millones de libras para invertir, (y si este fuese el caso no se que haces leyéndome) me voy a concentrar en productos accesibles al usuario retail normal, voy a evitar The City of London y nos vamos a concentrar en las islas.

Regulacion:
Desde el 2016 hay dos grandes diferencias entre bancos en las islas y bancos “onshore”. Después de la crisis del 2008 se pasó legislación para separar los bancos offshore y banca de inversión de los bancos retail tradicionales para proteger a los ahorristas.
Ringfencing, es el termino que se aplica y lo que separa a los bancos a los que podemos acceder de los cuales están reservados para residentes y compañías residentes. Non-ringfenced Banks incluye los bancos de las islas aunque no todos. Algunos bancos son pura y exclusivamente para hacer servicing a no residentes y otros como el Caso de LLoyds, NatWest, HSBC extecera tienen dos sitios diferentes para residentes en la isla (ringfenced) y no residentes (non-ringfenced). Ringfence me suena a corralito en lo personal pero nada por el estilo.

CRS: Si. Consecuentemente tienen que declarar sus cuentas a la AFIP.

Taxation: No hay impuestos a los depósitos en ninguna moneda, taxacion transparente o “pass through”, pagan intereses y dividendos lump sum y es el deber del cliente declararlo y pagar las tasas correspondientes en su pais de residencia. Esto de por si, a nivel impositivo es muy superior a EEUU para establecer una relación bancaria. No hay widthholding tax.
En este aspecto funciona como las UK LP o LLPs, ya que estas también son passthrough entities y los impuestos se pagan en la jurisdicción de residencia donde el partner miembro reside. Muy útil a la hora de no ser taxeable dos veces si hay carencia de DTA

Divisa: Depende de la institución pero en general mínimo 3 diferentes divisas, GBP, USD, EUR. Siendo que la mayoría de los bancos lidian con clientes internacionales es común encontrar divisas mas exóticas. Las comunes en general son CHF, HKD, SGD, ZAR.

Control de capitales: No.

Inversiones: Si, dependiendo de la institución habrá más o menos variedad disponible. Existen plazos fijos reales y no certificados de depósito. Si invierten en un fondo radicado offshore en la misma u otra isla británica la taxación va a funcionar de manera similar. En general como ya se que tienen en cuenta, invertir en el banco es más caro que invertir via bróker.

Depositors Insurance: Si, cada isla tiene regulación diferente. No es el mismo deposito que existe en los bancos onshore (ringfenced) ofrecido via FSCS. Pero existe y cubre 50.000 GBP o equivalente x entidad Máximo 100,000,000 GBP en un periodo de 5 años. Si la cuenta esta a nombre de dos personas, es el doble. Limitaciones: Existen, dependiendo residencia, nacionalidad y profiling. Si bien no hay problema con ser Argentino, no todos los bancos tienen licencia para operar con clientes Argentinos. Si uno tiene la suerte de ser ciudadano europeo la mayoría de estas limitaciones desaparecen inclusive si se es residente en Argentina.

SEPA: Si! Es uno de los mejores beneficios. Euro offshore + créditos y débitos SEPA sin costo en la mayoría de los casos. Si estás pensando en crypto, estas en lo correcto. Olvidate de pagar 50 a 90 dolares por una transferencia SWIFT en dólares. Welcome SEPA, gratis o menos de 0.9 Euro.

Costo: En general es más barato mantener y utilizar una cuenta en Channel islands que en EEUU. Por la sola razón que se encuentran fuera de Estados Unidos las transferencias (dependiendo de arreglos bancarios personales) muy probablemente utilicen correspondent Banks. Por otro lado desde Argentina ya deben estar acostumbrados a ese costo. En USD las transferencias van a tener que ser todas SWIFT, no existe el ACH fuera de EEUU. En GBP siendo la moneda del pais hay varios tipos diferentes de transferencias entre entidades. Los costos varían pero en general son gratuitas. Pagos CHAPS entre las islas pueden ser más caros, pero pueden evitarse simplemente no usando ese protocolo.

Bancos:
Esta lista no va pretende cubrir todas las instituciones disponibles y les recomiendo que siempre hagan averiguaciones por su cuenta. Mi situación es y puede ser diferente a la de ustedes y siempre haya cosas nuevas que podemos compartir.
Siempre revisen los costos, ya que pueden variar de gran manera de una entidad a la otra.

Standard Bank international
https://international.standardbank.com/
Algunos lo deben recordar de cuando estaba presente en Argentina. Fue el banco que compro Bank Boston y es el banco más grande de Sud Africa. Yo entiendo que esto para muchos suena a descarte instantáneo.
Es una entidad separada de la sudafricana de la misma manera que HSBC en Hong Kong es completamente diferente a HSBC en Inglaterra o Argentina.
Deposito mínimo: £2000 o 3000 USD/EUAUD
Balance mínimo: £0.
Costo Mensual: £0.
Underfunding: £0 o £60 dependiendo de la cuenta.
Divisas: GBP, USD, EUR, AUD.
Tarjetas de débito: Si, una por divisa GBP, USD, EUR. No todas las demás ofrecen tarjetas.
Tarjetas de crédito: No.
Divisas exoticas: ZAR, DKK, JPY, CAD, NOK, SEK, CHF, AED, HKD, NZD, SGD.
Limitaciones: Si, Argentinos residentes en Argentina no son aceptados. Sin embargo si son ciudadanos de algún otro país y residen en Argentina no hay problema. En la página se puede chequear.

Santander International
https://www.santanderinternational.co.uk/
El mismo banco que se encuentra en Argentina de capitales Españoles pero versión offshore.
Deposito mínimo: £75000 o equivalente.
Balance mínimo: N/A.
Costo Mensual: £0.
Underfunding: £0.
Divisas: GBP, USD, EUR.
Tarjetas de débito: Si, una por divisa GBP, USD, EUR.
Tarjetas de crédito: No.
Divisas exóticas: No.
Notas extra: Disponible en Isle of Man y Jersey
Limitaciones: En el momento que hable con ellos no pregunte directamente si había limitaciones con respecto a residencia en Argentina. Siendo que el banco tiene presencia en Argentina sería interesante saber si es posible abrir una cuenta via las sucursales en Argentina (lo dudo ya que HSBC no ofrece este servicio en el pais) o si pueden al menos ayudar a certificar la documentación.

Lloyds bank International
https://international.lloydsbank.com/
Uno de los tantos bancos que se perdieron en Argentina después del 2001. También se fueron de Uruguay cuando endurecieron la banca IFE. después del 2008 se achicaron en gran medida y cerraron la mayoría de sus sucursales internacionales. En Reino Unido siguen firmes.
Deposito mínimo: Depende de la cuenta £500, 5000 USD/GBP, £50.000 o equivalente.
Balance mínimo: N/A.
Costo Mensual: Depende de la cuenta desde £0 hasta £7.50, €8, US$10.
Underfunding: N/A.
Divisas: GBP, USD, EUR.
Tarjetas de débito: Si, una por divisa GBP, USD, EUR.
Tarjetas de crédito: No para clientes offshore. Si residiste en UK y mantenes tu tarjeta una vez que dejas el país podes mantenerla
Divisas exóticas: Si.
Notas extra: Disponible en Isle of Man, Jersey y Gibraltar. Los plazos fijos son únicamente anuales. Solo las cuentas corrientes en GBP tienen acceso via la aplicación. De hecho la cuenta corriente en GBP tiene una plataforma de internet banking separada. Un poco engorroso.
Limitaciones: Argentinos residentes en Argentina no, doble ciudadanos si residentes en Argentina si, no solo ciudadanos Europeos. Argentinos residentes en otras jurisdicciones si. Una nueva regla desde que UK eligio no ser parte de la Unión Europea, si uno se vuelve residente en la EU, no te pueden ofrecer servicio. Y ahí es donde se encuentra el caveat principal, no te pueden ofrecer servicio, pero si la apretura de cuenta precede tu residencia en la EU, podes mantener la cuenta y te ofrecen servicios con respecto a esa cuenta. Pero no se puede abrir nuevas cuentas ya sea de inversión o cuentas en otras divisas.

HSBC Expat (Previamente HSBC Offshore markets limited)
https://www.expat.hsbc.com
Mas allá de las criticas que se hacen al servicio de HSBC Premier, está a mi criterio es su versión más interesante.
Deposito mínimo: £75.000 50.000 GBP o equivalente, depósitos o inversiones.
Balance mínimo: £5,000, US$5,000 o €10,000.
Costo Mensual: £0.
Underfunding: £35.
Divisas: GBP, USD, EUR.
Tarjetas de débito: Si, una por divisa GBP y USD.
Tarjetas de crédito: Si, hay variedad todas en GBP excepto las tarjetas American Express donde hay alternativa en Euros.
Divisas exóticas: Si, 15. AUD, CAD, DKK, HKD, HUF, JPY, NZD, NOK, PLN, RMB*(en realidad CNY)*, ZAR, SEK, CHF, SGD,THB, AED. En otras jurisdicciones ofrecen mas, info mas adelante.
Notas extra: Disponible en Jersey unicamente.
Limitaciones: La cuenta en Euros no es SEPA, aunque pueden abrir luego una cuenta HSBC en un pais en EU y pueden mover fondos desde Expat a Onshore instantaneamente sin costo y luego usar la cuenta onshore para las transferencias SEPA, es un workaround mas que una solucion honestamente. HSBC como todo banco de origen Asiático es un banco risk averse, sin embargo en el mundo occidental suelen ser bastante menos severos. En Argentina no se puede hacer uso de Global view y global transfers pero hay un pequeño hack que no mucha gente se ha percatado. Si bien el deposito mínimo es alto, solía ser más alto. Si alguno de Uds. Es cliente Premier en Argentina el mínimo es algo de 20.000 USD o equivalente. Atencion que en Argentina tiene Premier y Premier black, cosa que en el resto del mundo no existe. Por lo que yo vi, Premier Black es el Premier ofrecido normalmente en otras jurisdicciones. Y esa es su ventana, HSBC Premier en otros países tiene un menor entry level. En EEUU en este momento son 75.000 USD y hay que pagar impuestos federales. Al cambio, en Expat hoy día uno puede parkear depósitos e invertir en los fondos HSBC offshore por 60.000 USD en USD sin pagar los federal taxes porque no aplican. Sin embargo si realmente necesitan una cuenta en USA por alguna razón, solo tienen que enviar un email a su relationship manager y pedirla. Una charla telefónica después y unos días, reciben el welcome pack en el correo. Pueden hacer lo mismo con casi cualquier otra jurisdicción. Inclusive, más allá de que lo nieguen en las sucursales, Argentina. “Premier in one Premier in all” es valido en Argentina. Si uno es cliente Premier en otra jurisdicción, puede hacer uso del mismo servicio para abrir una cuenta Expat ya que si se califica en una jurisdicción es suficiente. Si es una jurisdicción como en el caso de Argentina, pueden pedir que deposites mas fondos en tu nueva cuenta.

Hay otros bancos?
Si, hay montones más. No en todas las islas estan los mismos asi que pueden ir investigando. Muchos que van a reconocer y otros que no tanto. Algunos de estos nunca tuve relación pero los incluyo por si quieren ver que ofrecen.

Barclays Bank International
https://international.barclays.com/
Ya no acepta clientes de Argentina lamentblemente.

Investec International
https://www.investec.com/en_gb/banking/offshore-bank-account.html
Otro banco Sudafricano. Tengo conocidos Sudafricanos que lo usan offshore porque usaban Investec en Sudafrica. En el momento que lo entonces me resulto un poco caro de operar en comparación a otras ofertas.

Natwest International (Tambien conocido como National Westminster bank y en el pasado conocido en IoM como RBS Offshore)
https://www.natwestinternational.com/personal/products/international-customers.html

First National Bank (FNB)
https://www.fnbci.co.uk/
Otro banco Sudafricano con depositos minimos bajos pero fees altos.


Hay otras entidades? Aceptan Argentinos?
Si, hay montones mas de entidades, no las use a todas y algunas tienen fines particulares tipo banca privada o trusts (fideicomisos). Otros bancos son unicamente corporativos o business banking. Incorporar una Limited Partnership en Reino Unido puede ser un buen vehiculo para no pagar impuestos de manera doble dependiendo de cuanto uno facture. Pueden buscar bancos en las islas y los discutimos entre todos. No tengo conocimiento de absolutamente todos lose servicios disponibles y me imagino que algunos de ustedes buscaran servicios que les sean relevantes a sus actividades.

El futuro, Alternativas Fintech:
Este es el segmento donde todo está cambiando y rapido. Debido al passporting de ofrecimientos en la Union Europea muchos servicios que se ofrecen en Europa están domiciliados en Reino Unido y viceversa.
Algunos de estos servicios estaban disponibles para no residentes anteirormente (Monzo, Monese) pero desde que obtuvieron su licencia bancaria desistieron. La razón principal es que antes estaban operando via passporting de servicios y en preparación al Brexit, se localizaron porque no va ser posible hacer passporting. A los que no les intereso hacer eso (Fidor bank por ejemplo, el banco Aleman pero UK Branch) directamente dejo el pais. Duraron 3 años y medio.
Transferwise es un ejemplo de una emperesa que todos deben conocer. La compañía está basada en Estonia sin embargo su cuenta USD y oficina principal es en Carnary Wharf, la extensión de The City of London.
Ahora lo que hay que entender es que la mayoría de las instituciones, si bien están reguladas por la FSCS no son bancos. Son lo que en Europa se llama EMIs Electronic Money Institutions. Los depósitos solo están asegurados si esta anunciado explícitamente. Como se imaginan a esta altura, visto que estos servicios están basados en Reino Unido onshore, están ringfenced y no deberían tomar como clientes a no residentes.

Transferwise borderless
Deben conocerla ya, ayer de casualidad un usuario me comento que desde Argentina ya no se puede obtener cuentas en USD. Por el momento no conozco limitación tal para GBP/EUAUD/NZD. Sin embargo la tarjeta de debito creo que no se ofrece en Argentina.
Si poseen un pasaporte Europeo, y pueden producir una dirección de correo físico (familiaamigo/remailer) doy fe que se puede obtener la tarjeta. Esto no es un área gris de la reglamentación, en realidad va en contra de los términos y condiciones.
Para el resto de los servicios transferwise de transferencias y holding de divisas no es necesario mucho mas.
No son crypto friendly, si es lo que se busca, necesitan una cuenta similar a las que discutimos anteriormente.

Monzo
Banking license: Si.
Depositors insurance: Si. £85.000.
Regulado por FSCS. Se puede en teoría abrir una cuenta via la app sin ser residente fiscal en UK pero se necesita una dirección en UK.

Starling
Banking license: Si.
Depositors insurance: Si. £85.000.
Situacion similar a Monzo, tambien regulado por FSCS. Se puede en teoría abrir una cuenta via la app sin ser residente fiscal en UK pero se necesita una dirección en UK.

Tandem, Plum, Atom, Loot, Chip son alternativas similares y en general todas requieren residencia, los Fintech con ofrecimientos más abiertos van a estar en el artículo de Europa.
Algo interesante para tener en cuenta sobre estas alternativas Fintech al menos en el caso de Reino Unido es que en la mayoría de los casos, los términos y condiciones no solo no toman no residentes, sino que al momento de viajar, algunas requieren darte un permiso para usar sus productos.

Donations.
Token Wallet address BTC 19xvUdQoZosrzYKNaTCK834zRkg5Bogop BCH qqqmyqjspnq0fazk9wvv0elc8vxdp2rkvgfqs3s87x LTC LKNvBgwEtE3w7oEUYiSVb96qCe7xFDBvp8 ETH/DAI 0x1cbbcf2ca8849893ad7feac5ef5c735f6d91fa4e XMR 44AXEt8ZkmjgGuUrPaoNTzBGhp92L3HozSYxAip7dz8qL6A3neJBriLRSjC8Qnam4tEhfw2yXzcXsbZ2dJiWHDC7Ji8nBvx 
submitted by diyexageh to LATAM_PersonalFinance [link] [comments]


2020.06.16 21:50 AcordaBenfica ACORDA BENFICA!

Apoiantes do Vieira, quero ver-vos a comentar os FACTOS abaixo apresentados, se conseguirem.
Número de sócio forjado, explicado de forma muito simples e objectiva.
https://eternobenfica.blogspot.com/2012/10/era-uma-vez-um-nao-socio-que-e-hoje.html?fbclid=IwAR0GJhZ0Q-GaoyaG-CX8Upw1JH7w2maOzE39qXZEQkSl66UkcCk0OT8eKkE&_sm_au_=iHVZ67D2JvM34f2sVsBFjK664v423
Rui Costa nos negócios imobiliários com o Vieira. Reparem no nome das empresas.
https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/imobiliario/detalhe/rui-costa-investe-em-empreendimento-imobiliario-de-luxo-em-oeiras?fbclid=IwAR0bJhw3eaH9ex7jS2jPhbUShPLsm_dquAUwgHi12K3XTZqORrKbrxl_OAA
https://www.auraree.com/portugal/land/serra-de-carnaxide-begins-to-fill-with-homes/?fbclid=IwAR3B-OO_XBDJTQW_Bs7HEmbLuZin570O19oPqDNKaO5b615jrCdwOqU4AQk

Roberto. Não é preciso dizer muito. Um dos maiores flops de sempre, ainda deu "lucro". Só para as negociatas com o Jorge Mendes seria preciso uma bilioteca inteira, mas escolhi este.
https://www.cmjornal.pt/desporto/detalhe/fundo-que-comprou-roberto-pertence-a-jorge-mendes?fbclid=IwAR2hGelETvFHXQQfbjcpOGLTB9oy5PixUKTx-B1LHYDiV-RUuOsanAS5tTg

Nuno Gaioso Ribeiro, vice-presidente do clube, é sócio da empresa que gere a dívida privada do Vieira (calote que deixou no Novo Banco, pago pelos contribuintes portugueses). Imaginem só o que seria uma coisa destas no governo.
https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/banca---financas/detalhe/expresso-novo-banco-reestrutura-divida-de-luis-filipe-vieira?fbclid=IwAR2DYZcBF8yDrxU2Qxcoi8EIxoe9ck8JznAcNANLbZiBWv219Up1_iJAejs

Francisco Vera. Não precisa de comentários. E há um camião destes, apenas mais discretos.
https://maisfutebol.iol.pt/liga/francisco-vera/vera-custou-2-8-milhoes-ao-benfica-e-levanta-polemica?fbclid=IwAR3SM7ypbEtozagGLoEexvAxwvUMbKKcLpQqIK6lBPtAdkuokiPN4kwQeBE

Um tal de Luquinhas. Exemplo perfeito daquilo a que chamamos “carrossel” (normalmente ligado ao Jorge Mendes).
https://twitter.com/nunovalinhas/status/1029990419784974336?lang=de
O que é engraçado é que dá para perceber logo na apresentação. Se o Vieira aparecer de fato e gravata, e com entrevista para a BTV, é, possivelmente, um reforço a sério. Se o Vieira nem sequer aparecer (como neste caso) ou aparecer de fato treino, é para o carrossel.

OPA. Chumbada pela CMVM. Teve que ser o regulador dos mercados financeiros a salvar o clube dos seus próprios dirigentes, que se preparavam para distribuir dinheiro pelos amigos.
https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/benfica/detalhe/rei-dos-frangos-assume-divida-de-luis-filipe-vieira-nos-pneus
https://zap.aeiou.pt/rei-dos-frangos-benfica-sad-vieira-312555
"Ter andado de braço dado com o FC Porto quando era presidente do Alverca"; "punha o FC Porto no primeiríssimo plano do futebol português"; "esperou pela comitiva do Benfica à porta do balneário, ao meu lado"; "saltava, ao meu lado, quando o FC Porto marcava golos ao Benfica"
https://www.youtube.com/watch?v=neiRW1K6zV4
Este ataque contundente e avassalador não teve uma resposta por parte do Benfica ou do seu presidente. Como diz o povo: "quem tem telhados de vidro não atira pedras ao do vizinho".
submitted by AcordaBenfica to benfica [link] [comments]


2020.05.08 18:37 Conta_Alternativa Declarar imposto retido por dividendos EUA em ETFs

Imaginemos que eu tenho 1000 ações do IWDA (ETF de acumulação)
IWDA Total Shares: 387018145
1000/387018145= 0.00000258385818
Portanto o meu valor do total do fundo é 0.00000258385818%
Antes deste ETF poder reinvestir os dividendos pagos pelas empresas norte-americanas, estes são taxados em 15% na fonte. Sempre assumi este valor como perdido, e não há nada a fazer. Um ETF de acumulação continua a ser melhor do que de distribuição porque neste último seria taxado 28% (15% america tax withholding + 13% em Portugal).
Contudo, será possivel declarar este tax withholding no IRS, ou não poorque não foram pagos diretamente a mim, mas sim ao ETF?
Em 2019, este ETF pagou 51,767,000.00 em tax withholding (Non-reclaimable overseas income withholding tax, página 111)
Os assets totais do ETF valem: 19,590,306,000.00. Ou seja, o ETF pagou 0.00264% de tax withholding.
Se as minhas 1000 ações passaram de 40€ por ação para 50€ por ação no ano passado, poderei declarar este tax withholding?
Valor de aquisição: €40 / 1000 ações
Valor de venda: €50 / 1000 ações
Mais valias: 10,000.00€
Imposto retido na fonte: 50,000.00 * 0.00264% = 132€.
Mais valias: 9,868.00€ * 0.28% -> Imposto a pagar = 2763.04€ (em vez de 2800€).
Isto pode ser uma pergunta muito idiota, mas é possivel fazer isto?
Obrigado.
submitted by Conta_Alternativa to literaciafinanceira [link] [comments]


2020.05.08 18:36 Conta_Alternativa Declarar imposto retido por dividendos EUA em ETFs

Imaginemos que eu tenho 1000 ações do IWDA (ETF de acumulação)
IWDA Total Shares: 387018145
1000/387018145= 0.00000258385818
Portanto o meu valor do total do fundo é 0.00000258385818%
Antes deste ETF poder reinvestir os dividendos pagos pelas empresas norte-americanas, estes são taxados em 15% na fonte. Sempre assumi este valor como perdido, e não há nada a fazer. Um ETF de acumulação continua a ser melhor do que de distribuição porque neste último seria taxado 28% (15% america tax withholding + 13% em Portugal).
Contudo, será possivel declarar este tax withholding no IRS, ou não poorque não foram pagos diretamente a mim, mas sim ao ETF?
Em 2019, este ETF pagou 51,767,000.00 em tax withholding (Non-reclaimable overseas income withholding tax, página 111)
Os assets totais do ETF valem: 19,590,306,000.00. Ou seja, o ETF pagou 0.00264% de tax withholding.
Se as minhas 1000 ações passaram de 40€ por ação para 50€ por ação no ano passado, poderei declarar este tax withholding?
Valor de aquisição: €40 / 1000 ações
Valor de venda: €50 / 1000 ações
Mais valias: 10,000.00€
Imposto retido na fonte: 50,000.00 * 0.00264% = 132€.
Mais valias: 9,868.00€ * 0.28% -> Imposto a pagar = 2763.04€ (em vez de 2800€).
Isto pode ser uma pergunta muito idiota, mas é possivel fazer isto?
Obrigado.
submitted by Conta_Alternativa to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.03.25 19:43 carlosmachina Conciliação e Crowdsourcing - Pensando juntos para minimizar fatalidades e impacto econômico

Pessoal, gostaria da ajuda de todos que puderem e tiverem interesse
Estamos num impasse no Brasil. Divididos entre o isolamento e o processo econômico. Passei bastante tempo refletindo, ponderando e pesquisando (até onde é possível para mim), tentando achar um terceiro caminho.
Utilizei como base de pensamento 4 premissas (em ordem de prioridade):
-Minimizar impacto de mortalidade direta
-Minimizar impacto no sistema de saúde
-Minimizar impacto econômico
-Minimizar o custo social (afetar o mínimo no dia a dia das pessoas e trabalhar ao máximo dentro do panorama cultural existente)
A solução (que à primeira vista é óbvia) que dá para tirar disso é:
Os indivíduos saudáveis voltarem ao convívio. Somente os saudáveis, isolando todos os infectados (sintomáticos e assintomáticos).
Como fazer isso? Testes abrangentes e frequentes, permitindo somente indivíduos saudáveis no convívio social, isolando indivíduos contaminados.
"Oras, mas esse é o modelo Sul Coreano"
Sim. É.
Mas sabemos que ele não pode ser colocado em prática no país ipsis literis, não funcionaria.
Então nos resta pensar em como adaptar esse modelo de forma ágil. E também podemos misturar modelos.
O Chinês foi de isolamento de Wuhan e Hubei.
Podemos utilizar a ideia de isolar e controlar de forma próxima os epicentros brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e onde mais se fizer necessário) e implementar alguma versão do modelo coreano nessas localidades.
"Mas os testes são caros, demoram"
Já temos pesquisas em bom andamento para tecnologias de testes rápidos e eficientes em custo:
https://techcrunch.com/2020/03/25/uk-researchers-develop-new-low-cost-rapid-covid-19-test-that-could-even-be-used-at-home/
https://agenciabrasil.ebc.com.bsaude/noticia/2020-03/startup-do-parana-hi-technologies-desenvolve-teste-para-coronavirus
"O Brasil não tem verba"
O fundo eleitoral mais o partidário somam 3 bilhões de reais.
Com equipamentos a 150 dólares, isso significa 4 milhões de equipamentos. Com swabs de 5 dólares, são 600 milhões de swabs. Dá para testar o Brasil todo duas vezes. Mas se focarmos nos pontos mais críticos, não precisa testar o Brasil inteiro (sem levar em conta o custo do equipamento)
Isso somente com essas verbas. O dinheiro existe, só é difícil de colocar no lugar certo.
Mas eu creio que essa solução possa ser um compromisso entre cientistas, políticos e população, independente de ideologia.
Então venho aqui, conversar com vocês que estão tão preocupados quanto eu: será possível construir essa solução?
Será possível conscientizar pessoas o suficiente com essa ideia (ou outra que se prove mais válida)?
Será possível utilizar a iniciativa privada e a população para encaminhar os gestores públicos nessa direção?
Sim, eu sei que deixei de fora muitos detalhes. Tenho conversado com o máximo de pessoas que consigo e já foi possível cobrir muitos gaps deste processo, podemos discutir e detalhar ponto a ponto.
Eu realmente gostaria de tentar.
submitted by carlosmachina to coronabr [link] [comments]


2020.02.25 10:43 harlequin90 Recuperar IRS retido na fonte indevidamente

Boas
Estou a viver no Reino Unido há mais de 2 anos e esta semana vendi alguns fundos de investimento que ainda tinha em Portugal. De acordo com o Estatuto dos Beneficios Fiscais - Artigo 27 e também pelo acordo de dupla tributação entre Portugal e o UK - Artigo 13, sendo residente fiscal aqui não tenho de pagar impostos em Portugal mas sim no UK.
No entanto, aquando da venda dos fundos o meu banco (Banco Invest) fez imediatamente a retenção na fonte (num dos fundos foi 10% o que também achei estranho). Há alguma maneira de pedir imediatamente o reembolso desta retenção na fonte dado que estou isento? Ou vou ter mesmo de esperar até ao próximo ano para entregar IRS e pedir o valor de volta?
submitted by harlequin90 to financaspessoaispt [link] [comments]


2020.01.28 15:31 Charles_Bronsonaro Finlandês responde: Qual é a diferença entre o socialismo nos países nórdicos e na Venezuela?

Eu sou um finlandês, eu posso responder essa questão de cabo a rabo. Do nosso ponto de vista essa pergunta é um insulto, mas eu acredito que você não queria nos insultar, então eu vou lhe perdoar.
Na história dos países nórdicos (Suécia, Finlândia, Noruega, Dinamarca e Islândia), houve duas tentativas de implantação do socialismo: em 1918 e 1939–1944. Vamos dar uma passada por esses eventos pra melhor entender como nós nos sentimos com relação ao socialismo, e depois eu vou escrever sobre alguns fatores que permitiram um fortalecimento das economias nórdicas, até o que elas são hoje em dia.
Assim que a Finlândia declarou a sua independência em dezembro de 1917, eclodiu a guerra civil finlandesa entre os brancos e os vermelhos, em janeiro de 1918. Os brancos eram liderados pelo Senado finlandês, já os vermelhos eram alguns esquerdistas finlandeses sustentados e abastecidos de armas pela União Soviética. Os vermelhos queriam trazer o socialismo para a Finlândia, mas os brancos - isto é, o exército finlandês de fato - venceram e o país continuou como uma democracia ocidental.
Na segunda tentativa, a União Soviética atacou a Finlândia em novembro de 1939, no que ficou conhecido como a guerra de inverno. A Sociedade das Nações, precursora das Nações Unidas, considerou o ataque ilegal e expulsou a União Soviética da organização.
O plano do exército vermelho era tomar a Finlândia em algumas poucas semanas, começando com uma declaração de guerra e um ataque massivo. Os finlandeses se defenderam com todas as suas forças e o país jamais foi ocupado. A Finlândia, entretanto, perdeu partes da Carélia, Salla, Kuusamo e Petsamo para a União Soviética. Essas áreas, que foram anexadas à URSS, converteram-se ao socialismo e foram transformadas de lugares ricos para a pobreza.
Os arquivos da União Soviética depois revelaram os planos da União Soviética para o conjunto de operações do noroeste em 1939–1944. Os políticos decidiram que deveriam tomar as terras dos outros países. Isso é socialismo, e é contrário a qualquer código moral.
Eu acredito que você não quis perguntar a respeito dessas pequenas interferências do socialismo na nossa história, em vez disso, você quis saber o modelo nórdico de estado de bem estar social. A diferença deve ser cristalina:
No socialismo, os meios de produção, como as terras e as fábricas devem ser de propriedade coletiva, normalmente do Estado. Socialismo quer dizer confiscar as propriedades das pessoas. Aqui, entre os nórdicos, nós chamamos isso de roubo e é ilegal.
Entre os países nórdicos, nós escolhemos um caminho bem diferente, promover os direitos humanos individuais e o bem estar social. No nosso modelo, nós investimos em duas áreas: educação e assistência à saúde. Nenhuma delas tem nada que ver com socialismo.
Então eu vou mudar a questão para: por que é que o modelo nórdico é tão exitoso?
A resposta é: porque o retorno sobre o investimento em educação e saúde é alto. Os nórdicos criaram um ciclo virtuoso: crianças saudáveis + boa educação -> empresas inovadoras e lucrativas -> contratar novas pessoas -> pagar melhores salários -> arrecadar mais imposto de renda -> arrecadação para manter um bom nível de educação e de assistência à saúde.
Eu vejo a Finlândia e outros países nórdicos investirem continuamente no futuro; educar as novas gerações; cuidar da saúde; empoderar novos negócios.
Você usou a expressão "incrivelmente exitoso". Eu diria o mesmo, mas de uma maneira mais precisa. Nós finlandeses somos uma gente modesta, então eu vou apenas listar alguns rankings mundialmente aceitos.
A Finlândia tem uma das maiores rendas per capita do mundo. Além disso, o país está entre os primeiros em várias métricas de desempenho comparativo entre países, desde educação, competitividade e liberdades civis, como:
Esses feitos não vieram de graça. Você não pode ter um PIB alto e um bem estar social sem empresas lucrativas pra pagar os impostos. Qual é a fonte de renda dos países nórdicos? Bom, cada país nórdico tem a sua história a respeito.
Conforme um dos requisitos do acordo de paz, a Finlândia teve que pagar reparações de guerra no valor de cinco bilhões de dólares em valores atuais para a União Soviética. Então, para entregar dezenas de milhares de máquinas, locomotivas e navios no período entre 1944 e 1952, a Finlândia agrária precisou se industrializar rápido. Desde aquela época, o país se escorou em inovações tecnológicas. Você pode dar uma olhada no índice global de inovação, dois países nórdicos estão entre os cinco primeiros países: a Suécia e a Finlândia. Essas inovação catalizaram novos ramos de negócio, por exemplo: a indústria naval entre as décadas de cinquenta e sessenta, a de telefones celulares entre as décadas de oitenta e noventa e a de jogos para telefones móveis entre as décadas de 2000 e 2010.
Vamos pensar em escala agora de uma maneira mais concreta: a Finlândia é um país pequenininho, de apenas cinco milhões de habitantes. Entretanto, nada mais nada menos que 60% dos navios quebra-gelo foram construídos no país. Em 2016 a participação da Finlândia no total de receitas de 35 bilhões do negócio de jogos para celular foi de 7%. Entre alguns jogos bem famosos desenvolvidos na Finlândia estão: Angry Birds, Boom Beach e Best Fiends.
Na Suécia, eles também são muito bons na criação de novos modelos de negócio globais, como os da Ikea e do Spotify.
O modelo nórdico não quer dizer um apetite por empresas estatais. Ao redor do mundo, muitos países têm os serviços ferroviário e de correios nas mãos do estado. Os países nórdicos, por um outro lado, os privatizaram. Sim, isso diminuiu a qualidade do serviço e causou aumentos nos preços, mas mesmo assim não iremos voltar atrás. Na competição global valem as regras da economia de mercado. Quanto mais nós jogarmos por essas mesmas regras, mais chance teremos de vencermos.
Uma vez que somos países pequenos, nós aprendemos a perseguir sempre a cooperação, para que possamos inclusive sobreviver. Vamos dar uma olhada em um case de negócios.
No final da década de setenta, as operadores de telefonia dos países nórdicos se reuniram e especificaram a primeira rede de telefonia móvel totalmente automática, para substituir as antigas redes ARP (Auto Rádio Fone). O novo padrão se chamou NMT, cuja tradução é Telefonia Móvel Nórdica, que começou a funcionar em 1981. As especificações do NMT eram livres e abertas, o que permitiu a muitas empresas produzir equipamentos segundo o padrão, reduzindo, por consequência, os preços. Redes NMT foram construídas em cerca de vinte países.
Entre os fabricantes de equipamentos NMT estavam: a Nokia da Finlândia (fundada em 1865); a Ericsson sueca (de 1876); a Storno dinamarquesa e depois adquirida pela General Eletric e por fim pela Motorola; a AP, outra dinamarquesa adquirida pela Philips; e a Simonsen Telecom norueguesa (fundada em 1970).
Dez anos depois, outras companhias de telefonias se juntaram ao barco e criaram o próximo padrão de telefonia móvel: o GSM, também conhecido por 2G. A primeira ligação GSM foi realizada na Finlândia em dezembro de 1991.
Os padrões abertos permitiram uma competição acirrada entre os fabricantes, mas mais acirrada ainda era aquela entre as operadoras de telefonia. Enquanto que ao redor do mundo predominava o monopólio de uma única empresa a nível nacional, na Finlândia, havia bastante competição: além da operadora nacional de telefonia estatal, existiam muitas operadoras privadas regionais. No final dos anos 1980, cinquenta operadoras de telefonia operavam na Finlândia, isso era mais do que o número total de operadoras atuando em todos os demais países europeus.
A competição feroz pelos clientes domésticos, disputados entre a operadora de telefonia estatal e seus competidores privados, impulsionou o desenvolvimento de produtos na unidade de maior crescimento da Nokia: a Telenokia, entre os anos oitenta e noventa. Isso preparou a empresa para competir nos mercados globais. Agora, três décadas depois sobraram apenas três grandes marcas de equipamentos de redes de telefonia: a Nokia da Finlândia, a Ericsson sueca e a Huawei da China.
E sim, voltemos ao estado de bem estar social. Sem uma ambiente de negócios bem lucrativo, não há estado de bem estar social. O papel dos políticos é propiciar investimentos a longo prazo na infraestrutura que irá fomentar os negócios. Os investimentos em educação e saúde já provaram ter um alto retorno.
É claro que nem todos os países podem copiar essa mesma trajetória de negócios para sustentar o bem estar social, e nem todos precisam.
As empresas suecas, por um outro lado, provavelmente não fizeram tantas inovações tecnológicas mas criaram modelos de negócio mais revolucionários, como exemplo: a Ikea e o Spotify. As empresas norueguesas sempre puderam contar com a pesca. Em 1969, eles ainda encontraram petróleo sob o mar. Esse tesouro foi transformado em um fundo. Citando os noruegueses: "o objetivo do fundo é garantir uma gestão responsável das receitas da Noruega com gás e petróleo no Mar do Norte de modo que essa riqueza possa beneficiar as gerações atuais e futuras. O nome oficial do fundo é Fundo Global de Pensões Governamentais." Os islandeses também são bons em pesca. As necessidades energéticas deles foram supridas por fontes naturais geotermais e hidrelétricas (do mar). 99,9% da eletricidade na Islândia é gerada a partir de fontes renováveis. Na Dinamarca, a agricultura é bem desenvolvida, e o turismo cresceu a ponto de se tornar o segundo maior negócio.
Você já deve ter lido vários artigos sobre os finlandeses podendo aproveitar da educação grátis e do sistema de saúde grátis. Gostaria apenas de lembrá-lo que nós temos também a opção de escolas privadas e da saúde privada. O desafio do setor público é manter a qualidade tão alta, de modo que as pessoas o prefiram.
Já falei muito sobre números, vamos concluir com algumas histórias:
Sobre educação: na minha juventude eu estudei por muitos anos numa escola pública, então mudei para uma escola privada (que são igualmente pagas, assim como nos EUA), porque eu queria me especializar em algumas matérias, aí eu mudei de novo para outra escola pública, que era considerada a melhor do país. O que eu percebi foi que todas eram igualmente boas. O investimento a longo prazo em educação (e na formação dos professores) criou uma competição tão acirrada que no final das contas as diferenças entre as escolas é pequena. Se você não confia em mim, já que eu sou finlandês, você pode confiar no relatório das Nações Unidas sobre o melhor sistema educacional do mundo.
Já sobre a saúde: minha mãe era filha de fazendeiros, nascida em 1931. Quando ela tinha catorze anos, conseguiu um trabalho de estagiária em um hospital local. Alguns anos depois se formou enfermeira especializada em cirurgias. Ela trabalhou em hospitais privados e públicos. Ao longo da vida dela, ele teve alguns problemas de saúde, como muitas outras pessoas, desde infartos até um derrame que deixou metade do seu corpo paralisado. Em outras palavras, ela conhece bem o sistema de saúde da Finlândia, mas em uma coisa ela é bem teimosa. Sempre que eu sugiro a ela que vá a um médico particular ou a um hospital particular, se recusa. Ela quer ir para o sistema público de saúde, mas não é porque ela acha que o sistema de saúde particular é ruim, com 88 anos, ele prefere realmente o sistema público, que sempre cuidou bem dela. É como uma lealdade a uma marca.
Ah sim, e quanto à Venezuela? Acredito que eles não se esforçaram muito em prover uma boa educação ou um sistema de saúde de alta qualidade. Em vez disso, eles tentaram o socialismo.
O modelo nórdico se preocupa em investir no futuro, enquanto o socialismo se preocupa em roubar do presente. O fundamento do modelo nórdico é permitir às pessoas escolherem o que elas querem, e garantir ao menos bons serviços públicos para suprir as suas necessidades.
Então, respondendo a pergunta:
O socialismo e o modelo nórdico são abordagem opostas, então é mais do que natural que uma dessas abordagens pareça ter alcançado sucesso enquanto a outra é um desastre completo.

FONTE: https://pt.quora.com/Qual-%C3%A9-a-diferen%C3%A7a-entre-o-socialismo-nos-pa%C3%ADses-n%C3%B3rdicos-e-na-Venezuela
submitted by Charles_Bronsonaro to brasilivre [link] [comments]


2020.01.14 16:58 Admiral_Wiki [DIPLOMACY] Jackpot

São Tomé and Príncipe, the smallest lusophone nation, with the smallest economy. Portugal has always had a special tie with the country, and said relation can be improved.
The country is underdeveloped, with a lacking infrastructure at best. But with the small economy of the country being equivalent to 3 prizes of the Euromilhões, the Portuguese government and people can help the São Tomean nation thrive.
Therefore, the government, joined by private institutions such as the Santa Casa da Misericórdia and the Grupo Pestana has created the Fundo de Investimento para São Tomé e Príncipe, the FISTP. The fund will have 170 millions from the 2023 budget surplus, as well as other investments that totalize up to 210 Million Euros. Meanwhile, private citizens are encourage to donate whatever amount they want to the fund, with an propaganda campaign showing off the importance of helping São Tomé, either through appealing to compassion for the poor nations that has children drink more alcohol then milk or through inter-lusophone cooperation. The fund also promises everyone a eventual return of their investments in 10 to 20 years. Not properly profitable, but this is not intended as a business, but as a helping hand. With the private citizens help, the amount reaches around 220 million. Foreign countries, especially from the CPLP and DMO are also encouraged to help.
Then, the FISTP contacts São Tomé with a list of things it wants to create in the country, seeking for governmental approval for them:
Investment Price Goal
Banco de Fomento e Comércio Insular, BFCI 25 Million euros to create a steady supply of loanable funds Help poor citizens have acess to formal banking services, as well as providing capital for São Tomean companies
Comissão Independente para a Fiscalização Governmental 5 Million euros Give São Tomean citizens more trust in their government by providing an independent comission to investigate corruption within the government.
Estaleiro Pesqueiro de São Tomé 20 Million euros for infrastructure Create a new shipyard to build new, modern, with up-to-date technics to give São Tomean fisherman better tools for their job.
Escola e Universidade Lusófona de São Tomé e Príncipe 40 Million Euros Creating a new university in São Tomé with several courses on every area, as well as a series of 20 schools, with no tuiton cost for poor citizens
Sistema Nacional de Acesso a Wireless 20 Million Euros Give full cellphone coverage and 3G data coverage around the Archipelago, as well as provide internet acess and computer acess in all villages in atleast one location.
IKI Mobile factory 5 Million Euros Create job opportunities for Sao Tomeans, as well as creating a strong national cellphone industry and creating an possible export market to countries like Gabon and Congo
CaetanoBus Factory 5 Million Euros Create job opportunities for Sao Tomeans, as well as creating a strong national bus industry and creating an possible export market to countries like Gabon and Congo
Sistema de Autocarros de São Tomé e Príncipe 10 Million Euros Creating a strong public transports network, using the buses coming out of the CaetanoBus Factory
Energias Renováveis São Tomé 40 Million Euros Provide green, renewable energy to the entire country, as well as making the country have its energy coming from an 100% renewable source
Rede de Hotéis e Turismo 20 Million Euros Create a network of 20 hotels, small and big, around the country, as well as necessary infrastructure, to increase the tourism industry
Cadeia Supermercado São Tomé e Príncipe 20 Million Euros Create a supermaket chain around the country with all kinds of products at low prices
Bolsa de Valores de São Tome 10 Million euros Create a stock market in the country to make it easier for São Tomean companies to gain financing
Details on some projects:
The BFCI would have branches on all villages with a population of 500 or above.
The Estaleiro Pesqueiro de São Tomé would be built in the capital
The Escolas lusófonas would also provide breakfast, lunch and dinner for all its students. The curriculum would be the normal São Tomean One. The Universidade Lusófona would also have a research center to encourage São Tomean research, and a medical center with the best possible equipment.
The Sistema Nacional de Acesso a Wireless would build new telecom towers as well as other needed infrastructure. The internet and computer acess would be done in the same buildings as the BFCI to save infrastructure costs. Acess would be free. The IKI Mobile factory and CaetanoBus Factory would be built in the same industrial area, with shared infrastructure, employing 2000 people.
SASTP would assure a bus stop for each 2000 people, and will use buses built by the CaetanoBus Factory.
ERST would be achieved by giving each village or town a proportionate solar panel farm, as well as having public buildings be powered 100% by solar power.
RHT would have hotels, spas and resorts on important touristic locations, as well as low prices per room, with the Portuguese government and TAP encouraging tourism to São Tomé e Príncipe
CSSTP would have a store on each town with atleast 500 people, and would provide, amongst others, already made meals to ease famine in the country.
The Bolsa de Valores de São Tomé would have the 20 biggest São Tomean companies, including FISTP, and would be a place to trade shares and bonds of those companies, oversighted by the Portuguese CMVM.
Of course, the São Tomean government would be rightly scared that this is an attempt of the Portuguese Government to control the São Tomean economy. To assure the São Tomean that it is not the case, the portuguese explains that all of these private business will be under control of the FISTP, of which the Portuguese is not the controller but only a shareholder of around 80% of the company, but it also offers 40% of the shares it has in the company, so that FISTP is controlled 40% by the Portuguese government, 40% by the Sao Tomean government and 20% by privates.
submitted by Admiral_Wiki to Geosim [link] [comments]


2020.01.11 19:42 ORoxo Como investir Keep it simple, Stupid!

Olá,
Se chegaste até aqui é porque estás preocupado com as tuas finanças, por isso, parabéns!
De facto, é uma preocupação fundamentada, uma vez que, de acordo com Relatório sobre a Sustentabilidade Financeira da Segurança Social publicado em Outubro de 2018 como anexo do Orçamento de Estado de 2019, a Segurança Social como a conhecemos hoje esgotar-se-á no final da segunda metade da década de 2040.
O FEFSS (Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social), a ser utilizado perante saldos negativos do sistema previdencial a partir do final da segunda metade da década de 2020, teria com a atual projeção, um esgotamento no final da segunda metade da década de 2040, representando uma melhoria face à projeção do relatório de sustentabilidade anexo ao Relatório do OE de 2017, em cinco anos.
Assim, se, tal como eu, estás a iniciar a tua vida adulta, provavelmente serás responsável pelo teu próprio sustento durante a idade da reforma. Como tal, temos de arranjar uma forma de garantir que o nosso dinheiro rende, para garantir esse conforto futuro.
A melhor forma que conheço para o fazer é através de investimentos, algo que começa agora a ser falado no nosso país, mas sobre o qual a generalidade das pessoas ainda sabe muito pouco.
Ao contrário de subs de outros países relacionadas com finanças pessoais onde existem vários tópicos Guide, em Portugal, tal não acontece.
Para colmatar essa lacuna, decidi escrever este post que espero ajudar aqueles que buscam conselhos financeiros e que se deparam com esta comunidade pela primeira vez.
Infelizmente (ou felizmente) não venho de famílias abastadas. Como tal, há cerca de 2/3 anos quando comecei a ganhar alguma autonomia financeira coincidente com a minha entrada no mercado de trabalho, comecei a pensar como viria a fazer face às minhas despesas - casa, carro, alimentação, etc.
Desta reflexão resultaram muitas horas de leitura e lições que agora partilho aqui convosco:
Lição 1: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês.
Começo por partilhar convosco que uma das coisas que mais me irrita na indústria financeira - e no qual tenho a minha quota-parte de culpa, dado que é a minha área de formação - é da necessidade de complicar. Alguém que esteja de fora, ficará intimidado pela complexidade de palavras que usamos como asset alocation, derivatives, bonds, stocks, optimal portfolio allocation, options, warrants e futuros. Como se isso não bastasse, não educamos os jovens em finanças - em muitos casos temos dificuldade em poupar e noutros tantos em perceber como investir.
Claro que toda esta iliteracia financeira é um paraíso para portfolio managers e outros agentes dispostos a investir o vosso dinheiro por vocês. Porquê, perguntam vocês?
Existem três formas através das quais um porfolio manager consegue fazer dinheiro para a empresa:
  1. Comissões sobre produtos;
  2. Assets Under Management;
  3. Aconselhamento 1-on-1.
Em primeiro lugar, parte do salário de um portfolio manager, é variável. Por outras palavras, está dependente do lucro que trouxer para a empresa. Como tal, não é de admirar que vos sugerirão aqueles produtos que lhes dêem maior retorno, independentemente do retorno que vos trouxerem para vocês. Como tal, aqueles produtos que vos tentarão enfiar pela garganta abaixo são precisamente aqueles que vão de acordo com os objectivos deles (maximizar lucro) e não necessariamente os vossos (maximizar o retorno).
Para além disso, existe também o modelo AUM (Assets Under Management) que na práctica é 1-2% que vos cobrados pelo valor de activos na vossa carteiro. A título de exemplo, suponham que eu tenho 100.000€ investidos na institução A cuja taxa AUM é de 2%. Todos os anos terei de pagar 2.000€ à instituição financeira que faz a gestão dos meus activos, independentemente de ter, ou não lucro. Imaginem que num dado ano tive 6% de retorno, a inflação foi de 3% e a AUM é de 2%. Resta-me 1% de um retorno que deveria ter sido 3%. De repente, um ano que até teria sido bastante positivo transformou-se num mísero 1%. (Parece-vos justo? Nem a mim...)
Por último, alguns advisors estão ainda disponíveis para vos aconselha por uma módica quantia de X, sendo X um valor absolutamente ridículo para o qual não existe qualquer justificação lógica. Como se tal não bastasse, muitas vezes esse aconselhamento não se traduz em qualquer valor acrescentado para nós. Com sorte, vai de encontro ao ponto 1 e comem-nos por parvos duas vezes: no aconselhamento que roçou o medíocre e na venda de um produto com comissões altíssimas e retornos pelas ruas da amargura.
Dito isto, aqui fica a primeira lição: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês!
No entanto, identificar um problema sem o tentar resolver soa-me um pouco hipócrita. Por isso, deixem-me introduzir-vos à segunda lição: é mais fácil do que parece.
Dado que, como já partilhei convosco acima, a minha formação base é finanças, comecei a pensar "como é que se investe?". Esta questão levou-me a ler vários livros sobre investimento e apercebi-me que, ao contrário do que todos os profissionais da área faziam parecer crer, investir, era bastante simples.
Tão simples, de facto, que alguém com zero experiência como investidor conseguirá obter um retorno melhor do que 80% dos ditos portfolio managers utilizando apenas as ferramentas que partilharei convosco neste thread.
O quê?! 80%?! Mas investir não é difícil?!
Não.
O quê?! Melhores retornos que portfolio managers que vivem, respiram e comem informação financeira?
Sim.
Afinal eu não preciso de pagar fees ao meu banco para investir por mim?!
Não.
Contudo, antes de partilhar convosco quais são essas ferramentas há três questões que são imperativas que saibam responder:
  1. Em que fase da vossa vida é que estão? Acumulação ou Preservação de riqueza?;
  2. Que níveis de risco é que estão disponíveis a aceitar?;
  3. O vosso horizonte temporal a nível de investimentos é longo ou curto prazo?.
Certamente repararam que as três questões estão intrinsecamente ligadas e que existe um tema comum a todas elas, risco. Pelo que gostava de começar por abordá-lo em primeiro lugar.
Ao contrário do que vos possam dizer ou vocês próprios possam pensar, não existe nenhum investimento 100% seguro.
Experimentem colocar o vosso dinheiro debaixo do colchão durante 20 anos e depois contem-me como os 20k€ que com tanto esforço, suor e lágrimas amealharam valem agora apenas 5k€ em bens e/ou serviços. Ou talvez vocês seja pessoas conservadoras e decidam comprar títulos do tesouro, mas nesse caso apresentar-vos-ei a minha inflação ou então são completamente o oposto e decidem que acções is the way to go, caso em que opto por vos dar a conhecer a minha outra amiga, deflação.
Estes exemplos não servem para vos desincentivar de investir. Queria apenas de uma forma, mais ou menos, lúdica demonstrar-vos que, qualquer que seja a nossa opção, nunca estamos 100% seguros. Consequentemente, a única opção que nos resta é fazer as escolhas que julgamos serem as mais correctas com a informação que temos disponível de momento - e atenção que não fazer escolha é, em si, uma escolha.
Dito isto, existem apenas outras três ferramentas que necessitam para construir o vosso portfolio:
(já repararam que eu gosto de manter as coisas simples?)
  1. Acções
E se invés de apostarmos numa única equipa e rezássemos para que essa equipa vencesse, pudéssemos apostar que uma qualquer equipa entre todas as que estão na competição poderia ganhar? As nossas odds seriam bem melhores, verdade?
É isso que constitui um index fund - um cabaz de acções de várias empresas. Regra geral, cada index fund tem um benchmark que segue o que acaba por definir as ações nas quais esse index fund invest. Tudo o que precisam de saber são três siglas muito simples, IWDA:NA, VUSA e VWRL.
Quais as diferenças?
Dentro dos fundos cotados (aka ETFs), existem duas sub-classes no que toca à distribuição dos dividendos consoante o fundo reeinvista autmaticamente os dividendos ou caso os distribua aos investidores, chamados accumulation ou distribution, respectivamente*.*
Isto é relevante principalmente para efeitos fiscais. No que toca a investimentos desta natureza, existem dois momentos nos quais estás sujeito a imposto.
Na altura de receberes os dividendos e no momento da venda propriamente dito.
Aquando da distribuição dos dividendos, o teu broker transferirá para a conta bancária associada o valor dos dividendos retirados os 28% de imposto. No momento da venda, analisar-se-á qual a mais ou menos valia que há a realizar. Isto é, se vendeste o investimento a um preço superior ao que compraste, o valor de imposto a pagar será de 28% sobre essa diferença. Se o valor de venda for inferior ao valor de compra, não terás qualquer imposto a pagar.
Logo, salvo raras excepções, é aconselhável que se invista num ETF que seja cumulativo (IWDA:NA). Desta forma, tiraremos proveito da capitalização composta dos juros ao mesmo tempo que adiamos o pagamento de impostos desnecessários.
  1. Obrigações
As obrigações proporcionam uma viagem ao longo do percurso de investidor um pouco mais suave. Pessoalmente, dada a minha idade, não creio que tenha muito interesse para mim. No entanto, para investidores mais conservadores, BND e AGGG-fund?switchLocale=y&siteEntryPassthrough=true) são as única sigla que precisam de conhecer neste sub-universo.
  1. Dinheiro
Um fundo de emergência é algo que devemos sempre ter. Ninguém sabe o que acontecerá no dia de amanhã e enquanto investidores de longo-prazo não queremos ter de liquidar os nossos activos devido a uma emergência. Por isso, três a seis meses de despesas fixas é um bom objectivo para se ter em dinheiro numa conta a ordem ou conta poupança que possa ser movimentada sem incorrer em custos.
Lição 2: Todos os portfolio managers acreditam que conseguem bater o mercado. Por sua vez, nós, investidores, acreditamos que conseguimos escolher aqueles que o fazem. Estamos todos enganados.
Imaginem uma sala cheia de crânios financeiros, vestidos nos seus fatos com tecidos italianos. Estes profissionais contam com anos de experiência nos mercados de capitais, para não falar das décadas passadas a estudar em grandes Business Schools.
Para além disso, têm à sua disposição inúmeras ferramentas da Bloomberg, Reuters e outros grandes players que lhes permitem ter acesso a toda a informação, constantemente actualizada, a qualquer instante.
Apesar de trabalharem noite e dia, estes guerreiros também descansam para um ocasional café, cigarro e almoço de negócios. Nesses raros e curtos momentos, encontram-se com outros analistas, experts, insiders das empresas nas quais investem e outra panóplia de gente importante.
Ao conviverem tão próximos com a realidade na qual investem, de certeza que eles sabem o que andam a fazer, certo?
Ahhhhh...think again.
Está comprovado impericamente (clicar irá fazer o download de um pdf) que os vários fundos de investimento não são capazes de dar rendibilidade superior ao seus investidores, quando comparado com o mercado.
Num horizonte temporal de 5 anos, 84,15% dos fundos de investimento tiveram uma performance pior do que o S&P500.
Logo, para terem um retorno superior ao mercado, vocês teriam de escolher o melhor fundo de investimentos possível, de um conjunto de 10! Como se isso não bastasse - e supondo que escolhiam o fundo vencedor -, ser-vos-ia cobra entre 1 a 2% em comissões. Não é muito? Para ilustrar a diferença que isto pode fazer, sigam o meu raciocínio:
Suponham que investiram 10.000€ há 30 anos num dado activo. A rentabilidade média desse mesmo activo foi de 7%, já tida a inflação em conta. Se tivessem investido vocês mesmos esse valor num index fund, teriam aproximadamente 66.000€. Por sua vez, se tivessem escolhido o fundo vencedor teriam apenas 43.000€. Uma diferença de 23.000€ tendo por base apenas 2%. Funny, right?
(aqui estou a supor que o fundo vencedor vos proporcionava apenas a mesma rentabilidade dada pelo mercado, mas dado que assumi, de 10 fundos de investimento, vocês escolhiam o único cuja rentabilidade não era pior que a do mercado, parece-me justo para balançar o cenário)
Este exemplo introduz-nos à próxima lição.
Lição 3: Controlem o que conseguem controlar
Esta conversa é toda muito bonita, mas o que raio é essa coisa da Vanguard e porque é que todos os EFTs que sugeres são geridos por eles? Afinal, também és um vendedor?!
Bom ponto, tens estado atento!
Um mercado de capitais é um sítio feio, se não soubermos gerir as emoções provavelmente perderemos muito dinheiro - mais sobre isto numa edição futura do post. A verdade é que os nossos investimentos irão desvalorizar e valorizar várias vezes ao longo do tempo. Como tal, uns anos serão positivos e outros nem tanto. Isto para dizer algo que ninguém gosta de ouvir: não podemos controlar o retorno que o mercado nos dá. Felizmente, há algo que nos cabe a nós controlar: o custo do nosso investimento.
Uma vez que o lucro do nosso investimento será nada mais do que retorno - custo, minimizando o custo estamos a optimizar esta equação.
É aqui que entra a Vanguard, fundada por um grande senhor, John Bogle, em 1975.
O que a torna tão especial é que, no momento da sua fundação, John Bogle estruturou-a de forma a que fosse customer-owned e cujo objetivo fosse o breakeven (i.e., não é suposto ter lucro, mas sim apenas ser capaz de fazer face às suas despesas).
Para compreenderem a diferença, uma empresa de investimento pode ter duas formas:
  1. É uma empresa privada. Funciona da mesma forma que um negócio familiar e o objectivo é gerar valor para os donos - a Fidelity Investments é um exemplo;
  2. É uma empresa cotada em bolsa, detida por accionistas.
Em qualquer um destes casos, o objectivo da empresa é gerar lucro. Apenas deste modo serão capazes de pagar as suas despesas e remunerar os seus donos, sejam eles privados ou accionistas. Não é difícil perceber que quanto maior for o lucro, maior será a fatia dada a cada um destes agentes. Logo, há todo um incentivo para a maximizar tanto quanto possível. E imaginem de quem virá essa fatia...nós, investidores, claro!
Por outras palavras, quando investimos com uma destas empresas, estamos a pagar pelo investimento financeiro propriamente dito e mais alguns pózinhos para os seus donos/accionistas.
Logo, é claro que há aqui um conflito de interesses - o mesmo se passa com portfolio managers, mas isso fica para uma outra versão do post. O dono de uma empresa de investimento quer que os fees sejam tão altos quanto possível. Eu, enquanto investidor, quero pagar o mínimo.
Ainda que este modelo de negócio seja perfeitamente digno. Nós, investidores, temos uma solução melhor! Acontece que John Bogle quando fundou a Vanguard, fê-lo de modo a que a mesma fosse detida pelos fundos que esta opera. Ora, uma vez que são os investidores que detêm os fundos, na práctica, os investidores detêm a própria Vanguard.
Logo, qualquer lucro que a empresa tivesse entraria directamente para a nossa carteira. No entanto, dado que este circulo Investidor - Vnaguard Mutual Funds - Vanguard - Investidor seria um pouco non-sense, a Vanguard opera no breakeven, cobrando os custos mínimos para garantir a sua operação.
No que é isto se traduz, na práctica? No facto de que o expense ratio (ou seja, a taxa de encargos correntes) média dos fundos da Vanguard seja 0.2% contra 1,20% da indústria. Pode não parecer muito, mas considerando este valor sobre vários anos e sobre um capital considerável, dá uns bons mlhares de euros poupados no final de uma vida de investidor.
Lição 4: Fazer para crer
Dito isto, como é que se compra essas coisas estranhas, ETFs? Para o fazer, precisam de uma correctora ou broker. Cada correctora practica o seu próprio preço. Por isso, é importante compararem-nos antes de abrirem conta numa delas. Deixo-vos aqui e aqui e aqui imagens de tabelas comparativas das várias correctoras a operar em Portugal (obrigado, Bárbara Barroso). Para além dos custos de aquisição de títulos, algumas delas cobram ainda custos de manuntenção e/ou outros.
Muitas destas correctoras permitem criar contas demo. Caso estejam indecisos. criem uma e experimentem a plataforma de negociação.
Feito este passo, é uma questão de acederem à dita plataforma, procurar os títulos indicados acima e adquiri-los.
Frequently Asked Questions
Os mercados estão em máximos históricos. Por isso, uma recessão está para breve. Será que devo esperar que a dita recessão chegue e que os mercados acalmem?
Ninguém sabe ao certo quando - e sequer se - estaremos perante uma recessão. A pesquisa feita em torno dos retornos históricos demonstra que se tiveres X€ para investir, a melhor solução é colocá-los de uma só vez no mercado.
Mas ainda ontem ouvi o Miguel Sousa Tavares a dizer que estaria para breve!
Não.
Ah, mas a minha tia, que é economista, disse no jantar de Natal que a guerra comercial da China e dos EUA...
Não.
Ah, mas o meu piriquito...
Não.
Ninguém consegue fazer timing ao mercado e quem vos disser o contrário está a tentar enganar-vos. No caso de serem vocês próprios, sentem-se à espera que a vontade passe, 99.9% das vezes estarão enganados.
Devo investir com a Degiro?
Antes de usarem a DeGiro como vossa correctora leiam este thread e pesquisem Amsterdamtrader Degiro no Google.
Com este tópico pretendo apenas informar-vos. Como tal, ainda que vos possa partilhar convosco como giro os meus investimentos, tento ser o mais imparcial possível. No entanto, sou defensor que devemos fazer escolhas conscientes. Não digo que não seja uma boa opção, estejam apenas consciente do que se passa no background.
Qual é a correctora que usas, u/ORoxo**?**
Comecei por usar o Banco Invest porque me dava uma segurança adicional fazê-lo através de um banco no qual confio. No entanto, os custos eram demasiado elevados e agora faço-o pela DeGiro, apesar do indiquei no ponto imediatamente acima. O importante é termos consciência dos riscos, lembrem-se.
O que acontece se a correctora que uso for à falência?
Regra geral, as correctoras mantêm os nossos activos numa entidade legal separada. Na práctica, isto significa que a correctora teria uma entidades para o negócio de corretagem propriamente dito através da qual realiza todas as actividades inerentes à operação (i.e., pagar os salários dos empregados, receber os fees dos clientes, etc, etc) e outra entidade à qual os nossos activos estariam alocados (dinheiro que temos em conta e os nossos produtos financeiros). A vantagem deste tipo de estrutura é que, em caso de falência do negócio, os ativos dos investidores não poderiam ser usados para pagar aos credores da correctora.
Não vos posso dizer se na práctica é 100% assim mas, pelo menos em teoria, isto acontece (ver e ver). Usando a DeGiro como exemplo:
DEGIRO holds Financial Instruments for you in such a way that they cannot be accessed by creditors of DEGIRO, even if DEGIRO would be bankrupt.
Ainda assim, supondo que a DeGiro ia à falência, dado que está sediada na Holanda, estaria ao abrigo do Investor Compensation Scheme que fará face às obrigações da correctora até um limite de 20k€ por investidor.
Para vos dar outro exemplo, caso investissem através da Interactive Brokers, o limite seria 500k€, uma vez que estariamos ao abrigo da SIPC (Securities Investor Protection Corporation).
Estes valores/regras dependerão do país no qual a correctora está sediada. Caso queiram optar por outra, as preocupações deverão rondar as seguintes questões:
Qual é a rentabilidade anual que posso esperar do meu portfólio, se seguir as estratégias deste post?
Tendo em consideração os dados do último século, o retorno médio anual do mercado de capitais foi de 10%. Na práctica, isto quer dizer que se adquirires um ETF cujo benchmark seja o S&P500 ou um índice global (muitas vezes os ETF deste tipo têm WLR ou World no nome), no longo prazo (20+ anos), podes esperar um retorno anual de 10% nos teus investimentos. Atenta, por favor, que isto não quer dizer que terás todos os anos 10% - poderão haver anos que ganhas 30% e noutros perdes 15%, por exemplo. Ainda assim, no longo-prazo, em média, poderás esperar um retorno de 10%/ano.
O importante é que não faças o que a maior parte das pessoas faz: vender quando o mercado está a cair e comprar quanto o mercado está em alta. O nosso objectivo enquanto investidores de longo prazo deve ser comprar sempre o mesmo em valor absoluto (supõe que defines como objetivo uma taxa de poupança de 30%/mês; deverás investir sempre esses 30% quer o ETF custe 10€ ou 80€). Uns anos essa poupança de 30% comprará mais unidades do dito ETF, outras menos. Ainda assim, no final da nossa vida de investidor, poderemos esperar um retorno de 10%/ano, em média.
Para aqueles que são conservadores, usem 6% como referência.
O ETF xpto é uma boa alternativa aos que mencionas no teu post?
Quando consideramos investir num ETF há algumas questões que devemos colocar:
  1. Qual é o activo subjacente ao ETF?
  2. Qual o custo de gestão do ETF?
  3. O ETF é cumulativo ou distribuí dividendos?
  4. Em que praça é cotado?
  5. Em que moeda está denominado o ETF?
Em primeiro lugar, importa perceber qual é o activo que está subjacente ao ETF.
Em segundo lugar, importa analisar os custos.
Eu posso pensar "epah estar exposto ao mundo todo é melhor do que estar apenas exposto ao mercado dos EUA." Certíssimo. No entanto, o retorno que irei ter ao estar exposto a empresas de diferentes geografias vai compensar a diferença de custos de gestão anuais que terei de pagar? Para além disso, supondo que estou a investir em empresas do S&P500, a maior parte delas operam em vários mercados. Será que faz sentido optar por um ETF que diversifica ainda mais, incorrendo em custos superiores, quando as grandes empresas são, hoje em dia, na sua grande maioria, globais?".
O ponto 3, ainda para mais em Portugal, é fulcral. Cada vez que te forem pagos dividendos, pagarás 28% de imposto. Logo, supondo que recebes 1.000€ de dividendos, só receberás à cabeça 720€. Num ano, pode não parecer muito, capitaliza isto pela tua vida de investidor, no meu caso 50 ou 60€ e tens uma valente fortuna paga ao Estado, sem motivo para isso.
Qual é então a solução? Fácil! Investir num ETF que invés de te dar os 1.000€ todos os anos, os investe automaticamente no ETF. Não só poupaste 28% em imposto como o poder do juro composto vai multiplicar este valor inúmeras vezes. Lembra-te, sempre que possível, accumulating.
O próximo ponto também é essencial uma vez que se o EFT for cotado nos EUA não está sequer acessível para nós. Infelizmente, as normas europeias exigem que os issuers forneçam uma série de informação, sem a qual os ETF não poderão ser transacionados em bolsa Europeias. Consequentemente, não são sequer solução para nós porque simplesmente não estão disponíveis.
Por último, há pessoas que consideram que seja bastante importante a moeda na qual o ETF está cotado devido ao currency risk (i.e., supõe que tens um activo em USD e gastas o teu dinheiro em EUR. O risco é que o USD desvalorize face ao EUR e que, consequentemente, percas poder de compra).
Pessoalmente, não é algo que me faça perder o sono, mas é uma questão a considerar.
O que acontecerá às minhas poupanças daqui a 20 anos se conseguir investir mais 50€/mês?
De acordo com esta calculadora, daqui a 20 anos terás mais 36.199,34€ ou 22.782,29€, consoante a tua perspectiva face à taxa de juro seja optimista ou pessimista, respectivamente.
Quero aprender mais sobre o tópico. O que me aconselhas?
Infelizmente, muito do conteúdo que existe está extremamente vocacionado para o mercado Norte-americano, em particular os EUA - surprise, surprise, han?
De qualquer modo, existem muitas (e boas!) lições que podemos adaptar à nossa realidade. Por isso, caso se sintam à vontade a ler inglês aconselho os seguintes livros:
Creio que para a maior parte deles poderão encontrar a versão em PT. No entanto, caso considerem que há interesse posso fazer um breve resumo de cada um deles e incluí-lo no âmbito do thread.
Para aqueles cujas versões de inglês forem suficientes, mas cujo valor dos livros faça diferença no orçamento familiar, mandem-me dm.
Tenho mais de 100.000€ disponível para investir, devo seguir o mesmo processo?
Não.
Nesse caso, por favor, abre uma garrafa de champanhe. Para além de estares entre os 20% mais ricos de Portugal e dinheiro não ser uma preocupação para ti, podes investir directamente com a Vanguard.
Para o fazeres, envia um e-mail para [email protected] com a indicação de que pretendes investir no index fund cujo ISIN é IE0002639668. Infelizmente, a partir daqui não te consigo ajudar mais, uma vez que ainda não estou neste patamar. Contudo, para questões particulares, estou sempre disponível por dm, se necessitares.
Caso pretendas consultar os restantes fundos disponíveis para investidores portugueses podes fazê-lo aqui.
Creio que já deu para entender que adoro este temas. Por isso, caso tenham alguma questão, estejam completamente à vontade para a colocar nos comentários ou enviar-me dm. Terei todo o gosto em ajudar cada um de vocês em tudo o que me for possível.
Como qualquer pessoa, sou humano e, como tal, não sei tudo. Ainda assim, se for esse o caso, estou disponível para ir aprender de modo a ser capaz de vos explicar e partilhar convosco.
Provavelmente editarei este tópico várias vezes à medida que me for lembrando de mais informação. Até lá, espero que vos seja útil!
submitted by ORoxo to literaciafinanceira [link] [comments]


2020.01.03 10:04 dipitinmayo Comprei casa no UK - Curioso para saber a diferença entre países no que toca a este processo.

Em 2019 comprei casa no UK. Como é hábito, passei o Natal em Portugal (Filhós com fartura), estava a ver as noticias sobre as cheias e entrevistaram uns residentes que diziam não saber nada sobre a zona onde compraram casa estar em risco… Comecei a pensar em algumas diferenças no processo de comprar casa entre estes dois países, ainda falei sobre isto com os meus pais, mas a última vez que compraram foi há mais de 30 anos, como tal já não se lembram muito bem.
Vou detalhar, em resumo (espero), o processo de compra que pessoalmente passei - Penso ser bastante comum cá:
Como podem ver, o processo é longo e detalhado, mas nunca me senti com falta de informação - Uma pessoa acaba o processo e fica especialista na área envolvente à casa e ao interior da mesma (se assim o entender). Acho impossível alguém comprar cá casa e não saber, por exemplo, o risco associado a cheias… Já o meu pai disse que isso em Portugal é sonhar, que é tudo feito às 3 pancadas e no joelho.
Como funciona em Portugal? E já agora, se tiverem questões, posso tentar ajudar.
submitted by dipitinmayo to portugal [link] [comments]


2019.12.28 13:24 ORoxo Como investir Keep it simple, Stupid!

Olá,
Se chegaste até aqui é porque estás preocupado com as tuas finanças, por isso, parabéns!
De facto, é uma preocupação fundamentada, uma vez que, de acordo com Relatório sobre a Sustentabilidade Financeira da Segurança Social publicado em Outubro de 2018 como anexo do Orçamento de Estado de 2019, a Segurança Social como a conhecemos hoje esgotar-se-á no final da segunda metade da década de 2040.

O FEFSS (Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social), a ser utilizado perante saldos negativos do sistema previdencial a partir do final da segunda metade da década de 2020, teria com a atual projeção, um esgotamento no final da segunda metade da década de 2040, representando uma melhoria face à projeção do relatório de sustentabilidade anexo ao Relatório do OE de 2017, em cinco anos.

Assim, se, tal como eu, estás a iniciar a tua vida adulta, provavelmente será responsável pelo teu próprio sustento durante a idade da reforma. Como tal, temos de arranjar uma forma de garantir que o nosso dinheiro rende, para garantir esse conforto futuro.
A melhor forma que conheço para o fazer é através de investimentos, algo que começa agora a ser falado no nosso país, mas sobre o qual a generalidade das pessoas ainda sabe muito pouco.

Ao contrário de subs de outros países relacionadas com finanças pessoais onde existem vários tópicos Guide, em Portugal, tal não acontece.
Para colmatar essa lacuna, decidi escrever este post que espero ajudar aqueles que buscam conselhos financeiros e que se deparam com esta comunidade pela primeira vez.
Infelizmente (ou felizmente) não venho de famílias abastadas. Como tal, há cerca de 2/3 anos quando comecei a ganhar alguma autonomia financeira coincidente com a minha entrada no mercado de trabalho, comecei a pensar como é viria a fazer face às minhas despesas - casa, carro, alimentação, etc.
Desta reflexão resultaram muitas horas de leitura e lições que agora partilho aqui convosco:

Lição 1: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês.
Começo por partilhar convosco que uma das coisas que mais me irrita na indústria financeira - e no qual tenho a minha quota-parte de culpa, dado que é a minha área de formação - é da necessidade de complicar. Alguém que esteja de fora, ficará intimidado pela complexidade de palavras que usamos como asset alocation, derivatives, bonds, stocks, optimal portfolio allocation, options, warrants e futuros. Como se isso não bastasse, não educamos os jovens em finanças - em muitos casos temos dificuldade em poupar e noutros tantos em perceber como investir.
Claro que toda esta iliteracia financeira é um paraíso para portfolio managers e outros agentes dispostos a investir o vosso dinheiro por vocês. Porquê, perguntam vocês?
Existem três formas através das quais um porfolio manager consegue fazer dinheiro para a empresa:
  1. Comissões sobre produtos;
  2. Assets Under Management;
  3. Aconselhamento 1-on-1.

Em primeiro lugar, parte do salário de um portfolio manager, é variável. Por outras palavras, está dependente do lucro que trouxer para a empresa. Como tal, não é de admirar que vos sugerirão aqueles produtos que lhes dêem maior retorno, independentemente do retorno que vos trouxerem para vocês. Como tal, aqueles produtos que vos tentarão enfiar pela garganta abaixo são precisamente aqueles que vão de acordo com os objectivos deles (maximizar lucro) e não necessariamente os vossos (maximizar o retorno).
Para além disso, existe também o modelo AUM (Assets Under Management) que na práctica é 1-2% que vos cobrados pelo valor de activos na vossa carteiro. A título de exemplo, suponham que eu tenho 100.000€ investidos na institução A cuja taxa AUM é de 2%. Todos os anos terei de pagar 2.000€ à instituição financeira que faz a gestão dos meus activos, independentemente de ter, ou não lucro. Imaginem que num dado ano tive 6% de retorno, a inflação foi de 3% e a AUM é de 2%. Resta-me 1% de um retorno que deveria ter sido 3%. De repente, um ano que até teria sido bastante positivo transformou-se num mísero 1%. (Parece-vos justo? Nem a mim...)
Por último, alguns advisors estão ainda disponíveis para vos aconselha por uma módica quantia de X, sendo X um valor absolutamente ridículo para o qual não existe qualquer justificação lógica. Como se tal não bastasse, muitas vezes esse aconselhamento não se traduz em qualquer valor acrescentado para nós. Com sorte, vai de encontro ao ponto 1 e comem-nos por parvos duas vezes: no aconselhamento que roçou o medíocre e na venda de um produto com comissões altíssimas e retornos pelas ruas da amargura.

Dito isto, aqui fica a primeira lição: ninguém cuidará melhor do vosso dinheiro do que vocês!

No entanto, identificar um problema sem o tentar resolver soa-me um pouco hipócrita. Por isso, deixem-me introduzir-vos à segunda lição: é mais fácil do que parece.

Dado que, como já partilhei convosco acima, a minha formação base é finanças, comecei a pensar "como é que se investe?". Esta questão levou-me a ler vários livros sobre investimento e apercebi-me que, ao contrário do que todos os profissionais da área faziam parecer crer, investir, era bastante simples.
Tão simples, de facto, que alguém com zero experiência como investidor conseguirá obter um retorno melhor do que 80% dos ditos portfolio managers utilizando apenas as ferramentas que partilharei convosco neste thread.

O quê?! 80%?! Mas investir não é difícil?!
Não.

O quê?! Melhores retornos que portfolio managers que vivem, respiram e comem informação financeira?
Sim.

Afinal eu não preciso de pagar fees ao meu banco para investir por mim?!
Não.

Contudo, antes de partilhar convosco quais são essas ferramentas há três questões que são imperativas que saibam responder:

  1. Em que fase da vossa vida é que estão? Acumulação ou Preservação de riqueza?;
  2. Que níveis de risco é que estão disponíveis a aceitar?;
  3. O vosso horizonte temporal a nível de investimentos é longo ou curto prazo?.

Certamente repararam que as três questões estão intrinsecamente ligadas e que existe um tema comum a todas elas, risco. Pelo que gostava de começar por abordá-lo em primeiro lugar.
Ao contrário do que vos possam dizer ou vocês próprios possam pensar, não existe nenhum investimento 100% seguro.
Experimentem colocar o vosso dinheiro debaixo do colchão durante 20 anos e depois contem-me como os 20k€ que com tanto esforço, suor e lágrimas amealharam valem agora apenas 5k€ em bens e/ou serviços. Ou talvez vocês seja pessoas conservadoras e decidam comprar títulos do tesouro, mas nesse caso apresentar-vos-ei a minha inflação ou então são completamente o oposto e decidem que acções is the way to go, caso em que opto por vos dar a conhecer a minha outra amiga, deflação.
Estes exemplos não servem para vos desincentivar de investir. Queria apenas de uma forma, mais ou menos, lúdica demonstrar-vos que, qualquer que seja a nossa opção, nunca estamos 100% seguros. Consequentemente, a única opção que nos resta é fazer as escolhas que julgamos serem as mais correctas com a informação que temos disponível de momento - e atenção que não fazer escolha é, em si, uma escolha.
Dito isto, existem apenas outras três ferramentas que necessitam para construir o vosso portfolio:
(já repararam que eu gosto de manter as coisas simples?)

  1. Acções
E se invés de apostarmos numa única equipa e rezássemos para que essa equipa vencesse, pudéssemos apostar que uma qualquer equipa entre todas as que estão na competição poderia ganhar? As nossas odds seriam bem melhores, verdade?
É isso que constitui um index fund - um cabaz de acções de várias empresas. Regra geral, cada index fund tem um benchmark que segue o que acaba por definir as ações nas quais esse index fund invest. Tudo o que precisam de saber são três siglas muito simples, IWDA:NA, VUSA e VWRL.

Quais as diferenças?
Dentro dos fundos cotados (aka ETFs), existem duas sub-classes no que toca à distribuição dos dividendos consoante o fundo reeinvista autmaticamente os dividendos ou caso os distribua aos investidores, chamados accumulation ou distribution, respectivamente*.*
Isto é relevante principalmente para efeitos fiscais. No que toca a investimentos desta natureza, existem dois momentos nos quais estás sujeito a imposto.
Na altura de receberes os dividendos e no momento da venda propriamente dito.
Aquando da distribuição dos dividendos, o teu broker transferirá para a conta bancária associada o valor dos dividendos retirados os 28% de imposto. No momento da venda, analisar-se-á qual a mais ou menos valia que há a realizar. Isto é, se vendeste o investimento a um preço superior ao que compraste, o valor de imposto a pagar será de 28% sobre essa diferença. Se o valor de venda for inferior ao valor de compra, não terás qualquer imposto a pagar.
Logo, salvo raras excepções, é aconselhável que se invista num ETF que seja cumulativo (IWDA:NA). Desta forma, tiraremos proveito da capitalização composta dos juros ao mesmo tempo que adiamos o pagamento de impostos desnecessários.

  1. Obrigações
As obrigações proporcionam uma viagem ao longo do percurso de investidor um pouco mais suave. Pessoalmente, dada a minha idade, não creio que tenha muito interesse para mim. No entanto, para investidores mais conservadores, BND e AGGG-fund?switchLocale=y&siteEntryPassthrough=true) são as única sigla que precisam de conhecer neste sub-universo.

  1. Dinheiro
Um fundo de emergência é algo que devemos sempre ter. Ninguém sabe o que acontecerá no dia de amanhã e enquanto investidores de longo-prazo não queremos ter de liquidar os nossos activos devido a uma emergência. Por isso, três a seis meses de despesas fixas é um bom objectivo para se ter em dinheiro numa conta a ordem ou conta poupança que possa ser movimentada sem incorrer em custos.

Lição 2: Todos os portfolio managers acreditam que conseguem bater o mercado. Por sua vez, nós, investidores, acreditamos que conseguimos escolher aqueles que o fazem. Estamos todos enganados.

Imaginem uma sala cheia de crânios financeiros, vestidos nos seus fatos com tecidos italianos. Estes profissionais contam com anos de experiência nos mercados de capitais, para não falar das décadas passadas a estudar em grandes Business Schools.
Para além disso, têm à sua disposição inúmeras ferramentas da Bloomberg, Reuters e outros grandes players que lhes permitem ter acesso a toda a informação, constantemente actualizada, a qualquer instante.
Apesar de trabalharem noite e dia, estes guerreiros também descansam para um ocasional café, cigarro e almoço de negócios. Nesses raros e curtos momentos, encontram-se com outros analistas, experts, insiders das empresas nas quais investem e outra panóplia de gente importante.
Ao conviverem tão próximos com a realidade na qual investem, de certeza que eles sabem o que andam a fazer, certo?
Ahhhhh...think again.
Está comprovado impericamente (clicar irá fazer o download de um pdf) que os vários fundos de investimento não são capazes de dar rendibilidade superior ao seus investidores, quando comparado com o mercado.
Num horizonte temporal de 5 anos, 84,15% dos fundos de investimento tiveram uma performance pior do que o S&P500.
Logo, para terem um retorno superior ao mercado, vocês teriam de escolher o melhor fundo de investimentos possível, de um conjunto de 10! Como se isso não bastasse - e supondo que escolhiam o fundo vencedor -, ser-vos-ia cobra entre 1 a 2% em comissões. Não é muito? Para ilustrar a diferença que isto pode fazer, sigam o meu raciocínio:

Suponham que investiram 10.000€ há 30 anos num dado activo. A rentabilidade média desse mesmo activo foi de 7%, já tida a inflação em conta. Se tivessem investido vocês mesmos esse valor num index fund, teriam aproximadamente 66.000€. Por sua vez, se tivessem escolhido o fundo vencedor teriam apenas 43.000€. Uma diferença de 23.000€ tendo por base apenas 2%. Funny, right?

(aqui estou a supor que o fundo vencedor vos proporcionava apenas a mesma rentabilidade dada pelo mercado, mas dado que assumi, de 10 fundos de investimento, vocês escolhiam o único cuja rentabilidade não era pior que a do mercado, parece-me justo para balançar o cenário)

Este exemplo introduz-nos à próxima lição.

Lição 3: Controlem o que conseguem controlar

Esta conversa é toda muito bonita, mas o que raio é essa coisa da Vanguard e porque é que todos os EFTs que sugeres são geridos por eles? Afinal, também és um vendedor?!

Bom ponto, tens estado atento!
Um mercado de capitais é um sítio feio, se não soubermos gerir as emoções provavelmente perderemos muito dinheiro - mais sobre isto numa edição futura do post. A verdade é que os nossos investimentos irão desvalorizar e valorizar várias vezes ao longo do tempo. Como tal, uns anos serão positivos e outros nem tanto. Isto para dizer algo que ninguém gosta de ouvir: não podemos controlar o retorno que o mercado nos dá. Felizmente, há algo que nos cabe a nós controlar: o custo do nosso investimento.
Uma vez que o lucro do nosso investimento será nada mais do que retorno - custo, minimizando o custo estamos a optimizar esta equação.
É aqui que entra a Vanguard, fundada por um grande senhor, John Bogle, em 1975.
O que a torna tão especial é que, no momento da sua fundação, John Bogle estruturou-a de forma a que fosse customer-owned e cujo objetivo fosse o breakeven (i.e., não é suposto ter lucro, mas sim apenas ser capaz de fazer face às suas despesas).
Para compreenderem a diferença, uma empresa de investimento pode ter duas formas:

  1. É uma empresa privada. Funciona da mesma forma que um negócio familiar e o objectivo é gerar valor para os donos - a Fidelity Investments é um exemplo;
  2. É uma empresa cotada em bolsa, detida por accionistas.

Em qualquer um destes casos, o objectivo da empresa é gerar lucro. Apenas deste modo serão capazes de pagar as suas despesas e remunerar os seus donos, sejam eles privados ou accionistas. Não é difícil perceber que quanto maior for o lucro, maior será a fatia dada a cada um destes agentes. Logo, há todo um incentivo para a maximizar tanto quanto possível. E imaginem de quem virá essa fatia...nós, investidores, claro!
Por outras palavras, quando investimos com uma destas empresas, estamos a pagar pelo investimento financeiro propriamente dito e mais alguns pózinhos para os seus donos/accionistas.
Logo, é claro que há aqui um conflito de interesses - o mesmo se passa com portfolio managers, mas isso fica para uma outra versão do post. O dono de uma empresa de investimento quer que os fees sejam tão altos quanto possível. Eu, enquanto investidor, quero pagar o mínimo.
Ainda que este modelo de negócio seja perfeitamente digno. Nós, investidores, temos uma solução melhor! Acontece que John Bogle quando fundou a Vanguard, fê-lo de modo a que a mesma fosse detida pelos fundos que esta opera. Ora, uma vez que são os investidores que detêm os fundos, na práctica, os investidores detêm a própria Vanguard.
Logo, qualquer lucro que a empresa tivesse entraria directamente para a nossa carteira. No entanto, dado que este circulo Investidor - Vnaguard Mutual Funds - Vanguard - Investidor seria um pouco non-sense, a Vanguard opera no breakeven, cobrando os custos mínimos para garantir a sua operação.

No que é isto se traduz, na práctica? No facto de que o expense ratio (ou seja, a taxa de encargos correntes) média dos fundos da Vanguard seja 0.2% contra 1,20% da indústria. Pode não parecer muito, mas considerando este valor sobre vários anos e sobre um capital considerável, dá uns bons mlhares de euros poupados no final de uma vida de investidor.

Lição 4: Fazer para crer
Dito isto, como é que se compra essas coisas estranhas, ETFs? Para o fazer, precisam de uma correctora ou broker. Cada correctora practica o seu próprio preço. Por isso, é importante compararem-nos antes de abrirem conta numa delas. Deixo-vos aqui e aqui e aqui imagens de tabelas comparativas das várias correctoras a operar em Portugal (obrigado, Bárbara Barroso). Para além dos custos de aquisição de títulos, algumas delas cobram ainda custos de manuntenção e/ou outros.
Muitas destas correctoras permitem criar contas demo. Caso estejam indecisos. criem uma e experimentem a plataforma de negociação.
Feito este passo, é uma questão de acederem à dita plataforma, procurar os títulos indicados acima e adquiri-los.


Frequently Asked Questions

Os mercados estão em máximos históricos. Por isso, uma recessão está para breve. Será que devo esperar que a dita recessão chegue e que os mercados acalmem?
Ninguém sabe ao certo quando - e sequer se - estaremos perante uma recessão. A pesquisa feita em torno dos retornos históricos demonstra que se tiveres X€ para investir, a melhor solução é colocá-los de uma só vez no mercado.

Mas ainda ontem ouvi o Miguel Sousa Tavares a dizer que estaria para breve!
Não.
Ah, mas a minha tia, que é economista, disse no jantar de Natal que a guerra comercial da China e dos EUA...
Não.
Ah, mas o meu piriquito...
Não.

Ninguém consegue fazer timing ao mercado e quem vos disser o contrário está a tentar enganar-vos. No caso de serem vocês próprios, sentem-se à espera que a vontade passe, 99.9% das vezes estarão enganados.

Devo investir com a Degiro?
Antes de usarem a DeGiro como vossa correctora leiam este thread e pesquisem Amsterdamtrader Degiro no Google.
Com este tópico pretendo apenas informar-vos. Como tal, ainda que vos possa partilhar convosco como giro os meus investimentos, tento ser o mais imparcial possível. No entanto, sou defensor que devemos fazer escolhas conscientes. Não digo que não seja uma boa opção, estejam apenas consciente do que se passa no background.

Qual é a correctora que usas, u/ORoxo**?**
Comecei por usar o Banco Invest porque me dava uma segurança adicional fazê-lo através de um banco no qual confio. No entanto, os custos eram demasiado elevados e agora faço-o pela DeGiro, apesar do indiquei no ponto imediatamente acima. O importante é termos consciência dos riscos, lembrem-se.

O que acontece se a correctora que uso for à falência?
Regra geral, as correctoras mantêm os nossos activos numa entidade legal separada. Na práctica, isto significa que a correctora teria uma entidades para o negócio de corretagem propriamente dito através da qual realiza todas as actividades inerentes à operação (i.e., pagar os salários dos empregados, receber os fees dos clientes, etc, etc) e outra entidade à qual os nossos activos estariam alocados (dinheiro que temos em conta e os nossos produtos financeiros). A vantagem deste tipo de estrutura é que, em caso de falência do negócio, os ativos dos investidores não poderiam ser usados para pagar aos credores da correctora.
Não vos posso dizer se na práctica é 100% assim mas, pelo menos em teoria, isto acontece (ver e ver). Usando a DeGiro como exemplo:

DEGIRO holds Financial Instruments for you in such a way that they cannot be accessed by creditors of DEGIRO, even if DEGIRO would be bankrupt.

Ainda assim, supondo que a DeGiro ia à falência, dado que está sediada na Holanda, estaria ao abrigo do Investor Compensation Scheme que fará face às obrigações da correctora até um limite de 20k€ por investidor.
Para vos dar outro exemplo, caso investissem através da Interactive Brokers, o limite seria 500k€, uma vez que estariamos ao abrigo da SIPC (Securities Investor Protection Corporation).
Estes valores/regras dependerão do país no qual a correctora está sediada. Caso queiram optar por outra, as preocupações deverão rondar as seguintes questões:


Qual é a rentabilidade anual que posso esperar do meu portfólio, se seguir as estratégias deste post?
Tendo em consideração os dados do último século, o retorno médio anual do mercado de capitais foi de 10%. Na práctica, isto quer dizer que se adquirires um ETF cujo benchmark seja o S&P500 ou um índice global (muitas vezes os ETF deste tipo têm WLR ou World no nome), no longo prazo (20+ anos), podes esperar um retorno anual de 10% nos teus investimentos. Atenta, por favor, que isto não quer dizer que terás todos os anos 10% - poderão haver anos que ganhas 30% e noutros perdes 15%, por exemplo. Ainda assim, no longo-prazo, em média, poderás esperar um retorno de 10%/ano.
O importante é que não faças o que a maior parte das pessoas faz: vender quando o mercado está a cair e comprar quanto o mercado está em alta. O nosso objectivo enquanto investidores de longo prazo deve ser comprar sempre o mesmo em valor absoluto (supõe que defines como objetivo uma taxa de poupança de 30%/mês; deverás investir sempre esses 30% quer o ETF custe 10€ ou 80€). Uns anos essa poupança de 30% comprará mais unidades do dito ETF, outras menos. Ainda assim, no final da nossa vida de investidor, poderemos esperar um retorno de 10%/ano, em média.

Para aqueles que são conservadores, usem 6% como referência.

O ETF xpto é uma boa alternativa aos que mencionas no teu post?
Quando consideramos investir num ETF há algumas questões que devemos colocar:
  1. Qual é o activo subjacente ao ETF?
  2. Qual o custo de gestão do ETF?
  3. O ETF é cumulativo ou distribuí dividendos?
  4. Em que praça é cotado?
  5. Em que moeda está denominado o ETF?
Em primeiro lugar, importa perceber qual é o activo que está subjacente ao ETF.
Em segundo lugar, importa analisar os custos.
Eu posso pensar "epah estar exposto ao mundo todo é melhor do que estar apenas exposto ao mercado dos EUA." Certíssimo. No entanto, o retorno que irei ter ao estar exposto a empresas de diferentes geografias vai compensar a diferença de custos de gestão anuais que terei de pagar? Para além disso, supondo que estou a investir em empresas do S&P500, a maior parte delas operam em vários mercados. Será que faz sentido optar por um ETF que diversifica ainda mais, incorrendo em custos superiores, quando as grandes empresas são, hoje em dia, na sua grande maioria, globais?".
O ponto 3, ainda para mais em Portugal, é fulcral. Cada vez que te forem pagos dividendos, pagarás 28% de imposto. Logo, supondo que recebes 1.000€ de dividendos, só receberás à cabeça 720€. Num ano, pode não parecer muito, capitaliza isto pela tua vida de investidor, no meu caso 50 ou 60€ e tens uma valente fortuna paga ao Estado, sem motivo para isso.
Qual é então a solução? Fácil! Investir num ETF que invés de te dar os 1.000€ todos os anos, os investe automaticamente no ETF. Não só poupaste 28% em imposto como o poder do juro composto vai multiplicar este valor inúmeras vezes. Lembra-te, sempre que possível, accumulating.
O próximo ponto também é essencial uma vez que se o EFT for cotado nos EUA não está sequer acessível para nós. Infelizmente, as normas europeias exigem que os issuers forneçam uma série de informação, sem a qual os ETF não poderão ser transacionados em bolsa Europeias. Consequentemente, não são sequer solução para nós porque simplesmente não estão disponíveis.
Por último, há pessoas que consideram que seja bastante importante a moeda na qual o ETF está cotado devido ao currency risk (i.e., supõe que tens um activo em USD e gastas o teu dinheiro em EUR. O risco é que o USD desvalorize face ao EUR e que, consequentemente, percas poder de compra).
Pessoalmente, não é algo que me faça perder o sono, mas é uma questão a considerar.

O que acontecerá às minhas poupanças daqui a 20 anos se conseguir investir mais 50€/mês?
De acordo com esta calculadora, daqui a 20 anos terás mais 36.199,34€ ou 22.782,29€, consoante a tua perspectiva face à taxa de juro seja optimista ou pessimista, respectivamente.

Terás tido um proveito líquido de 19% com esta simples operação, excluído eventuais comissões de resgate e subscrição. Daí que o passo 1 seja importante.
De nada :)

Quero aprender mais sobre o tópico. O que me aconselhas?
Infelizmente, muito do conteúdo que existe está extremamente vocacionado para o mercado Norte-americano, em particular os EUA - surprise, surprise, han?
De qualquer modo, existem muitas (e boas!) lições que podemos adaptar à nossa realidade. Por isso, caso se sintam à vontade a ler inglês aconselho os seguintes livros:


Creio que para a maior parte deles poderão encontrar a versão em PT. No entanto, caso considerem que há interesse posso fazer um breve resumo de cada um deles e incluí-lo no âmbito do thread.
Para aqueles cujas versões de inglês forem suficientes, mas cujo valor dos livros faça diferença no orçamento familiar, mandem-me dm.

Tenho mais de 100.000€ disponível para investir, devo seguir o mesmo processo?
Não.
Nesse caso, por favor, abre uma garrafa de champanhe. Para além de estares entre os 20% mais ricos de Portugal e dinheiro não ser uma preocupação para ti, podes investir directamente com a Vanguard.
Para o fazeres, envia um e-mail para [[email protected]](mailto:[email protected]) com a indicação de que pretendes investir no index fund cujo ISIN é IE0002639668. Infelizmente, a partir daqui não te consigo ajudar mais, uma vez que ainda não estou neste patamar. Contudo, para questões particulares, estou sempre disponível por dm, se necessitares.
Caso pretendas consultar os restantes fundos disponíveis para investidores portugueses podes fazê-lo aqui.


Creio que já deu para entender que adoro este temas. Por isso, caso tenham alguma questão, estejam completamente à vontade para a colocar nos comentários ou enviar-me dm. Terei todo o gosto em ajudar cada um de vocês em tudo o que me for possível.
Como qualquer pessoa, sou humano e, como tal, não sei tudo. Ainda assim, se for esse o caso, estou disponível para ir aprender de modo a ser capaz de vos explicar e partilhar convosco.

Provavelmente editarei este tópico várias vezes à medida que me for lembrando de mais informação. Até lá, espero que vos seja útil!
submitted by ORoxo to financaspessoaispt [link] [comments]


2019.12.26 20:00 autotldr Brazil police investigate fire-bombing of 'gay Jesus' film officeA Brazilian far-right religious group says it attacked the offices of group behind controversial film.

This is the best tl;dr I could make, original reduced by 63%. (I'm a bot)
EPA Police are investigating a fire-bomb attack on the Rio de Janeiro office of a production company behind a controversial Christmas special aired on streaming service Netflix.
The episode, by comedy group Porta dos Fundos, depicts a gay Jesus bringing a boyfriend home to meet his family.
A video circulating online appears to show a far-right religious group claiming responsibility for the attack.
Their short Portuguese-language film, titled The First Temptation of Christ, has attracted criticism from religious groups and figures since its early-December release.
The group, which cites British comedy group Monty Python as an influence, previously won an International Emmy for their 2018 Christmas film which depicted the Apostles waking up with terrible hangovers after the Last Supper.
His son, Eduardo, is among those who have criticised the film and Netflix Brazil.
Summary Source FAQ Feedback Top keywords: group#1 attack#2 film#3 video#4 office#5
Post found in /worldnews and /BBCauto.
NOTICE: This thread is for discussing the submission topic. Please do not discuss the concept of the autotldr bot here.
submitted by autotldr to autotldr [link] [comments]


2019.12.12 22:00 throwaway128902 Bolsas de Valores - Investir em ETF

Olá, financaspessoaispt,
Pretendo começar a investir em ETF com a expetativa de obter retorno a longo prazo.
Tenho algumas questões de iniciante, que julgo que me saberão esclarecer.
Após ter feito alguma pesquisa, pretendo utilizar o DEGIRO para investir no fundo iShares Core MSCI World UCITS ETF USD (Acc) (ISIN IE00B4L5Y983), já que cobre o mundo todo e é um fundo de capitalização (acc).
Reparei que há várias bolsas para o mesmo fundo; estou com alguma dificuldade a perceber qual a diferença na prática entre o IWDA (Euronext Amsterdam), o EUNL (Xetra), e o SWDA (SIX Swiss Exchange). Tanto quanto percebo, o EUNL e o SWDA têm um volume maior pelo que deverão ser um pouco mais seguros; porém, o IWDA é gratuito no DEGIRO.
Adicionalmente, tendo em conta que se tem falado numa recessão desde o ano passado, é uma boa altura começar já?
Alternativamente, se eu tiver 10k EUR com os quais quiser começar, sugerem investí-los todos de uma vez, ou dispersá-los ao longo dos próximos meses?
Obrigado.
submitted by throwaway128902 to financaspessoaispt [link] [comments]


2019.11.14 18:59 qohelet1212 Charles Dickens - O Homem e o Espectro


https://preview.redd.it/ylcigmhixoy31.png?width=1420&format=png&auto=webp&s=2f9fdb9f3e8990aa9206aa160916e3dce779d039
SINOPSE
Redlaw era um homem velho e amargurado que vivia numa velha casa triste e solitária. Professor de química, de renome, dava a impressão, no entanto, de que nada o satisfazia. E as pessoas diziam coisas a seu respeito; entre outras, que andava um espectro a persegui-lo. Nunca ninguém vira esse espectro, mas todos concordavam que Redlaw não possuía a felicidade. Só o próprio Redlaw conhecia, contudo, as razões do sofrimento: na juventude, a noiva fugira-lhe com o seu maior amigo, o qual, por sua vez, abandonara a sua única irmã, que o amava. Redlaw vira, depois, morrer a irmã e ficara sozinho, acompanhado apenas pelas recordações que o torturavam. Na noite de Natal, porém, o espectro aparece a Redlaw e conversam longamente discutindo o passado e os desgostos e o espectro faz dádiva a Redlaw de um dom: o de esquecer, totalmente, o que lhe aconteceu antes, dom que poderá estender a todas as pessoas em que tocar. E Redlaw encontra os habitantes do pequeno mundo em que se move: a pobre família Tetterby, o estudante Edmundo Denham, o vagabundo George Swidgers... E acontecem as reacções mais estranhas. Charles Dickens, mestre de romancistas e um dos escritores ingleses mais importantes de sempre, recria, para nós, um universo especialíssimo e inesquecível, marcado por um fundo humanismo. O que é preferível: uma existência sem recordações ou a realidade dura, mas autêntica, de uma personalidade para cuja formação concorrem, inevitavelmente, a Alegria e a Dor?
MOBI Novos Novembro 2019 (73) Novos Outubro 2019 (131) Biblioteca Completa (1335): Mega Dropbox
submitted by qohelet1212 to Biblioteca [link] [comments]


2019.10.10 21:40 mg_tips Italiani all'estero, quale operatore telefonico italiano mi consigliate?

Vivo all'estero (UK) da ormai più di 5 anni ma nonostante ciò continuo ad avere una SIM e un numero italiano che utilizzo praticamente solo quando torno in Italia per brevi periodi di vacanza e in caso qualcuno che non abbia il mio numero britannico mi debba contattare per delle emergenze. Finora sono stato fedele a Vodafone, mio operatore da più di 10 anni a questa parte, mantengo il mio numero storico ed ho una SIM ricaricabile senza costo fisso. Chiamate e messaggi sono abbastanza cari (circa 1,50€/Min le chiamate e 0,30€ i messaggi), detto ciò il mio costo annuo non supera mai i 10€ perciò non ho mai pensato (e non penso mi convenga) di passare ad un piano telefonico. Ultimamente però Vodafone mi sta abbastanza facendo girare le scatole: mi minaccia che la mia SIM è scaduta e che devo ricaricare a tutti costi (cosa che non riesco a fare dal loro sito, tra l'altro), mi scrive che essendo nel Regno Unito devo pagare chiamate, messaggi e anche nel caso io riceva una chiamata (non so quanto ciò sia legale visto che il roaming è stato abolito - per intendersi il messaggio che ho ricevuto è simile a quello che si riceve quando si riceve il segnale in acque internazionali) e dulcis in fundo (modifica contrattuale) mi vuole forzare a pagare 1,99€ al mese a partire da Novembre solo per mantenere il mio numero. Tutto questo mi sembra un fare da strozzini piuttosto che un premio fedeltà per più di 10 anni insieme. Quindi vi chiedo, voi italiani all'estero: con che operatore italiano mantenete il vostro numero per minimizzare i costi?
TL,DR: Vodafone Italia è uno strozzino mangiasoldi senza cuore, quale operatore italiano offre una ricaricabile con pochi sbattimenti per uno che vive all'estero e utilizza il numero italiano pochissimo?
Grazie!
submitted by mg_tips to italy [link] [comments]


2019.08.24 12:09 SalsaLondonClasses Incêndio na floresta amazônica: como começou o incêndio na Amazônia? Há quanto tempo está pegando fogo?

BRASIL A floresta amazônica registrou um número recorde de incêndios este ano, mas como começou o incêndio na floresta amazônica e há quanto tempo ela está em chamas?
A Amazônia brasileira está em chamas enquanto um número recorde de incêndios continua devastando a vasta floresta tropical. O Exército brasileiro poderia ser enviado para ajudar a combater os incêndios, depois que o governo do país enfrentou crescente pressão internacional para tomar mais medidas para enfrentá-los. Houve um número recorde de incêndios florestais na Amazônia este ano, a maioria deles ocorrendo nas últimas duas semanas.
A vasta extensão de chamas foi capturada nos satélites da NASA e NOAA do espaço. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), os dados de satélite mostraram um aumento de 83% em comparação com o mesmo período de 2018. A agência espacial informou que seus dados de satélite detectaram mais de 72.000 incêndios desde janeiro de 2019.
A fumaça pesada causou um blecaute diurno a mais de 1.700 milhas de distância na maior cidade do país, São Paulo, na segunda-feira.
Josélia Pegorim, meteorologista do Climatempo, disse à Globo: “A fumaça não vem de incêndios do estado de São Paulo, mas de incêndios muito densos e extensos que já duram vários dias em Rondônia e na Bolívia.
“A frente fria mudou a direção dos ventos e transportou essa fumaça para São Paulo.”
A fumaça resultante de alguns desses incêndios florestais também foi capturada em imagens de satélite divulgadas pela NASA.
Como começaram os incêndios na floresta amazônica? A agência espacial disse ter detectado mais de 74 mil incêndios entre janeiro e agosto e mais de 9,5 mil incêndios florestais desde quinta-feira, principalmente na região amazônica.
Em comparação, havia menos de 40.000 para o mesmo período em 2018.
Alguns conservacionistas culparam o presidente brasileiro Jair Bolsonaro pelos incêndios florestais, dizendo que ele encorajou madeireiros e fazendeiros a limpar a terra.
Bolsonaro disse que discorda dos últimos dados apresentados, dizendo que foi a "estação da queimada", quando os agricultores usam o fogo para limpar a terra.
Ele disse: “Eu costumava ser chamado de Capitão Motosserra. Agora eu sou o Nero, colocando a Amazônia em chamas. ”
Incêndios florestais freqüentemente ocorrem na estação seca no Brasil, mas este ano tem sido pior que o normal, de acordo com o INPE.
Além disso, os incêndios são deliberadamente iniciados nos esforços para desmatar ilegalmente a terra para a pecuária.
A pecuária é o maior causador do desmatamento em todos os países da Amazônia, respondendo por 80% das taxas atuais de desmatamento.
A Amazon Brasil abriga cerca de 200 milhões de cabeças de gado e é o maior exportador do mundo, fornecendo cerca de um quarto do mercado global.
A floresta amazônica tem sido resistente ao fogo durante grande parte de sua história por causa de sua umidade natural e umidade, mas a NASA disse que as atividades de seca e humana estão causando incêndios florestais.
Um comunicado da agência espacial disse: "A intensidade e a frequência das secas, por sua vez, têm sido associadas a aumentos no desmatamento regional e mudanças climáticas antropogênicas".
Ricardo Mello, chefe do Programa Amazônia para o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), acrescentou que os incêndios foram "uma conseqüência do aumento do desmatamento observado em números recentes".
Agora, promotores federais brasileiros disseram que estão abrindo uma investigação oficial sobre o aumento do desmatamento e dos incêndios florestais.
Os promotores disseram na quinta-feira que investigarão um aumento no desmatamento e incêndios violentos no Estado do Pará, na Amazônia.
Eles trabalharão para determinar se houve redução no monitoramento e aplicação de proteções ambientais.
A investigação anunciada pelo Ministério Público no Pará segue um aumento nos incêndios e destruição da floresta amazônica que os especialistas culpam pela proteção reduzida do meio ambiente sob o presidente de direita Jair Bolsonaro.
Na sexta-feira, os líderes europeus romperam um acordo comercial com a América do Sul, já que a raiva contra Bolsonaro grassa em todo o mundo - com protestos irados.
Bolsonaro disse anteriormente que enviaria 40 bombeiros para combater o incêndio.
Mas em um discurso para a nação, ele mais tarde se comprometeu a mobilizar o exército para ajudar a combater os incêndios, enquanto seu governo lançou uma ofensiva diplomática para deter a ira da UE.
Há quanto tempo a Amazônia está em chamas? Devido ao número de incêndios na floresta amazônica, é difícil prever exatamente quando começou.
No entanto, os incêndios aumentaram recentemente, com mais de 9.500 infernos desde quinta-feira.
Desde janeiro, 72.000 incêndios atingiram a floresta tropical, um número que deve subir nas próximas semanas.
Por que a floresta amazônica é tão importante para a vida na Terra? A Amazônia é muitas vezes referida como os pulmões do planeta.
Isso porque produz 20% do oxigênio na atmosfera da Terra.
A floresta tropical é considerada vital para desacelerar o aquecimento global e também abriga inúmeras espécies de fauna e flora.
A Amazônia é a maior floresta tropical do planeta. https://www.express.co.uk/news/world/1168299/amazon-rainforest-fire-how-did-amazon-fires-start-cause-deforestation-how-long-fire
submitted by SalsaLondonClasses to florestatropical [link] [comments]


2019.08.24 12:05 SalsaLondonClasses Incêndio na floresta amazônica: a Amazônia está se aproximando de um ponto de inflexão irreversível?

A floresta amazônica foi atingida por infernos em chamas com incêndios atingindo números recordes este ano. A Amazônia está se aproximando de um ponto de inflexão irreversível?A imensa extensão da floresta amazônica é um reflexo da alta pluviosidade, alta umidade e temperaturas monótonas que prevalecem na região.
Mas, embora seja tipicamente úmida e úmida, a estação seca começa em julho e agosto, e os incêndios são em grande parte ligados a pessoas que limpam a terra para agricultura ou pecuária.
A bacia amazônica, a maior parte da qual fica dentro da fronteira do Brasil, contém 40% das florestas tropicais do mundo.
Também é responsável por entre 10 e 15 por cento da biodiversidade dos continentes da Terra.
A pecuária é o maior causador do desmatamento em todos os países amazônicos, responsáveis ​​por 80% das taxas atuais de desmatamento.
A Amazônia brasileira é o lar de aproximadamente 200 milhões de cabeças de gado e é o maior exportador do mundo, fornecendo cerca de um quarto do mercado global.
Desde a década de 1970, quase 200 milhões de acres da floresta amazônica brasileira foram perdidos para exploração madeireira, agricultura, mineração, estradas, represas e outras formas de desenvolvimento.
Os cientistas agora estão preocupados com o fato de a floresta tropical estar se aproximando de um "ponto de inflexão irreversível".
A floresta amazônica gera mais de 20% do oxigênio do mundo e é frequentemente chamada de “pulmão do planeta”.
O mundo mudaria drasticamente se a floresta tropical desaparecesse, afetando tudo, desde a agricultura até a água que bebemos.
O desmatamento da Amazônia brasileira subiu para mais de três campos de futebol por minuto.
O forte aumento confirma o temor de que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, tenha dado luz verde à invasão ilegal de terras, extração de madeira e queimadas.
Cientistas alertam que a floresta está em crescente perigo de se degradar em uma savana, diminuindo drasticamente sua capacidade de absorver carbono.
Philip Fearnside, professor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, disse: “É muito importante continuar repetindo essas preocupações.
“Há vários pontos de inflexão que não estão longe.
“Não conseguimos ver exatamente onde eles estão, mas sabemos que eles são muito próximos.
“Isso significa que temos que fazer as coisas imediatamente. Infelizmente não é isso que está acontecendo. Há pessoas que negam que tenhamos um problema.
Alguns conservacionistas e ativistas culparam Bolsonaro pelo recente surto de incêndios florestais, dizendo que ele encorajou madeireiros e fazendeiros a limpar a terra.
Ricardo Mello, chefe do Programa Amazônia para o Fundo Mundial para a Natureza (WWF), disse que os incêndios foram "uma conseqüência do aumento do desmatamento visto em números recentes".
Mas Bolsonaro criticou as críticas, dizendo que ele discorda dos últimos dados apresentados, acrescentando que é a "estação da queimada", quando os agricultores usam o fogo para limpar a terra.
Ele disse: “Eu costumava ser chamado de Capitão Motosserra. Agora eu sou o Nero, colocando a Amazônia em chamas. ”
https://www.express.co.uk/news/world/1168799/amazon-rainforest-fire-amazon-deforestation-amazon-fires-cause-start
submitted by SalsaLondonClasses to florestatropical [link] [comments]


wedi Fundo from wediUK MORENA GOSTOSA MOSTRANDO A CALCINHA - YouTube Fundo’s UK - YouTube Dee Fundo - Behind Barz  Link Up TV wedi  EN - Training: Installing Fundo Top Primo - YouTube Best Christian Worship Music 2020  Top 50 Morning ... wedi  UNITED KINGDOM - YouTube

IPE-Fundo UK Pension Indices

  1. wedi Fundo from wediUK
  2. MORENA GOSTOSA MOSTRANDO A CALCINHA - YouTube
  3. Fundo’s UK - YouTube
  4. Dee Fundo - Behind Barz Link Up TV
  5. wedi EN - Training: Installing Fundo Top Primo - YouTube
  6. Best Christian Worship Music 2020 Top 50 Morning ...
  7. wedi UNITED KINGDOM - YouTube
  8. Fundo musical Para Orar e Refletir (Reluzente) Cicero ...
  9. wedi Fundo Primo shower base - from wediUK - YouTube

find out more at http://wedi.co.uk How to install the wedi Fundo shower drain kit. Top tips and advice from skilled tradesman Roger Bisby. Find out how easy ... Best Christian Worship Music 2020 Top 50 Morning Worship Songs For Prayers 2020 Worship Songs https://youtu.be/B_GHXAyN8Mw #worshipsongs #christianmusi... Find out more at http://www.wedi.co.uk Advice on how to install the wedi Fundo shower kit. Building luxury bathroom suites and showers has never been simpler... Installing the new ready-to-fit surface for Fundo shower systems: wedi shows the installation of ready-to-fit surface for the flush-to-floor shower element F... Fundo musical Para Orar e Refletir (Reluzente) Cicero Euclides fundo musical espontâneo para momentos com Deus *Adquira o meu Curso 'Criando Fundos Musicais'... Deixe seu like pra essa gostosa e se inscreva no canal wedi UK - Product video - Fundo Showerkit (flush to floor shower) by wediGmbH. 1:11. wedi - UK - wedi Products with CE Marking as Sealing System for Wet Rooms by wediGmbH. 1:17. Appear On Freestyle Show - [email protected] If you believe this video breaches your copyright, please direct your DMCA related emails to [email protected] Category Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube.